quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Falando sem Palavras



No post anterior eu falei sobre o filme "Luzes da Cidade", de Charlie Chaplin. No entanto, não sou uma grande cinéfila, e meu conhecimento sobre o personagem se limitava à sua fama e ao trabalho de sua progenitura...vi, por exemplo, Geraldine Chaplin em "Cria Cuervos" e "Doutor Jivago" e, recentemente, Dolores Chaplin bastante presente nestes últimos dias na televisão francesa em programas que falam sobre os 30 anos do desaparecimento do avô, que faleceu durante o sono em 25 de dezembro de 1977, com 88 anos.


Cena do filme "O garoto"

Chaplin era inglês, filho de artistas, que tiveram uma vida complicada, o pai alcoólatra morreu com 37 anos e a mãe tinha uma saúde mental frágil. Ele e o irmão começaram a vida artística muito jovens e aos 18 anos, sua performance como estrela de music hall de um grupo londrino foi notada nos Estados Unidos durante uma turnê da troupe neste país, para onde se mudou. Casou-se 4 vezes, sempre com mulheres muito mais jovens que ele, e teve 11 filhos. Terminou seus dias vivendo em Vevey, na Suiça, e sua casa se transformará em 2009 no museu Charlie Chaplin.



A parte mais importante de sua obra foi sem dúvida realizada no cinema mudo, com a criação de Carlitos. Inspirado nas técnicas dos palhaços de circo ou na mímica, e impulsionado pelo rosto expressivo de Chaplin, o personagem inicialmente simples e estereotipado com o tempo foi se tornando cada vez mais complexo , passando com sucesso pelo melodrama e pela crítica política e social.

Não faças do amanhã o sinônimo de nunca,nem o ontem te seja o mesmoque nunca mais.Teus passos ficaram. Olhes para trás...mas vá em frente pois há muitos que precisam que chegues para poderem seguir-te.
Frases de Charlie Chaplin

Seus primeiros filmes foram curta-metragens realizados nos varios estúdios para os quais trabalhou antes de criar seu próprio estúdio. Seu primeiro longa metragem foi "O garoto", realizado em 1921. Ele resistiu bastante antes de passar ao cinema falado, tendo realizado em 1930 seu último filme mudo, "Luzes da Cidade", quando este já existia. Depois realizou uma longa viagem pela Europa, que o inspirou para a criação de "Tempos Modernos", uma crítica aos efeitos da Revolução Industrial. Um outro filme crítico é "O Grande Ditador"(vídeo abaixo), no qual ele ridiculariza Hitler e o nazismo.


Cena do filme "O Grande Ditador"


No entanto, suas opiniões políticas de esquerda o fizeram cair em desgraça nos Estados Unidos e ele foi obrigado a ir viver na Europa, onde ainda realizou "Um Rei em Nova Iorque" (uma resposta ao maccarthismo do qual foi vítima) e "A Condessa de Hong Kong", com Sofia Loren, fracassos de bilheteria.

Chaplin foi condecorado pelo governo francês, pelo governo britânico e reabilitado nos Estados Unidos, recebeu um Oscar pelo "conjunto de sua obra" em 1972. De qualquer forma, o homenzinho com o chapéu coco sera para sempre um mito do cinema mundial.



Dica para os cinéfilos :

A maioria dos filmes de Charlie Chaplin já é de domínio público e pode ser carregada legalmente. Alguns podem ser encontrados (assim como muitos outros filmes antigos) no link abaixo:
Filmes antigos para carregar legalmente

22 comentários:

Vi Leardi disse...

Maria Augusta,minha amiga, que grande post...
tenho paixão por tudo que este gênio do cinema fez...
Um beijo e mais uma vez tudo de bom para o ano que começa...

Lunna Montez'zinny disse...

