terça-feira, 15 de julho de 2008

A Procura de Shangri-lá



Photobucket

Nas lendas asiáticas, Shangri-lá (ou Samballah) é o centro espiritual da Terra, onde se prepara a renovação espiritual da humanidade. No hinduísmo, Shangri-lá é o "país do sagrado e da paz" e é considerado como um lugar real. No entanto, desde que o escritor James Hilton, certamente baseado nestas lendas, deu o nome de Shangri-lá a um lugar que seria a moradia de uma sociedade perfeita em seu romance "Horizonte Perdido" (que deu origem a 2 filmes), que o mundo conhece um frenesi procurando localizar este lugar idílico.

PhotobucketEle se situaria nos confins do Himalaia, completamente isolado do resto do mundo. Muitos lugares já se candidataram afirmando ser Shangri-lá. Pesquisando para a série "Rota da Seda", descobri que nela vive o povo do vale de Hunza, no Cachemira, a 5300 m de altitude, que é considerado como habitante de Shangri-lá. Neste vale fértil, onde se cultivava os damascos, uvas e cereais, eles viviam isolados do mundo, alcançavam mais de cem anos em perfeita saúde e harmonia.

PhotobucketO Butão, o pequeno reino situado entre a Índia e a China, que esteve fechado ao contato com o mundo até 1970, também se apresenta como o último Shangri-lá e seus argumentos são a paz e a cordialidade de seu povo, seus monastérios e sua posição idílica, incrustrado nas montanhas do Himalaia. A China por sua vez decidiu que Shangri-lá fica em seu território : rebatizou a cidade de Zhongjian, da província de Yunam de Shangri-lá! Aliás neste país pode-se pegar o trem chamado "Shangri-lá Express" que o atravessa até a fronteira com a ex-União Soviética.

Vendo tudo isto, fico aqui pensando com meus botões : mas porque o ser humano precisa correr atrás deste lugar perfeito onde os problemas não existem e ele pode ser feliz para sempre? Porque ele vai sempre procurá-lo em lugares longínquos e inacessíveis? Na minha opinião, o melhor lugar do mundo, o verdadeiro Shangri-lá é aquele no qual estamos próximos de nossos entes queridos e em paz conosco mesmo, logo ele não tem um endereço fixo, pode ser em qualquer cidade ou país. Independentemente dos problemas "lá fora", pode ser um cidade do Velho Mundo, ou outra que seja uma megalópole barulhenta (e poluída...), podemos sempre alcançar nosso Shangri-lá, pois o levamos dentro de nossos corações e o recriamos cada vez que nos sentimos felizes . E você, já encontrou teu Shangri-lá?

Este post faz parte da "Tertúlia Virtual" proposta pelo Varal de Idéias e pelo Expresso da Linha, que ocorre todo dia 15 de cada mês.


Alto da Página




Burt Bacharach - Introduction / Lost Horizon.mp3
Download at rapidlibrary mp3 music
Rapid Library Music



24 comentários:

expressodalinha disse...

Inaugurou as Tertúlias com um belo texto cheio de intimismo e esperança. Acho que andamos sempre em busca desse Shangri-lá mítico. É bom que assim seja, em minha opinião. O inalcansável exige de nós uma superação permanente. O Shangri-lá somos nós em busca de nós próprios.
Obrigado pela participação.
Um grande beijo.

Eduardo P.L. disse...

Repito as boas e certas palavras do Jorge, com respeito ao primeiro texto da TERTÚLIA. Iniciamos bem. E com um som maravilhoso!
Parabéns e obrigado por participar!

disse...

Lindo de morrer...que bela idéia que tem tudo a ver com suas postagens...bravo minha amiga....bravo


beijos

Allan Robert P. J. disse...

O meu Shangrilá encontra-se junto com minhas filhas e a Eloá de sempre. E já fazem 13 anos que o encontrei. :)

Ruvasa disse...

Viva, Maria Augusta!

Se outras virtudes não tivesse a ideia do Eduardo e do Jorge, teria tido pelo menos esta: dar-nos a conhecer outras pessoas, outras formas de pensar, outras formas de expressão escrita.

O seu texto é de uma riqueza extraordinária e fico admirador. De tal modo que vou linkar.

Quanto ao meu Shangri-la, sim, já o encontrei. E não o largo, muito embora o possa ceder por momentos. Não mais do que isso, porque me falta.

Foi um prazer, Maria Augusta, creia.

Saudações cordiais

Ruben

Só- Poesias e outros itens disse...

Maria Augusta, lindo texto. Adorei suas reflexões, e concordo que o melhor lugar do mundo é sempre aquele que você alcança em sua interioridade uma sabedoria só sua, e muito particular, e ele pode ser o mundo ou dentro de você.

bjs.

JU Gioli

Betho Sides disse...

Guta...O texto é maravilhoso e sua tese correta! Eu mesmo moro em Shangri-lá...Sim amiga onde eu moro é o meu! Tranquilo, a beira da Mata Atlântica de frente para o mar, junto dos entes queridos, claro um ou outro problema existe, mas qual a graça se não existissem? Beijos

teresa disse...

esse texto é misticismo puro! concordo com você que nosso sangri-lá é dentro do nosso coração, quando aceitamos viver em paz com Deus, nós mesmos, nossos semelhantes e nosso planeta.

camille disse...

