segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

Em Busca dos Sonhos




J'irai jusqu'au bout de mes rêves, diz a canção...quer dizer, vou buscar meus sonhos até alcançá-los. Pois amigos, é isto que desejo para vocês neste ano de 2008 : que vocês procurem sempre a realização de seus sonhos mais preciosos...
E QUE ELES SE CONCRETIZEM!


FELIZ 2008 !



Canção : Au Bout de Mes Rêves
Autor : Jean-Jacques Goldman
Cantam : Celine Dion, Garou, Jean-Jacques Goldman e Pascal O'Bispo
Vídeo da gravação original
Letra da Música

Alto da Página

quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Falando sem Palavras



No post anterior eu falei sobre o filme "Luzes da Cidade", de Charlie Chaplin. No entanto, não sou uma grande cinéfila, e meu conhecimento sobre o personagem se limitava à sua fama e ao trabalho de sua progenitura...vi, por exemplo, Geraldine Chaplin em "Cria Cuervos" e "Doutor Jivago" e, recentemente, Dolores Chaplin bastante presente nestes últimos dias na televisão francesa em programas que falam sobre os 30 anos do desaparecimento do avô, que faleceu durante o sono em 25 de dezembro de 1977, com 88 anos.


Cena do filme "O garoto"

Chaplin era inglês, filho de artistas, que tiveram uma vida complicada, o pai alcoólatra morreu com 37 anos e a mãe tinha uma saúde mental frágil. Ele e o irmão começaram a vida artística muito jovens e aos 18 anos, sua performance como estrela de music hall de um grupo londrino foi notada nos Estados Unidos durante uma turnê da troupe neste país, para onde se mudou. Casou-se 4 vezes, sempre com mulheres muito mais jovens que ele, e teve 11 filhos. Terminou seus dias vivendo em Vevey, na Suiça, e sua casa se transformará em 2009 no museu Charlie Chaplin.



A parte mais importante de sua obra foi sem dúvida realizada no cinema mudo, com a criação de Carlitos. Inspirado nas técnicas dos palhaços de circo ou na mímica, e impulsionado pelo rosto expressivo de Chaplin, o personagem inicialmente simples e estereotipado com o tempo foi se tornando cada vez mais complexo , passando com sucesso pelo melodrama e pela crítica política e social.

Não faças do amanhã o sinônimo de nunca,nem o ontem te seja o mesmoque nunca mais.Teus passos ficaram. Olhes para trás...mas vá em frente pois há muitos que precisam que chegues para poderem seguir-te.
Frases de Charlie Chaplin

Seus primeiros filmes foram curta-metragens realizados nos varios estúdios para os quais trabalhou antes de criar seu próprio estúdio. Seu primeiro longa metragem foi "O garoto", realizado em 1921. Ele resistiu bastante antes de passar ao cinema falado, tendo realizado em 1930 seu último filme mudo, "Luzes da Cidade", quando este já existia. Depois realizou uma longa viagem pela Europa, que o inspirou para a criação de "Tempos Modernos", uma crítica aos efeitos da Revolução Industrial. Um outro filme crítico é "O Grande Ditador"(vídeo abaixo), no qual ele ridiculariza Hitler e o nazismo.


Cena do filme "O Grande Ditador"


No entanto, suas opiniões políticas de esquerda o fizeram cair em desgraça nos Estados Unidos e ele foi obrigado a ir viver na Europa, onde ainda realizou "Um Rei em Nova Iorque" (uma resposta ao maccarthismo do qual foi vítima) e "A Condessa de Hong Kong", com Sofia Loren, fracassos de bilheteria.

Chaplin foi condecorado pelo governo francês, pelo governo britânico e reabilitado nos Estados Unidos, recebeu um Oscar pelo "conjunto de sua obra" em 1972. De qualquer forma, o homenzinho com o chapéu coco sera para sempre um mito do cinema mundial.



Dica para os cinéfilos :

A maioria dos filmes de Charlie Chaplin já é de domínio público e pode ser carregada legalmente. Alguns podem ser encontrados (assim como muitos outros filmes antigos) no link abaixo:
Filmes antigos para carregar legalmente

sábado, 22 de dezembro de 2007

Luzes da Cidade



Falando em "Luzes da Cidade" pensamos logo na Cidade Luz, Paris. Sabemos que Paris não é chamada assim devido à iluminação externa, mas sim pela luz das idéias, pela abertura do espírito que sempre atraíu para ela grandes artistas e fîlósofos. Mas isto não impede que nesta época de Festas, a iluminação de suas ruas e vitrinas seja linda, maravilhosa, feérica, principalmente este ano com o operação "Paris illumine Paris", no qual 100 quarteirões da cidade participaram, cada um com um tema diferente ("Palheta de Cores" para Montmartre, "Natal no Canadá" na rua Caumartin, "Estados Faiscantes" na rue du Commerce, por exemplo). Não fui até lá para conferir pessoalmente, mas recolhi estas lindas fotos que juntamente com as iluminações de outras cidades e vitrinas francesas animam o diaporama acima.



Cena do filme "Luzes da Cidade" de Charlie Chaplin

Mas toda essa exuberância de brilho e luz que se espalha por toda parte no Natal é só (ou deveria ser) a exteriorização da alegria que habita o coração de cada um nesta época do ano...no qual as pessoas estão mais atentas em relação ao seu próximo, e os sentimentos de amor e generosidade estão mais aguçados. E é isto e o tema deste post que nos conduzem ao filme chamado justamente "Luzes da Cidade" do genial Charlie Chaplin, uma obra prima do final do cinema mudo. Nele um mendigo que se faz passar por um milionário se apaixona por uma bela florista cega e faz loucuras para conseguir os meios que permitirão a ela de recuperar a vista, sem esperar retorno. Uma terna história de amor, amizade e generosidade desinteressada, completamente sintonizada com o verdadeiro espírito de Natal.

