sábado, 15 de novembro de 2008

A Tiete

Quando vi o título desta tertúlia pensei com os meus botões : Zut, já escrevi aqui sobre meu ídolo, quer dizer, minha ídola, Marie Curie. Aliás escrevi com tanta empolgação que entre os quase duzentos posts que já fiz foi o que fez o maior sucesso, o que mais repercutiu na blogosfera . Resultado : acho que quase todos os amigos que me visitam já o leram, não posso reapresentá-lo para a Tertúlia (se ainda não viu ele está aqui)...

Então me veio à mente um episódio que vivi aqui em Nancy há algum tempo, uma verdadeira crise de tietagem. Na época, fazia um cursinho de tratamento de imagens por computador, numa MJC aqui pertinho de casa. Eis que um dia chegando ao curso o professor me disse :

- Marriá, não temos aula hoje. Fomos todos convocados à prefeitura pois tem um ministro de passagem na cidade que deseja encontrar pessoas dos vários setores de atividades. Gostaríamos que você viesse conosco para representar nossos usuários.

- Eeeuuu??? Porque eu, os outros não quiseram ir? (ai, ai, ai, que programa de índio, tinha que sobrar pra mim...)

- Pensamos em você porque é de sua área, trata-se da Ministra da Pesquisa e das Novas Tecnologias, Claudie Haignéré.

Neste momento "caíu a ficha" :

-Claudie Haignéré, a ministra_médica-cientista_espaçonauta??!!!!! Porque não disse antes, ela é minha ídola??!!

E lá fomos nós. Esperamos um pouco, a comitiva estava atrasada...aí eles chegaram. Ela alta, magra, elegantíssima, dava a volta na sala parando em cada mesa e ouvia com atenção todos as reivindicações e queixas de cada uma das universidades e associações (que "muro das lamentações", pensei, acho que ela prefereria estar no espaço)...

Enfim chegou à nossa mesa. Como combinado, a diretora falou em nome da MJC e nos apresentou, ela apertou a mão de todos (ai, meu Deus, imagine, apertei aquela mão que já esteve no espaço sideral) Eu, lá de boca aberta como uma tonta, queixo caído, só não pedi um autógrafo porque fiquei com vergonha...e então ela me olhou e disse : "E você, o que tem para nos contar?" Acho que levei alguns segundos para responder, não esperava e não havia preparado nada...Mas falei da minha empresa e do impacto do que aprendia da MJC no meu trabalho. Quando acabei ela me disse "C'est formidable!" (Gente, ela falou comigo e disse que o que faço é formidável...ai, meu Deus, eu é que vou entrar em órbita).

E ela continuou seu caminho e foi então que reconheci o conjuntinho que ela estava usando...tinha comprado um igualzinho há alguns dias atrás numa loja do shopping em Nancy (é o que ela está usando nesta foto à direita). Daí que fiquei mais tonta ainda : minha ídola e eu temos o mesmo gosto vestimentar!

Pisando nas nuvens, cheguei em casa e disse a meu marido : Não lavo a mão durante 3 dias, apertei a mão de Claudie Haigneré!!! Parece criança, está no mundo da lua, ele disse rindo.

E é mesmo, quanto a gente pode parecer boba diante das pessoas que admiramos!



Claudie ANDRE-DESHAYS é médica reumatóloga, tendo trabalhado nesta área dirante vários anos no hospital Cochin em Paris. Especailizada em medicina espacial, coordenou as pesquisas franco-russas no domínio da fisiologia humana realizadas a estação espacial Mir. Seu primeiro vôo espacial que durou 16 dias foi realizado no contexto da missão franco-russa Cassiopée em direção da estação MIR, onde realizou experiências na area médica. O segundo realizado em 2001 com duração de 8 dias teve como destino a ISS, sendo que ela foi a primeira européia a habitar esta estação espacial internacional. Foi Ministra da Pesquisa e Novas Tecnologias e Ministra dos Assuntos Europeus no governo de Jacques Chirac. É casada com o espaçonauta Jean-Pierre Haignéré e tem uma filha.(Saiba mais sobre ela aqui).