Que lindo Post cara mia... Confesso que tenho lágrimas nos olhos (sou emotiva) e me lembrei dos estudos a cerca de Chaplin na faculdade quando ainda tinha meus 17 anos. Já tinha assistido seus filmes, mas estudá-lo foi uma coisa nova. O descobri e me encantei. Quando li sobre sua volta triunfal aos Estados Unidos pensava na sua magia, naquela da qual ele nunca abriu mão. Era um mestre e sua ousadia ainda está aqui porque o passado não morre e o futuro parece tão pouco perto de tudo que ele foi. Parabéns pela lembranças. Eu adoro a música que descobri há pouco com Luzes da Ribalta (aqui no Brasil) na voz da Bethania - ainda prefiro a versão original, mas é interessante verificar quantos línguas ele alcançou mesmo enquanto mudo. Abraços meus.

Betho disse...

Posso ser considerado um cinéfilo, apesar de não gostar, mas acompanho o cinema nacional e mundial a mais de 50 anos e de Sir Charles Chaplin, assisti a todos...Eu continuo sendo um apaixonado pela forma de fazer cinema deste senhor, ele era simplesmente genial, sua criatividade e a capacidade de criar gags, era imbatível, outros tentaram...mas Chaplin era único, bem lembrado por vc amiga agora que comemoramos esse mestre. abçs

SAM disse...

Não tenho nada a dizer a não ser lhe agradecer por me ter lembrado dessa figura singular que ele era. Um ator e um diretor único que vale a pena ser "revisitado" de tempos em tempos!

Maria Augusta disse...

Vi, não o conhecia bem, mas tudo que vi até agora sobre seu trabalho me agradou. Um beijão para você também e muita saúde e sucesso em 2008.

Lunna, ele foi realmente um gênio. Não conheço "Luzes da Ribalta" com a Betânia, obrigada pela dica, vou procurar conhecer. Um grande beijo.

Betho, que legal que você conhece bem os filmes dele. No momento, fala-se muito sobre ele aqui, por causa dos 30 anos de seu desaparecimento. Um abraço.

Sam, dizem que ele era mesmo singular, fez muitos amigos e inimigos. É uma figura incontornável na história do cinema.
Um beijão.

Anônimo disse...

O que gosto nos teus posts é a desprentensão.Assim ,suave, você acaba falando de coisas que todo mundo gosta.
Desejo-te um Ano Novo repleto de realizações e felicidades (e muitos efêmeros posts para nós, leitores). BJS. Liniane

Diz disse...

Concordo com a anônima acima, vc escreve com simplicidade, parece um papo. Ótimos posts. Tb amo os filmes de Chaplin.
Sabe que o Marlon Brando diz na sua biografia- escrita por ele, uma que eu comento no blog, que o C Chaplin foi o homem mais perverso que conheceu????
Incrível! tão sensível e mal. Fez horrores com o filho que se matou.
Um apena. Mas não tira o mérito dos filmes.
Vi mtos, desde menina, ia com meu pai que adorava, se emocionava.
Bjos laura

Aninha Pontes disse...

Maria Augusta minha querida, bom saber sobre ele, a gente só sabe que gosta de Carlitos, mas nada sabe.
Passando rapidinho para trazer meu beijo e desejar um ano com muita alegria e muito amor.
Esse anmo ficou marcado como o ano em que nos conhecemos, quero muito que possamos estar juntas por todo 2008.
Muita alegria para todos os seus.
Beijos querida.

Maria Augusta disse...

Liniane, legal saber que os posts são despretensiosos, numa época o pessoal dizia que parecia uma aula, acho que consegui achar o tom certo para o blog. Um Feliz Ano Novo para você também, com tudo de bom. Um beijão.

Laura, verdade que Chaplin era perverso? A gente não diria vendo o personagem de Carlitos, tão doce e gentil. Mas acho que todo gênio tem um certo desequilíbrio. Um grande beijo.

Aninha, obrigada pelos votos, desejo o mesmo para você e tua linda família. Também acho que conhecê-la foi uma grande alegria deste ano de 2007. Um beijo grande.

denise disse...

Oi, Augusta
Vim desejar um ano abençoado, e que teus projetos sejam prósperos. Visitei-te muito pouco, mas ainda há tempo de consertar isto, né, hehe.
beijo,menina

Maria Augusta disse...

Denise, é um prazer receber tua visita, volte sempre. Verdade que nos "freqüentamos" mais no "Faça a sua parte"(rs). Obrigada pelos votos e também desejo a você e aos seus muita saúde, alegrias e belas realizações em 2008.
Um grande beijo.