Photobucket


Amigos, depois das luzes da Cidade Luz e das luzes de Charlie Chaplin, é tempo de desejar a todos vocês que trouxeram durante este ano as luzes de seus pensamentos e do sol brasileiro até mim, que tiveram a paciência de ler o que escrevo, que me abriram a porta de vossos universos...pois desejo a vocês um Natal com tanta luz e tanto amor, que possa aquecer seus corações e recarregar as baterias de energia positiva para o ano todo.


Feliz Natal!



Filme Luzes da Cidade
Sequência 1/8
Sequência 2/8
Sequência 3/8
Sequência 4/8
Sequência 5/8
Sequência 6/8
Sequência 7/8
Sequência 8/8



quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Um Gênio Brasileiro


Escultura oferecida por Niemeyer à cidade de Paris em 2005

Há algum tempo fiz um post intitulado " O Romance do Rio", do escritor francês chamado Axel Gylden. Recentemente, eu reencontrei uma matéria de sua autoria no jornal "L'Express", onde ele trabalha, novamente falando do Brasil, mas desta vez uma longa entrevista com Oscar Niemeyer, na ocasião dos cem anos do arquiteto.


E L'Express não foi o único jornal a falar de Niemeyer, todos os jornais e revistas importantes daqui, como "Le Monde", "Le Figaro", "Le Point", L'Humanité" e outros dedicaram páginas a este que é considerado como um "mito vivo", destacando sua vida e sua história assim como a "Legião de Honra" com a qual ele foi condecorado pelo presidente Sarkozy na semana passada.


Centro Cultural "O Vulcão" no Havre


Ele viveu como exilado político aqui na França, e desta época existem alguns testemunhos concretos : o Centro Cultural "O Vulcão" no Havre é um deles. Ele se situa em uma grande praça, formando um conjunto com os imóveis projetados por Augusto Perret, um célebre arquiteto local, que foi tombado pela UNESCO como patrimônio mundial em 2005. A obra, na qual se pode entrar por um jogo de rampas, é composta de 2 volumes, o Grande e o Pequeno Vulcão. No pé do Grande Vulcão há uma grande escultura em forma de mão aberta, que é um tema marcante na obra de Niemeyer.



Sede do Partido Comunista Francês em Paris


Em Paris, ele projetou a sede a do Partido Comunista Francês, que se destaca na paisagem da cidade. É um prédio em curvas suaves com a fachada de vidro, e um domo branco translúcido que emerge do solo, no qual se situa a sala de congressos. Esta construção, tombada pelo patrimônio histórico, foi centro de uma polêmica em junho último. Devido a problemas financeiros, o Partido Comunista foi obrigado a propor o aluguel de 2 de seus 6 andares e para retirar a conotação política para não afastar os interessados, rebatizou o imóvel como "Centro Niemeyer".

Outras de suas obras aqui na França são a sede do jornal L'Humanité em Saint-Dennis e a "Bourse du Travail" em Bobigny e também 2 imóveis de escritórios em Fontenay-aux-Bois. Para se ter uma idéia da popularidade de Niemeyer por aqui, no site Web de um deputado de Fontenay-aux-Bois pode-se ler este mês : "É o centenário de Niemeyer, se você não pode ir à Brasília conhecer a obra do mestre, vá à zona leste de nossa cidade".



Maquete do Centro Cultural Internacional "Oscar Niemeyer" na Espanha


Os projetos atuais de Niemeyer também foram destacados pela imprensa francesa. Comenta-se bastante o lançamento do Centro Cultural Internacional Oscar Niemeyer na Espanha, que será construído à beira do rio Ria de Aviles com a forma de "um grande palco de teatro". O lançamento, realizado no último fim de semana com um "G7" dos grandes centros culturais do mundo, que contou com a presença dos representantes do Centro Cultural Georges Pompidou, do Lincoln Center de Nova Iorque e da Biblioteca de Alexandria, entre outros. E o projeto foi um presente de Niemeyer à Fundação Príncipe das Astúrias, por ter sido agraciado com um prêmio oferecido por ela em 1989...que elegância!

Quando criança encantada com suas obras eu queria ser arquiteta...mudei de rumo, mas minha admiração por ele continua intacta. Em todo caso, é um brasileiro que enaltece a imagem do Brasil no Exterior e que nos orgulha de sermos seus compatriotas.


Obras de Niemeyer na França





Alto da Página



segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

A Menina Adormecida


Imagem criada e gentilmente cedida pela Vi

Este post faz parte da blogagem coletiva organizada pelo David Santos : Flavia 10 Anos em Coma


Queria Acordar e Voar!
Paulo Afonso

Queria acordar
E ver neve nas ruas
Ver belas paisagens
Sentir alegrias tuas
Sem serem, meras miragens.
Queria acordar
Queria voar
Para ver o mundo crescer
A amizade…
O sentimento da verdade
O amor…
O oculto do culto.
Queria acordar
Sair debaixo desse pano
E ler nos teus olhos
A felicidade.
Queria voar
Imune
Queria acordar.


Infelizmente, não podemos ajudar Flávia a acordar...mas podemos lançar nossas palavras como se lança uma garrafa ao mar e sonhar que :

  • Um médico vai lê-las e encontrar uma solução que permita tirá-la deste sono sem fim.


  • Um avanço da medicina vai acontecer permitindo resolver casos como este.


  • Um jurista vendo o que escrevemos vai acionar a justiça e permitir que os envolvidos nesta situação assumam suas responsabilidades.


