sexta-feira, 21 de novembro de 2008

As Sedas da Imperatriz


Photobucket


Napoleão, como todos sabem, foi um guerreiro que espalhou o medo e o sangue por toda a Europa em sua ânsia de conquista. Mas ele tinha outras facetas também, surpreendentes em relação à sua reputação. De Photobucketuma delas já falei a respeito aqui no Jardin, com suas cartas para sua amada Josefina. Uma outra era a importância que ele atribuía à decoração de seus palácios e de suas roupas. E para cultivar esta última, ele equipou e fez grandes encomendas às indústrias de seda de Lyon, que andavam paradas devido à austeridade da Revolução Francesa...(e Photobuckettambém por razões políticas, ele queria banir a moda e as roupas importadas da Inglaterra).

Então ele lançou a moda da seda em tudo : nas roupas, nosPhotobucket tapetes, nos "papéis de parede", nos móveis, até os retratos (como o da Josefina acima) eram feitos de seda, tecidas ou bordadas com os próprios fios de seda.

Os desenhos eram variados : ele apreciava as abelhas, as flores, os motivos gregos, a águia que era seu símbolo. Graças ao incentivo recebido do soberano, as indústrias prosperaram e novas técnicas se desenvolveram o Photobucketque permitiu a introdução dos motivos "jacquard", que manteve o nome de seu inventor. Estas indústrias foram precursoras da Revolução Industrial e nelas nasceram os primeiros movimentos operários organizados franceses (os "canuts"). E nesta época Photobuckettambém, a seda, que antes destinada somente à nobreza se "popularizou", e passou a ser usada também pela burguesia.

Depois da queda de Napoleão, a indústria da seda ainda se manteve no auge até por volta de 1850, quando a concorrência estrangeira e o surgimento dos tecidos sintéticos a levaram ao declínio. Atualmente, os grandes clientes da indústria da seda de Lyon são os fabricantes de móveis de luxo e os criadores da alta costura.

Roupas, objetos e móveis em seda pertencentes a Napoleão e Josefina


Este post estava previsto para sair na "Rota da Seda". Mas como a caravana estava com pressa pois queria chegar à China antes do começo dos JO, passou direto em Lyon e seguiu para Veneza (rs)...

Fonte :
Catálogo da exposição "Soies tissées, soies brodées chez l'impératrice Joséphine"
Réunion des musées nacionaux Paris 2007

18 comentários:

João Menéres disse...

MARIA AUGUSTA
AS SEDAS DA IMPERATRIZ...Cada vez que visito este excepcional blog recebo uma verdadeira lição.
Maravilhoso este slide-show. Fico espantado com tudo que a Maria Augusta nos mostra e da forma como o faz.
Só queria saber 1/10 do seu saber na técnica da construção e postagem no blog.
Muitos e sinceros parabéns.
Meu beijo de admiração.

Georgia Aegerter disse...

Bom dia!!!

Tenho saudades da Rota da Seda, foi uma série sensacional.

Achei muito válida a decisao de Bonaparte, além de valorizar e expandir o comércio da seda na Franca, cortou os cordoes da dependência. Criou ofício e lugares de trabalho para o seu país.

Lendo o seu post de fevereiro e um trecho da carta de napoleao à sua Josefina, posso imaginar que ela foi uma pessoa calma e dócil. O que ele nao estava acostumado a ver nas 3 irmas terríveis que ele teve, rs. Ou será que o amor explicaria tudo? rs

Agora, que ele sofria de uma febre por tudo, ah, isso ele sofria. Um exagerado, rs.

Como sempre um show o slide show e seu capricho. Parabéns!

Um grande beijo e bom fim de semana

Maria Augusta disse...

João, como sempre muito gentil, obrigada. Quando encontramos belas imagens, é sempre gostoso montá-las com capricho, né?
Um grande abraço.

Georgia, lembro-me que você seguiu a Rota da Seda inteirinha, leu até os posts que saíram quando voê estava de férias!
Como você disse, o Napoleão foi excessivo em tudo que fez, inclusive no seu amor pela Josefina...o que não o impediu de trocá-la por outra (dizendo que era por razões de Estado...) porque ela não podia dar um herdeiro ao trono.
Obrigada pelas palavras e um grande beijo.

Kovacs disse...

Nossa, o slide show está sensacional, não conhecia esta faceta de Napoleão. Por isso é sempre bom passar por aqui!

Meire disse...

Feliz Josephina, imagina eu la' naquela epoca? Tudo de seda, maravilha, adoro!

Bjs

Adelino disse...

Gostei da leitura, Maria Augusta. Napoleão sempre nos surpreendendo.
Grande abraço. Feliz final de semana.

Aninha Pontes disse...

Que bom gosto ele tinha né?
São peças lindíssimas e ricas.
Pois é, o que de bom houve n essa mania dele, foi mesmo o incentivo á industria.
Belo post Maria Augusta, perfeito, como são todos os seus posts.
Um beijo

Maria Augusta disse...

Kovacs, realmente é difícil imaginar ele na guerra vestindo trajes de seda, né? Mas parece que a faixa tricolor do diaporama, ele a usou na campanha do Egito.
Abraços.