Este post faz parte da Tertúlia Virtual organizada pelo Varal de Idéias e pelo Expresso da Linha.




Alto da Página

23 comentários:

Meire disse...

Guta bom dia!

Mas isso nao é tietagem, isso é uma honra, motivo de orgulho e foi legal voce compartilhar este seu momento conosco.
Bjs

Meire

Só- Poesias e outros itens disse...

Maria Augusta, uma delícia ler sobre seu ídolo, adorei. Que bom tudo isso que te aconteceu.


bjs.


JU Gioli

sonia a. mascaro disse...

Maria Augusta,
Foi um prazer ler esta sua experiência com um de seus ídolos! Tão humano e envolvente o seu relato... adorei!
Bjs.

Jacinta Dantas disse...

É Maria,
talvez, muitas respostas a tantas inquietações estão nessa que parece ser uma simples atitude diante da vida. Deixar-se Ser criança. Mesmo que seja diante de quem nós admiramos.
Um abraço

disse...

Maria Augusta...encontros como este se tornam realmente inesquecíveis...O meu com Fred Astaire nos idos dos anos 70,também foi assim...Grande postagem, Beijos Vi

Georgia disse...

Maria Augusta, esse momento na sua vida ficou inesquecível, nao é mesmo?

Eu acho que tb nao ia querer lavar a mao tao cedo.

E o conjuntinho ainda existe?

Um grande beijo e vou descansar sim, li tudo que chegou até hoje. Sei que vao chegar alguns ainda no comeco da semana por pessoas que tiveram algum problema. Mas gostei muito dessa blogagem. Primeiro porque durou uma semana e outro porque as pessoas coloram prá fora algo que devia está guardado, mas que precisa ser exposto.

Bom fim de semana e obrigada pelas visitas todos os dias acompanhando os posts lá na Saia.

João Menéres disse...

Excitante esse momento, não foi Maria Augusta ?
Adorei ler toda a descrição que faz. Há factos que, por importantes que sejam, muitos se vão esquecendo.
A Maria Augusta, para além de contar um facto da sua realidade, ajudou-me, e muito, a viajar para o tempo passado, o que muito agradeço.
Imagine, que eu próprio, recebi das mãos do Bertrand Piccard (outro "aéreo" - este deu a volta ao mundo em balão !) um prémio de Fotografia, no Grande Auditório da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, facto que durante anos alimentou meu "album memorial" e
que a Maria Augusta, agora, me permitiu despertar!
ATÉ POR ISSO, lhe fico muito agradecido...
A sua postagem é excelente e a inclusão do vídeo é preciosa.

acqua disse...

Boa tarde, acho que quando admiramos alguém e temos a possibilidade de estar diante do olhar desse pessoa, que para nós, será alguém mágico e acima da média com toda certeza - nossas reações são o que menos interessa e sim as sensações...
Muito legal ler seu post sobre seu ídolo. Há pouco enquanto escrevia sobre o tema estava pensando comigo, poderia falar de muitas pessoas mas apenas uma realmente me fez sentir arrepiada e lisonjeada por dividir a realidade com ela... É incrível como admiramos alguém por motivos simples que para a gente é algo espetaculoso e unico. Abraços meus

Anônimo disse...

Viva, Maria Augusta!

A sua descrição é ainda tão forte e impressionada que até eu, que não sou dessas coisas fiquei... atónito!

Sabe, também é bom e social ter admirações dessas.

Sans quelque doute, un grand "post", mon amie!

Abraço

Ruben
http://ruvasa2a.blogspot.com/

Alice Salles disse...

Ai que delicia, me empolguei com você! Realmente poder encontrar assim um ídolo de perto deve ser uma sensação única!

expressodalinha disse...

Fantástica descrição de encontros imediatos com o objecto idolatrado. Gostei muito de ler.

peri s.c. disse...

Maria Augusta
Ótima hitória sobre as boas surpresas do destino .

Adelino disse...