  • Os profissionais e as empresas que lidam com equipamentos que envolvem a segurança das pessoas levem a sério as recomendações de cautela para que casos como este não se repitam nunca mais.

  • A legislação brasileira e de outros países permitam um apoio material e psicológico às famílias que enfrentem situações semelhantes.

De toda forma, que a família de Flávia saiba que pensamos nela com carinho e que a apoiamos na sua ânsia de justiça.



Conheça a história da Flávia

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

A Tradição do Advento


La place Stanislas (Nancy) sous la neige © Philippe GEGOUX/L'Internaute Magazine

Continuando a falar sobre as tradições natalinas aqui do leste da França, uma das mais importantes é a celebração do Advento. Desde o Papa Gregório I, é a época na qual o nascimento de Jesus é preparado. Ele começa no quarto domingo que antecede o Natal e seus símbolos são a coroa do Advento e o calendário do Advento.


A coroa do Advento é feita de galhos de pinheiro, de pinho de houx(azevinho) e às vezes de gui. A forma redonda evoca o sol e a volta cíclica de cada estação do ano. As quatro velas significam as 4 semanas do Advento (ou as quatro estações do ano ou os quatro pontos cardeais) e são acesas uma após outra a cada domingo. Quando a última se acenderá o Natal chegará. A cor verde significa a vegetação, símbolo de esperança durante o inverno. Para os cristãos, esta coroa simboliza também a coroa de espinhos de Cristo.


O calendário do Advento é uma tradição germânica, feita para permitir que as crianças esperem o Natal. Trata-se de uma prancha de papelão, com 24 janelinhas, que são abertas uma a cada dia do mês de dezembro. Inicialmente, colocava-se um santinho em cada janela, depois eles foram substituídos por bombons e atualmente são pequenos brinquedos que são colocados nas "gavetinhas". Ele pode assumir várias outras formas, o que não muda é que há sempre com uma surpresa para cada dia.





Outra tradição natalina é a "bûche" de Natal. Trata-se de um bolo sob a forma de uma tora de árvore (como as que alimentam as lareiras), que em geral é feito de chocolate e decorado de forma a lembrar a madeira com suas nervuras e "olhos". Existem várias variações e pode-se encontrá-la em diferentes sabores nas confeitarias. A minha preferida é a "tropical", com sabor de laranja e maracujá, na foto acima mostro a que fiz no Natal do ano passado. Quer a história e a receita? Elas estão no "Conversas (virtuais) de cozinha".



Mudando de assunto

Gostaria de agradecer ao Eduardo pelo selo "Blog de Elite", que ele gentilmente nos ofereceu. Conhecendo seu excelente "Varal de Idéias", uma indicação dele é uma honra.



Perceberam que introduzi uma "caixinha" natalina ali no template? Como é a época, coloquei nela os presentes que ganhei durante o ano, sendo que os selos estão todos organizadinhos na "Galeria de Awards".




segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

A Granja do Solar



Este post faz parte da blogagem coletiva " proposta pelo Sam do blog Fênix ad Eternum :

Pode parecer estranho que ilustrando o tema "Direitos Humanos" eu esteja utilizando um grupo de animais. A explicação é que, há muitos anos, li o livro "A Revolução dos Bichos" de George Orwell, e cada vez que vejo a "Declaração Universal dos Direitos Humanos" não posso evitar de pensar nele.

Trata-se de uma fábula. Ela foi escrita por Orwell em 1944, para criticar a Revolução Russa, mas seus conceitos são incrivelmente atuais e se aplicam perfeitamente à descrição de qualquer regime autoritário e mesmo à essência da natureza humana.

Ela conta a revolução vitoriosa realizada pelos animais da Granja do Solar contra a exploração e opressão exercida pelo homem sobre eles. Para garantir que eles não se submeteriam nunca mais à tirania eles estabeleceram um conjunto de mandamentos, a saber :

  • Qualquer coisa que ande sobre duas pernas é inimigo.

  • O que ande sobre quatro pernas, ou tenha asas, é amigo.
  • Nenhum animal usará roupa.

  • Nenhum animal dormirá em cama.

  • Nenhum animal beberá álcool.

  • Nenhum animal matará outro animal.

  • Todos os animais são iguais.


No começo tudo correu bem, os animais trabalhavam ém pé de igualdade e a granja prosperava. Com o passar do tempo, no entanto, alguns animais mais "inteligentes" que os outros, no caso representados pelos porcos, resolveram assumir a liderança e governar a comunidade. E começaram a tramar e manipular para ir gradativamente se apossando de privilégios que antes eram atribuídos aos opressores, ao mesmo tempo que esmagavam as vozes que se opunham a seus atos. Por exemplo, começaram a tomar bebidas alcoólicas, comerciar com os homens , dormir em camas e principalmente exigir mais e mais dos outros animais, oferecendo cada vez menos em troca de seu trabalho. A tal ponto eles se tornaram parecidos com os homens que era impossível distinguir entre um homem e um porco, pois estes últimos passaram até a andar sobre 2 pernas. A medida que os hábitos dos dirigentes mudavam, um a um os mandamentos iam sendo "arranjados" para integrá-los, até que se tornaram :

  • Nenhum animal matará outro animal, sem motivo.
  • Nenhum animal dormirá em cama com lençóis.
  • Nenhum animal beberá álcool em excesso.

  • Todos os animais são iguais, mas alguns são mais iguais que os outros.


Extrapolando a "moral da história" desta fábula à nossa realidade, compreendemos melhor a importância da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Se olharmos alguns dos seus termos tais como :

  • Todo ser humano tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.


  • Ninguém será submetido à tortura nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante.