Meire, parece que ela gostava das roupas mais simples, ele gostava dos trajes mais rebuscados e cheios de bordados e desenhos.
Um beijo.

Adelino, esta faceta dele é surpreendente é verdade.
Um grande abraço.

Aninha, estas indústrias foram as precursoras da Revolução Industrial e os operários já começavam a se organizar como nos sindicatos atuais.
Um grande beijo.

Cadinho RoCo disse...

Peças super trabalhadas em um período que não era fácil fazer isso.
Cadinho RoCo

expressodalinha disse...

Muito interessanta a informação e o mostruário. Os sintéticos são sempre um problema...!

Diz disse...

Qto tempo... fiquei sem conexão um tempão, estou em casa nova, cheia de trabalho.
eu amo seda, mas é quente p cá.
Belo post, como sempre.
Bjs Laura

Eduardo P.L disse...

Maria Augusta,

estou chegando! São Paulo, e hoje embarco para a Piacaba!Se o meu computador não me der um cano ( acontece quando fica desligado por mais de 24 horas....) estarei visitando e comentado e agradecendo os amigos, a partir de segunda feira!
Obrigado a você pelo apoio de SEMPRE!

Abçs

Maria Augusta disse...

Cadinho, é verdade, mas foi então que começaram os aprimoramentos técnicos, como o "tear" para fazer os motivos "jacquard", por exemplo.
Abraços.

Laura, faz tempo mesmo, também preciso ir ao teu "Caminhar". Que bom que este ano foi bom para você, viagem à Europa, casa nova...
Um grande beijo.

Eduardo, então você resistiu, conseguiu ficar uma semana longe da telinha (rs)? Obrigada por nos deixar as postagens diárias programadas automaticamente, foi muita gentileza sua.
Abraços e benvindo de volta à blogosfera.

Só- Poesias e outros itens disse...

Maria Augusta, estava com saudades de vir por aqui e, como sempre este tema é sempre bem-vindo, adoro saber sobre a Rota da seda.

bjs.

JU Gioli

luzdeluma disse...

Josefina era naturalmente elegante e parece que na época todas as mulheres queriam ser como ela. Se a moda eram roupas justas e coladas ao corpo, chegavam ao cúmulo de saírem às ruas com roupas molhadas. Vi um retrato pintado por Henri-François Riesener em que Josefina usava um espetáculo de conjunto de jóias, duas coroas e parece que a roupa que ela usava, neste retrato, foi símbolo de modernidade - brocado de seda, lógico!
Maria Augusta, Napoleão mandava cartas para Josefina, onde escrevia: “Beijo seus seios e mais embaixo, muito mais embaixo” - hehehe me diverti muito lendo isto! Porque parece, enquanto escrevia, canhões trovejavam ali perto e ela lia ao lado do Capitão Hippolyte Charles. Imagina a cena? Ela dizia ao capitão “Meu marido não me ama. Ele me idolatra. Creio que acabará maluco”
Li isto na biografia de Napoleão escrita por Steven Englund. Napoleão sabia das traições e resolveu dar o troco com Pauline Fourès, uma mulher que se disfraçava de homem para poder acompanhar as campanhas militares. Depois foram traiçoes atrás de traiçoes até que nasceu um filho bastardo e por isso ele se separou de Josefina. O filho bastardo não foi aceito e ele procurou por uma mulher sangue azul para se casar. Se puder leia essa biografia. Boa semana! Beijus

acqua disse...

Engraçado ler sobre a mulher de Napoleão que de acordo com o que eu li, gostava de coisas mais delicadas e simples. Ao contrário dele. Então fico eu aqui a imaginá-la lendo seu post. Sério. As mulheres sempre me surpreendem, assim como seus posts, a série que escrevestes foi deveras deliciosa, uma viagem realmente por esse rico mundo da seda. Tenho alguns lenços de seda que foram de minha mamma e eu sempre gostei deles, mas não tenho muito apreço pela seda em si. Mas acho o trabalho feita na seda encantador. Bem, vou ficar esperando mais histórias nesse caminho, será que virá mais? Espero que sim... Abraços meus

sonia a. mascaro disse...

Eu sempre aprendo quando venho aqui, Maria Augusta! É também sempre um grande prazer ver seus posts. Quanto trabalho e bom gosto na execução deste slide show! Parabéns!
Beijos.

Maria Augusta disse...

Ju, também estava com saudades, que bom que está de volta. Um grande beijo.

Luma, eles se amaram muito, as cartas que ele escrevia para ela do front são incríveis. O que não impediu as traições dos dois lados, que culminaram com o filho bastardo que o fez descobrir que ele não era estéril e provocou o divórcio, pois então ele resolveu criar uma linhagem e ela não podia mais ter filhos. Mas leram cartas de amor no momento do divórcio e foram amigos até o fim...
Beijos e obrigada pelos preciosos complementos.

Lunna, é verdade que ela tinha gostos simples e ele gostava de coisas sofisticadas. Quanto à seda, aprendi a apreciá-la quando fiz pintura a tendo como suporte, não a vejo como algo de luxo, mas gosto de sua delicadeza e transparência.
Um grande beijo.

Sonia, obrigada pela visita e pelo gentil comentário.
Beijos.