Maria Augusta, simplesmente fiquei maravilhado com o seu depoimento. Um ídolo perfeito o seu, pois motivos não faltaram e ainda não faltam, claro.
E como era/é bonita a moça-astronauta!
Um grande abraço, feliz final de semana.

Milouska disse...

A vida também nos prega boas partidas.
E conhecer os nossos ídolos pessoalmente, em circunstâncias inesperadas, é absolutamente emocionante.
Um abraço e bom domingo,

Milouska

Maria Augusta disse...

Meire, é verdade que não tive as manifestações externas da tietagem (não gritei nem bati palmas rs) mas que me deu vontade de pedir um autógrafo, lá isso deu...
Beijos.

Ju, em geral não aprecio muito os políticos, mas neste caso com toda sua trajetória anterior, tinha (e tenho)uma grande admiração por ela.
Beijos.

Sonia, pensei que seria interessante descrever estas sensações, que bom que você gostou.
Um grande beijo.

Maria Augusta disse...

Jacinta, acho que temos essa criança capaz de se deslumbrar dentro de nós e às vezes ela se manifesta diante de certas situações...mas se deve dominá-la e agir como adulto, é uma pena.
Beijos.

Vi, imagino o que você sentiu conhecendo o Fred Astaire, você deve ter se sentido num daqueles filmes de Hollywood...
Um grande beijo.

Georgia, o conjuntinho existe sim, mas está apertado, acho que encolheu rs. Aproveite bem teu merecido descanso depois desta semana de coletiva tão bem organizada!
Beijos.

Maria Augusta disse...

João, receber um prêmio das mãos do Bertrand Picard na fundação Calouste Gulbenkian deve ser um momento inesquecível mesmo. Obrigada por nos contar e parabéns pelo prêmio.
Abraços.

Lunna, muitas vezes nossas reações não correspondem às sensações, afinal precisamos nos dominar e agir "comme il faut".
Verdade que também admiramos pessoas próximas do nosso dia a dia, que nos inspiram continuamente.
Um grande beijo.

Ruben, que bom que gostou, com o "recul" me pergunto porque tive esta atitude "infantil" mas ainda não consegui explicá-la.
Um grande abraço.

Maria Augusta disse...

Alice, foi uma sensação única realmente, falar com uma pessoa que já esteve tão longe da Terra...
Um beijo.

Jorge, esses encontros imediatos (e inesperados) de n-ésimo grau com o objeto admirado são fascinantes.
Abraços.

Peri, foi realmente uma surpresa, acho que por isso foi ainda melhor.
Abraços.

Adelino, ela é bonita sim, do tipo atlético, e natural mantem os cabelos brancos realçados por um belo corte de cabelos.
Um grande abraço.

Milouska, é verdade, saí de casa para ir a um cursinho "ali na esquina" e encontrei uma astronauta. Coisas inesperadas e interessantes da vida...
Beijos e bom domingo para você também.

Celia disse...

Maria Augusta, eu tambem já passei por uma situacao parecida. Só que era na área da musica. Apertei a mao do meu idolo, uma vez que ele foi cantar na minha cidade. Tambem pensei em nao lavar a mao por um longo periodo. Nao é tietagem, acho, foi pra mim uma grande ocasiao, uma honra.
Tenha uma boa semana. Bj
Obrigada pelas palavras carinhosas lá no blog. Vc é muito querida.

disse...

Beijos e até a volta...

teresa disse...

ahahahahahahahahahahahahahahah!!!!!!!!!!! que tietagem bem contada!!!!!!

Maria Augusta disse...

Célia, é uma sensação muito boa ver de perto as pessoas que admiramos, né?
Um grande beijo.

Ví, boas férias do Novitá, vamos sentir tua falta. Até breve.
Beijos.

Teresa, "la honte", parecia criança, né? (rs)
Beijos.

Eduardo P.L disse...

Maria Augusta,

gostei MUITO de conhecer sua ÍDALA!!!!Existe?? Parabéns! Obrigado por participar, SEMPRE, destas NOSSAS Tertúlias! Voltarei com mais tempo, assim que chegar na Piacaba!

Abçs