  • Todo ser humano tem o direito de ser, em todos os lugares, reconhecido como pessoa perante a lei.

Eles parecem tão óbvios, não é mesmo? No entanto a todo momento se encontram "desculpas" para distorcê-los e adaptá-los à dominação ou à opressão. Porisso ela deve ser preservada e relembrada, para que, tanto no nível familiar, como no comunitário ou estatal, estejamos sempre atentos e nunca esqueçamos o que distingue a conduta de um ser humano daquela dos "porcos".



Também participam desta blogagem coletiva :

Lino Resende, Eduardo P. L., Du, Silvano Vilela, Ceci, Osc@r Luiz, Sérgio/Histórias & Cotidiano, Ronald, Cejunior, Neptuna, Chuvinha, Daniel Fernandes, Dragonfenix, Afrodite e Vénus, Ru Correa, Titão, Ali_Se, Fábio Mayer, Samantha Shiraishi, Cássia Valéria, Janmedeiros, Fernando, Chicoelho, Andréa Motta, Jeanne, Adriana, Marco, Caco, Menina Malvada (Ou Kaka), Luci Lacey, Dácio Jaegger, Catarina Cavalcante, Tocha da Paz, Idéias Literárias, Meiroca, Enio Luiz Vedovello, Jonice, Luma, Claudia, Tita Coelho, Monica Mamede, Marie, Rafael Sarmento, Fátima André, Lamire, Fábrica dos Blogs, ISM, Clandestino, Lidianne Andrade, Juca, Xico Lopes, Francy e Carlos, Lita, Dad, Pedro Fontela, Mauricio Santoro, André Wernner, X-Man, Cármen Neves, Roseanne, Bentes, André L. Soares, Tao, Lucia Freitas, Saramar, Ricardo Rayol, Luz Dourada, Maria Lagos, Wanderley Garcia, Carlos Fran, Vinicius Cabral, Xmitzx, Pat, Je vois la vie en vert, Cristiane.


Alto da Página




sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Aquecendo as renas...

Em primeiro lugar gostaria de pedir desculpas a meus visitantes devido ao fato de que agora o Google não permite mais que os que comentam e não tem conta nele deixem seus links. Li na blogosfera que isto foi feito para impedir os spams e que em breve os que são inscritos em outras plataformas como o Wordpress, poderão entrar suas coordenadas neste sistema para se identificar nos comentários do Blogger. Vamos ver...

Segundo, como vocês viram o Jardin já está vestido para o Natal. Espero que gostem, e como foram muitas mudanças simultâneas no template, e apesar de conhecer bem o HTML não sou craque no XML, alguns problemas que possam aparecer em função do navegador utilizado talvez me tenham escapado. Neste caso, me avisem por favor.

Agora, vamos falar de Papai Noel. Ainda não é Natal, mas Papai Noel aquecendo suas renas para o grande dia , já passou por aqui e deixou um monte de presentes nestas últimas semanas, os quais agradeço de coração.


Vejam que maravilha :


A Sam e a Aninha me ofereceram o selo "Este blog é escrito com amor". E é verdade, tenho muito carinho e aprecio escrever tomando cuidado quando dou informações e procurando as melhores imagens para encher os olhos das visitas.

A Karina e a Lunna me pediram para incluir o nome de 10 amigos em um post. Isto foi feito no post "No Caminho das Estrelas", nele os nomes de muitos amigos estão incluídos.

O Oscar e o Ronald me indicaram como "Blog de Elite". Pode uma coisa dessas? Como eu disse a eles realmente é um blog da elite, que é constituída por todos os meus amigos que passeiam neste jardim.

A Luma, a Aninha e a Meiroca dizem que faço parte dos "Escritores da Liberdade". Fiquei muito contente pois sempre achei que entre escrever e ser escritor existe uma grande distância que nunca acreditei que pudesse ter percorrido. E além disso "da liberdade", é demais, né?


A Jugioli e o Eduardo também já me deram o presente de Natal na forma do selo "Diz que até não é um mau blog". Conhecendo a sensibilidade artística de ambos, é um presente e tanto.

A minha barra lateral ainda não está atualizada com os selinhos que recebi, prometo introduzir uma galeria em breve para que eles fiquem bem arrumadinhos, indicando também quem me ofereceu. E por falar nela, estou incluindo nos meus favoritos dois novos amigos o Ronald e o Gilrang, amigos que freqüentam este "Jardin" e que tem coisas inteligentes e simpáticas a nos dizer em seus blogs.

E agora, a pergunta óbvia : "Quem ela vai indicar para dar continuidade aos prêmios"? Meus amigos, é Natal e não é o momento de restringir as escolhas, mas de ampliá-las. Pois eu os ofereço a todos que estão na minha barra lateral. Cada um pode se considerar agraciado com todos estes selinhos, e podem ter certeza que são dados de coração.



Update :


Mais um presente que chegou para colocar no pé da árvore de Natal...que ele mesmo é uma árvore de Natal. Ela me foi ofertada pela Vi, que tem o Pedras e Cores, um blog maravilhoso. Olha que linda :

Miriam Haskell...Metal Gold And Ruby red Rhinestones...1958



terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Vovô Noel



Aqui no leste da França, as tradições natalinas são meio diferentes das tradições brasileiras e mesmo das outras regiões francesas. Principalmente na Alsácia, elas são inspiradas principalmente nas tradições da vizinha Alemanha. Na Lorena, onde moro, uma das tradições mais importantes é a chegada de seu padroeiro São Nicolau, dia 6 de dezembro.