LUIZ SANTILLI JR. disse...

Maria Augusta
Encontrei-a no Varal do Eduardo!
Visitei Le Jardin Éphémère.
Blogo também quando posso.
Embora de avós paternos italianos, tive um avô materno nascido em Turin, quando esta cidade estava sob jurisdição da França; meu avô era cidadão francês.
Talvez isso tenha me influenciado na infância e, em 1993, quando estive por 20 dias percorrendo a França de carro, com mais dois amigos, acabei por me apaixonar.
Muito interessante seu blog, pois Chaplin foi o maior gênio da comunicação.
Hoje fico vendo a TV, e não entendo a graça reforçada com a força da palavra. Chaplin não tinha a palavra como instrumento de comunicação e fez o quê fez!
Quando teve a palavra, superou-se.
Sou fã dele desde criança, primeiro pela humor depois, mais tarde por sua profunda sutileza!
Quando tiver tempo me visite em BOA LEITURA.

Eduardo P.L. disse...

Maria Augusta,

ótimo postagem. O Chaplin ETERNO! Poucos ficarão para a história como ele!

Abçs

Só- Poesias e outros itens disse...

Maria Augusta,
fiquei muito emocionada com o seu e-mail, obrigada, gracie mille,
ando com dificuldade com o computador, estou a 1200 km de casa, e ele apresentou problemas de conexão.

Hoje consequi alguma coisa. adorei o tema de hoje sobre esse eterno artista.


beij2008s

Ju gioli

teresa disse...

Maria Augusta, que bela aula você nos dá. Adorei conhecer um pouco mais deste grande artista. E obrigada por seu comentário lá no meu blog. É verdade que você sempre me incentivou.

LUIZ SANTILLI JR. disse...

Obrigado pela visita, Maria Augusta.
Sou paulistano fanático, pois construimos um pedacinho de primeiro mundo neste canto perdido da terra!
Um enorme prazer esse nosso encontro e já linkei seu blog no BOA LEITURA!
Que em 2008 todos os seus sonhos se realizem!
Abraço final de 2007 e até 2008, com muitos encontros nas blogs!

Maria Augusta disse...

Santilli, realmente o Varal do Eduardo é um "carrefour", onde nos cruzamos todos, e sempre fazemos descobertas interessantes. Gostei muito do teu blog, vou linkar imediatamente e espero recebê-lo aqui mais vezes com seus comentários sempre tão pertinentes. Um grande abraço e Feliz 2008 para você também, com muita saúde e sucesso!

Jugioli, que gentileza vir me visitar mesmo estando em viagem. Curte bastante o passeio e um 2008 bem cheio de alegrias, felicidade e lindas poesias. Um grande beijo.

Teresa, fiquei muito contente de saber que você publicou teu primeiro livro. Parabéns, amiga e tenho certeza que outros virão. Um 2008 pleno de belas realizações é o que te desejo. Beijão.

Adelino disse...

Maria Augusta, sensacional o post com o Chaplin. Tenho diversos - quase todos os DVD dos filmes dele.
Abraços

Ricardo Beccari disse...

Genial é muito pouco para expressar, o quanto Charlie Chaplin era genial! Um trocadilho meio sem graça talvez, mas é a verdade. Uma sena como essa, política, poética, artística, e com uma edição irretocavel, ainda pelos moldes da época torna Charlie único parabéns pela escolha.

Karina disse...

Confesso q não assisti muita coisa do Chaplin, mas lembro de alguns filmes vistos na TV qdo criança, no estilo "vale a pena ver de novo".
O mito é inegável, mesmo quem não assistiu seus filmes, conhece a imagem de Carlitos. Foi ótimo saber mais sobre esse grande artista aqui.
Bjks!!!

Maria Augusta disse...

Adelino, eu o conhecia pouco, mas descobrindo seu trabalho entendi porque dizem que ele é genial. Abraço.

Ricardo, obrigada pela visita, concordo plenamente com você. Um abraço.

Karina, verdade que o Carlitos é o personagem mais famoso do cinema.
Um grande beijo.

Anônimo disse...

Eu só queria fazer um breve comentário para dizer que eu estou feliz por ter encontrado o seu blog. Graças