São Nicolau foi um bispo que viveu no século IV na Ásia Menor, e que perseguido pelo imperador romano Diocleciano. Conhecido por sua generosidade, ele ajudava os fracos e oprimidos, as viúvas, as crianças, e as vítimas de injustiças. Assim ele se tornou o santo padroeiro dos marujos, dos comerciantes, dos viajantes, dos padeiros, dos juristas, dos escolares, da Rússia e também da Lorena.



Sua história é cercada de varias lendas. Numa delas ele ressuscita três meninos que haviam sido mortos e salgados por um açougueiro. Em outra outra, ele salva da ruína uma família, jogando moedas de ouro pela chaminé...o que deu origem à tradição de deixar as meias perto da lareira na véspera do seu dia.

Desfile de São Nicolau pelas ruas de Nancy em 2007


Nesta data, nas escolas são distribuídos biscoitos e chocolates com a forma do santo, mandarinas e laranjas, que são frutas da época. Normalmente, ele chega nas cidades onde é festejado de helicóptero ou em uma carruagem, e percorre as ruas distribuindo doces para a garotada. Mas tem um detalhe importante : ele só oferece os doces às crianças comportadas! Ele é sempre acompanhado pelo Père Fouettard, um velhinho com um chicote que castiga as crianças malvadas...Ele recebe as chaves da cidade das mãos do prefeito e a festa em geral termina com uma grande queima de fogos.


Transformação de São Nicolau em Papai Noel

Quando houve a Reforma Protestante muitos países da Europa abandonaram a tradição da festa de São Nicolau. No entanto, ela foi levada para a América por colonos holandeses e deu origem...ao Papai Noel. Pois tudo é parecido entre eles : a barba branca, a roupa (a de papai Noel é menos "católica", os americanos são na maioria protestantes), as meias na lareira e até o bastão. Mudaram também o meio de transporte, São Nicolau tinha uma mula, e Papai Noel suas renas. Mas São Nicolau é certamente o ancestral de Papai Noel!




quinta-feira, 29 de novembro de 2007

França : Sinal Verde ?


Segundo seu presidente, a França deseja ocupar no mundo a liderança na luta contra o aquecimento global e pelo desenvolvimento sustentável. Para isto, durante três meses o poderoso Ministério do Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável, Energia e Transportes promoveu a "Grenelle* do Meio Ambiente" reunindo representantes de ONGs, sindicatos, coletividades locais, empresas e políticos visando propor e discutir as medidas necessárias para atingir este objetivo. O público também foi consultado via Internet, respondendo a um questionário sobre quais medidas estaria disposto a aceitar.

O programa resultante é ambicioso e foi apresentado dia 25 de outubro último pelo presidente Nicolas Sarkozy em um discurso, na presença de Al Gore. Segundo ele, toda decisão governamental deverá ser analisada em relação ao impacto causado sobre o meio ambiente e a biodiversidade. Prevê também um investimento de 1 bilhão de euros em 4 anos na pesquisa e formação, sem aumento de impostos e sem sacrificar o crescimento do país. Considerando irreal que as pessoas aceitem se sacrificar nos nossos dias para assegurar as condições de vida das gerações futuras, estabelece que para cada mudança efetuada neste sentido, uma alternativa deve ser proposta, visando manter o conforto atual. Pois o programa toca em hábitos arraigados, como os modos de transporte, diminuindo o investimento nos transportes rodoviários e aéreos, e aumentando no ferroviário, fluvial e marítimo.


Um dos pontos críticos da discussão foi a questão energética. O governo fez pé firme para conservar a energia nuclear, responsável atualmente por 80% da energia elétrica produzida na França, logo o novo reator EPR será mantido...mas informou que não haverá construção de outros parques nucleares. E as medidas prevêem o investimento paralelo nas energias renováveis : para cada euro investido na energia nuclear, um euro será investido nas energias alternativas.

Algumas das propostas dizem respeito aos outros países, como por exemplo, "os produtos oriundos dos países que não respeitam o protocolo de Kyoto devem sofrer sobretaxas no mercado francês", ou "nas etiquetas dos produtos devem ser escrito quanto CO2 foi produzido para sua produção e seu transporte até o consumidor".

A França deseja difundir estas idéias na Europa e no mundo, e nisto tem o apoio de Al Gore que declarou que seria necessário um "Grenelle mundial".


Todas estas propostas passarão pelo Parlamento para serem votadas. Apesar do aval do mais eminente defensor francês do meio ambiente Nicolas Hulot, alguns temem que certos "lobbies" bloqueiem a aprovação das medidas. Mas se passarem, será a primeira vez que um país orienta suas decisões em função do impacto sobre o meio ambiente. Será que desta vez vai? A caixa de Pandora verde teria sido aberta? Saberemos em breve.



Foto acima : Al Gore com Jean-Louis Borloo (minsitro do meio ambiente, desenvolvimento sustentável, energia e transportes da França)


Discurso de Nicolas Sarkozy com as conclusões do Grenelle - texto (francês, inglês, espanhol, alemão) e vídeo
Video da televisão francesa sobre o discurso acima
Site "Grenelle do Meio Ambiente"




*A palavra Grenelle faz referência aos acordos sociais de Grenelle que puseram fim às greves de 1968.


segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Terra de Todas as Cores


Clique na imagem para ver em diaporama
Dizem que " O baiano não nasce, estréia", ou que "todo baiano é um artista". Parece exagero, mas vendo esta galeria acima, acredito que estas afirmações não estão muito longe da verdade.
Pois, amigos, fico até envergonhada de dizer isto, mas apesar de conhecer vários países do mundo, não conheço ainda o Nordeste brasileiro. Quero dizer, não conhecia, pois nestas últimas férias procurei remediar um pouco esta grave lacuna e fui à Bahia, entrando pela sua capital, Salvador.




Ah, Salvador...como levei muito tempo para conhecê-la, eu a criei na minha imaginação : uma cidade com casario baixo, coqueirais a perder de vista, mulheres vestidas de baianas vendendo acarajés e jovens praticando a capoeira em cada esquina. Claro que chegando lá não foi bem isto que encontrei. Vi uma cidade grande brasileira típica, com seus arranha-céus e favelas lado a lado, centros comerciais enormes e modernos, e um trânsito pesado. No quesito paisagem havia menos coqueiros do que eu imaginava, mas por outro lado vislumbrei paisagens deslumbrantes principalmente na orla marítima. Mas o mais interessante foi o contato com o povo baiano, tranqüilo e acolhedor.

Aliás, andando nas ruas me dei conta mais que nunca da diversidade de cores dos brasileiros. As estatísticas dizem que 80% dos soteropolitanos são negros. E é verdade que mais que no sudeste e sul do Brasil vemos pessoas negras, de todos os nuances. Observei isto e pensei : "Somos todos brasileiros!" Verdade, fico orgulhosa de vir de um país mestiço, não importa a cor da pele, somos todos brasileiros.


Claro que se remontarmos na história, nossa parte índia sofreu uma aculturação e um extermínio, nossa parte negra veio como escrava, nossa parte portuguesa começou com os degredados. Mas e daí? Com a mestiçagem que temos, cada um de nós é ao mesmo tempo vítima e algoz. Não podemos mudar o passado, o que podemos fazer agora no presente é corrigir as distorções que este criou, para que o futuro seja melhor para todos os brasileiros. Para que gastar energia salientando as diferenças?


Mas depois deste parêntese que foi uma reação ao que li na semana passada relativo a este novo feriado, voltemos a Salvador, seus artistas, suas paisagens, seus monumentos históricos... que vão dar muito assunto, mas para os próximos posts.






Alto da Página




quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Guerra pela Paz



Blogagem coletiva organizada pela Meiroca, do Pensieri e Parole

Muitos acham que dengue é coisa do Terceiro Mundo e que só acontece nos países pobres. Pois não é não, domingo último o jornal televisivo francês falava da epidemia de dengue na Martinica (que faz parte da França), e já matou 4 pessoas e apresenta até 2000 novos casos por semana. Na segunda-feira voltaram ao assunto, para explicar que as casas dos doentes de dengue e des seus vizinhos recebem a visita de uma equipe da “brigada sanitária” para verificar a possível presença de mosquitos infectados e focos de proliferação e borrifar o inseticida. Disseram que esta desinfecção não é sistemática para impedir que estes insetos desenvolvam resistência contra o produto.

Claro que saber que esta epidemia está ocorrendo em várias regiões tropicais do mundo não é um consolo, mas vamos olhar o problema sem complexos e colocar "mãos à obra". Pois desta vez não é só um problema "do governo", nem "dos pobres", nem "do vizinho". O mosquito pode picar todo mundo, e todos e cada um tem a obrigação de entrar nesta guerra.

O retrato falado do inimigo, cujo nome é Aedes aegypti é :
  • Preto rajado de branco
  • Menor que um pernilongo comum
  • Pica durante o dia
  • Nasce e cresce em águas limpas e paradas

Portanto, a melhor forma de exterminá-lo é impedi-lo de nascer ou crescer, destruindo os possíveis ninhos de larvas. As armas a serem usadas para isto não requerem despesas, simplesmente atenção e responsabilidade, e certos cuidados como :


  • Não deixar a água acumular no coletor dos vasos de planta

  • Desobstruir as calhas do telhado, para não permitir o acúmulo de água

  • Não deixar pneus ou recipientes expostos à água da chuva

  • Manter sempre fechadas as tampas das caixas d'água, cisternas, barris ou filtros

  • Acondicionar o lixo em sacos fechados ou latões com tampa.

A infecção causada pelos vírus da dengue (pois eles são quatro) apresenta manifestações como febre alta, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, muita dor no corpo, tonturas, cansaço, às vezes sangramentos, vômitos e manchas vermelhas na pele. Alguns dizem que são os sintomas da gripe, sarampo ou rubéola, mas muito fortes. Se alguém apresentar estes sintomas, não deve se auto-medicar (principalmente não tomar remédios à base de ácido acetilsalicílico, como aspirinas, Melhoral e outros), mas se dirigir imediatamente ao Serviço de Saúde mais próximo. Em 95% dos casos a dengue é benigna, mas quando ela ocorre na sua forma hemorrágica pode ser fatal. Quem já foi tratado para este problema e sentir os sintomas reaparecerem, deve ir rapidamente procurar tratamento médico, pois pode ser a forma hemorrágica da doença.


Claro que certamente você já ouviu falar sobre tudo isto, mas acredito que uma voz a mais pode significar um minuto complementar de atenção sobre ele, e este pode ser decisivo para conduzir alguém a praticar uma ação no sentido de ajudar a combater este problema. Pois desta vez a ação de cada um adianta, e de toda forma não temos escolha se quisermos proteger nossos entes queridos. Vamos mostrar que a população brasileira é capaz de vencer esta guerra?


Mais informações :
Portal da Saúde
O que você pode fazer a respeito da dengue
Slides descrevendo a dengue
Medicamentos que devem ser evitados em caso de suspeita de dengue


UPDATE :

Entre os blogs já visitados desta blogagem coletiva, entre outras observei as seguintes informações complementares ao conteúdo deste post :

Georgia nos conta uma tragédia familiar ligada à dengue.
Karina nos fala da pesquisa dos possíveis viveiros nos condicionadores de ar.
Oscar descreve uma metodologia para a procura de possíveis focos dos mosquitos.
Oscar relata a utilização de borra de café para exterminar as larvas.
Lucia Freitas aconselha que se facilite o acesso das equipes do Centro de Controle de Zoonoses.



sábado, 17 de novembro de 2007

Art Nouveau em Sampa


O Centro Cultural do Banco do Brasil em Noite de Gala Foto Eli Hayasaki

Antes de viajar para o Brasil havia feito uma listinha de lugares a visitar em São Paulo, como por exemplo o MuBE, o Mercado Central, o Museu de Arte Sacra, a Sala São Paulo para ver um concerto, e também a exposição do Aleijadinho. Esta, quando cheguei lá ela estava quase acabando, fui correndo vê-la, e foi a sorte, pois de todo o resto da minha listinha não vi nem um décimo.

E foi uma dupla satisfação visitá-la pois além da exposição por ela mesma, havia também o prédio onde ela foi apresentada, o Centro Cultural do Banco do Brasil, na esquina da rua da Quitanda com a José Bonifácio, no centro velho de São Paulo. Já o conhecia, apesar de ter passado muitas vezes diante dele sem perceber a beleza que ele encerrava.

Este imóvel, que data de 1901, plena "Belle Epoque" paulistana , foi construído nos estilos neoclássico e art-nouveau, sendo que o tema natureza da art-nouveau pode ser percebido nos ramos de café, abacaxi e folhas de fumo, marcas da aristocracia pré-industrial no Brasil. E os desenhos da cúpula de cobre são pétalas de rosa.

O Banco do Brasil o comprou em 1923, e o adaptou para as funções bancárias com obras do renomado engenheiro Hyppólito Pujol Jr., se constituindo na primeira agência própria deste banco no Estado de São Paulo em 1927. Foi reciclado novamente e se tornou o Centro Cultural do Banco do Brasil em 2001.

O prédio tem 5 andares (mais subsolo e mezzanino) distribuídos em torno de um vão central, e o que chama a atenção logo na entrada é o piso do saguão, todo em mosaico veneziano e também, olhando para o alto, a clarabóia com seu magnífico vitral com florais em tons dourados. As arandelas, os elementos em ferro forjado que constituem os balcões e os corrimões com suas linhas sinuosas em torno do vão central formam um conjunto muito bonito. No subsolo ainda pode-se ver o cofre que veio da França especialmente para o banco. Apesar de não ser muito grande, tem também um café muito charmoso, salas de exposição, auditório, cinema, teatro e salas de vídeo.

Falarei sobre a exposição do Aleijadinho em outro post. Por enquanto, encham os olhos com as imagens deste belo prédio, que vale a pena.



CLIQUE NA IMAGEM PARA VER O DIAPORAMA

Mudando de assunto :

Vocês se lembram do post o sobre as feiras livres "Cores, Odores e Sabores" ? Ele foi reproduzido no "Conversas (virtuais) de Cozinha", onde a Sam e a Lina também escreveram sobre o assunto (na época a Célia inda não tinha entrado no blog). Pois a Lívia Lisboa, jornalista da revista "Vida Simples" da Editora Abril, leu nossas "conversas virtuais" sobre as feiras no Brasil, no Japão e na França, e as citou no seu excelente artigo sobre este assunto, na edição deste mês de novembro desta revista. Legal, né? A versão na Internet pode ser vista aqui.


Update :

A Teresa salientou nos comentários deste post a grande semelhança entre as arquitetura brasileira e francesa dos séculos XIX e XX. Ela tem razão, vejam a semelhança entre a foto noturna do CCBB que ilustra este post e a foto que tirei na Noite do Patrimônio deste imóvel de Nancy, que data de 1909, com o torreão e tudo.

SNVB (Nancy) e CCBB (São Paulo)

A Lunna acrescentou um detalhe também nos comentários : ..."A área onde ele foi construída era de solo argiloso e não se preocuparam com este fato quando ergueram o prédio. Resultado: o solo engoliu o prédio repentinamente. Engenheiros ingleses foram chamados e fizeram uma análise detalhada do solo antes de reerguer o prédio. Não sei exatamente quantos caminhos de terra foram necessários, mas foi a primeira estruturação de solo ocorrida em São Paulo e o prédio foi reerguido de acordo com fotografias feitas, mas o que se sabe é que muitos detalhes do prédio anterior perdeu-se e o que passou a existir foi o cenário (que é deslumbrante) atual.Aliás, o centro velho paulistano tem muitos detalhes da velha França, porque o arquiteto responsável na época estudo na França e trouxe para o Brasil o mesmo estilo"....Como não existem muitas informações datando da época da construção deste prédio, é um detalhe preciosíssimo. Falou e disse, Lunna!

Confira a Programação do CCBB São Paulo, inclusive com visitas monitoradas. A exposição atual é "Yoko Ono - Uma Retrospectiva".


quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Presentes na Ausência


Jardim Monet visto do balcão - Claudia Meyer

Muita coisa aconteceu aqui na blogosfera durante as semanas que fiquei ausente, como por exemplo o aniversário do "Varal de Idéias" do Eduardo, que aliás continua sendo comemorado durante todo o mês de novembro. Claro que o "Jardin" não poderia passar em branco este acontecimento, este blog é um verdadeiro tesouro de beleza e de arte, e o Eduardo uma pessoa sempre presente e disponível para os amigos da blogosfera, deu um apoio enorme ao "Jardin Ephémère" desde seu início. Parabéns, Eduardo, que este aniversário se repita muitas e muitas vezes.




Algumas blogagens coletivas importantes, como a "Blog Action Day" (para a qual deixei o post pronto mas não pude visitar os outros participantes),"Pela Paz no Mundo" organizada pelo Lino, pela liberdade da moça presa em Portugal promovida pela Luma. Mas pretendo participar da importante blogagem coletiva contra a dengue, promovida pela Meire, que acontecerá no dia 22 de novembro próximo.

Durante estas semanas de férias este jardim foi regado pelas visitas e pelos presentes que aqui foram deixados. A Meire e a Luma me incluiram na corrente da amizade. As minhas indicações para a continuação desta corrente virão em breve.


A Meire me ofereceu o Prêmio Visitante, que é acompanhado pelos seguintes dizeres : "A amizade e a solidariedade na blogosfera são algo de muito profundo e de muito construtivo que temos que desenvolver. Criam-se representações de pessoas que não conhecemos mas que nos deixam o melhor do seu sentir enriquecendo um espaço de debate com as suas visões e as suas críticas. Nada tem valor se não for lido e partilhado.” Muito obrigada, amiga, visitar os blogs amigos é uma das coisas mais enriquecedoras que existe. Como sempre disse, todos meus vistantes são especiais, desta vez ofereço este selo a : Oscar, Lina, Jugioli, Vi, Gilrang.


A Vi também me deixou um mimo durante estas férias, o selinho "Este blog vale a pena conferir". Agradeço e digo que seu blog, que também o recebeu, vale a pena mesmo ir conferir, pois é lindíssimo. Confira também que vale a pena : Acqua, O Meu Jeito de Ser, Vivenda, Caminhar, Nossa Via.


Além destes, o Oscar Luiz, que nunca deixa de me surpreender, e a Meire, sempre amiga e carinhosa me ofereceram o award "Escritores da Liberdade". São duas palavras que admiro por elas mesmas, imaginem combinadas...é muita honra, agradeço de coração. Veja a descrição deste prêmio : "Todos temos blogs pelo fato de gostarmos de escrever. Por prazer, profissionalismo, ou qualquer motivo pessoal. E a maioria gosta de escrever para liberar algum sentimento profundo, seja ele bom ou ruim. Escreve para se encontrar, para analisar a situação depois de algum tempo, ou naquela mesma hora, e também por essa paixão de por tudo no papel. E estou chamando esses blogueiros de Escritores da propria liberdade. Escritores sim, mesmo que amadores, que escrevem suas emoções, que não guardam tudo para si. Que compartilham tudo com pessoas muitas vezes estranhas (entre as conhecidas)... Escritores que admiro muito, por vários motivos, que se destacam de um jeito único, para cada uma das pessoas que os conhecem. Blogueiros que publicam a sua liberdade de expressão." Como tenho duas indicações, posso indicar dez entre todos aqueles que acredito merecer este selo: Lino, Eduardo, Mário, Luma, Flavia Sereia, Marília, Samantha, Lunna, Karina.


Certamente aconteceram muitas outras coisas, mas vou pondo a conversa em dia aos poucos.


sábado, 10 de novembro de 2007

No Caminho das Estrelas


Céu Estrelado - Vincent van Gogh
Estou de volta das férias. Em primeiro lugar gostaria de agradecer a todos que passaram aqui para "regar as plantas" deste jardim, deixando mensagens de saudade e carinho durante minha ausência. As férias foram excelentes, mas confesso que senti falta dos nossos papos aqui na blogosfera e que vocês estiveram presentes em muitos dos meus caminhos neste período. Não acreditam? Pois vejam só!

Durante a viagem de ida, quando o avião deixava os céus da velha Europa (ciao, Meire, au revoir, Teresa, hej då, Célia) e começava a cruzar o Atlântico, as luzes da cabine se apagaram. Olhei pela janela, como naquele guache que a Luma fez, e comecei a blogar mentalmente. O momento era mágico, lá embaixo eu via o desenho das costas iluminadas de Portugal e pensei nas rendas deste país reproduzidas nas colagens da Jugioli. Olhando para cima via o céu estrelado e embaixo as luzes das embarcações no mar. As luzes do céu, da terra e do mar, e a luzinha vermelha da asa do avião piscando, piscando, piscando...talvez embalada pelo vinho do jantar, fiquei imaginando se aquela composição não seria uma obra de arte, uma discussão que corria animada no blog do Eduardo naqueles dias. Fiquei com vontade de tirar uma foto, mas achei que não daria certo, naquele momento precisaria do conselho da fotógrafa Flávia Sereia! A Lunna certamente escreveria um lindo poema e o Oscar Luiz encontraria os adjetivos certos para descrever um momento como este, mas eu calei minha mente e só saboreei a paisagem.

Dormi e quando acordei olhando para fora vi um lindo cruzeiro de estrelas...deve ser o Cruzeiro do Sul me dando as boas vindas, pensei. O mapinha do avião indicava que eu já havia deixado para trás a cidade onde mora a Laura e que talvez estivesse passando sobre a toca da d. Minhoca. Logo, logo, sobrevoaria as terras da Marília com suas lindas pedras coloridas...o que me levou a pensar nas criações maravilhosas da Vi, trabalhando pedras e cores. E o Lino, não muito longe dali, já estaria acordado a esta hora?

Lá no Japão, a Lina devia estar preparando o jantar quando o avião aterrissou e eu, do outro lado do mundo, mergulhei no trânsito caótico da manhãzinha de véspera de feriado desta cidade grande que adoro. Talvez nele tenha cruzado a Sam, ou a Karina, ou a Liniane, ou o Mário e também a Aninha, se ela subiu a serra. Adivinhem onde desembarquei!

Precisarei de vários posts para colocar a conversa em dia, pois tenho muita história para contar e sei que muita coisa importante aconteceu na blogosfera e também aqui na França nestas quatro semanas. Me aguardem, devagarinho vou chegar lá...