Oi Maria Augusta,
Quando eu era pequena vi um filme chamado Shangri-la qu eme marcou muito, por que as pessoas la nao envelheciam. O que lembro � que uma mo�a linda se apaixona por um cara, um expedidor talvez que encontra o lugar misterioso e resolve leva-la de la. Ela vira uma velhinha toda enrugadinha e morre no caminho, na saida. Entao devia ser uma representa�o dessa Shangri-la que voce esta falando.Essa coisa de querer um lugar para ser feliz e nao envelhecer � muito metaforica. Melhor que nao envelhecer � aproveitar plenamente o que se tem de juventude, por que tudo � mesmo ephemere, como diz voce. Foi a Laura que me indicou seu blog. Gostei muito, voltarei.
Beijos,
Cam

sonia a.m. disse...

Linda participação, Maria Augusta! Tanta sabedoria nestas suas palavras: "podemos sempre alcançar nosso Shangri-lá, pois o levamos dentro de nossos corações e o recriamos cada vez que nos sentimos felize"!

Obrigada pela visita à minha casa! Você será sempre bem-vinda!
Beijos!

ery roberto disse...

Maria Augusta, seu texto me cativou. Com ele "viajei" em sua agradável companhia por todos esses lugares maravilhosos. Além de uma grande aventura, ficou a certeza que o "verdadeiro Shangli-lá" carregamos dentro de nós próprios.

Adorei esta iniciativa, mais que proveitosa, pois, além da troca de conhecimentos, proporciona a rara oportunidade de fazer novos amigos. Aliás, este é o meu mote: o melhor lugar do mundo é aquele onde encontramos verdadeiros amigos. Tenhocerteza queaqui em seu blog está um deles.

Abraço.

Ery Roberto Corrêa
www.infinitopositivo.blogger.com.br

Francine Esqueda disse...

Adorei teu blog, inspirador... Foi delicioso passear por aqui!
Aos poucos vou vasculhar teu "passado"...
Me aguarde!!
Um Grande abraço.

Ps:Lindo seu melhor lugar!!!

peri s.c. disse...

Maria Augusta,
a descoberta e vivencia do nosso Shangri-lá pessoal é o desafio de uma vida. Belo texto.

SOTAQUE MIX disse...

Concordo com todos, são belas suas palavras neste texto. Aliás, tudo que você escreve aqui é com muito capricho.
Shangri-lá tem mesmo este "mistério", misticismo e já foi cantado e exaltado também pela cultura hippie. Mas, como você disse, cada um pode ter o seu, não importa em que lugar do planeta você esteja.
Abraço

Maria Augusta disse...

Jorge, foi um prazer participar desta tertúlia. Gostei da tua frase "o inalcançável exige de nós uma superação permanente". É verdade, porisso deve haver um momento em que devemos colocar nossas metas mais próximas de nós. Um grande abraço e parabéns pelo sucesso desta primeira tertúlia.

Eduardo, parabéns pelo sucesso desta tertúlia. Foi muito interessante conhecer o que cada um considera seu melhor lugar no mundo, permitiu que nos conhecêssemos melhor uns aos outros. Tomara que as próximas tenham tanto sucesso quanto esta.
Abração.

Vi, realmente foi pesquisando para a Rota da Seda que descobri quantos lugares se auto-denominam ou são denominados Shangri-lá. E daí pensei na razão porque eles o fazem. Também gostei muito da tua abordagem do tema, Shangri-lá é estar com a pessoa que amamos.
Um beijão.

Allan, que bom que você encontrou teu Shangri-lá junto à tua família, acho que isto é que é importante, valorizar cada momento vivido ao lado de nossos entes queridos. Obrigada pela visita e um grande abraço.

Maria Augusta disse...

Ruben, é verdade que encontrar novos lugares nesta blogosfera graças à esta tertúlia foi muito agradável, finalmente a blogsofera também é um dos melhores lugares do mundo... Que bom que você já encontrou teu Shangri-lá. Para mim também foi um prazer conhecer teu blog. Um abração.

Ju, tua participação nesta tertúlia foi muito linda e emocionante. Achei que você foi muito generosa por compartilhar este momento conosco. Um grande beijo.

Teresa, pelo teu post atual, vejo que você encontrou teu Shangri-lá em Paris, fico muito contente. Um grande beijo.

Camille, o blog da Laura foi um dos primeiros que conheci e que me encorajaram a fazer um, gosto muito dela. O filme do qual fala deve ser o "Horizonte Perdido" de 1973, o fundo musical deste post foi tirado dele. Muito obrigada pela visita e volte sempre.
Um beijo.

Sonia, obrigada por tuas palavras e por ter aberto tua casa para esta tertúlia virtual. Um grande beijo.

Maria Augusta disse...

Betho, um lugar bonito onde você vive ao lado dos entes queridos, que bom que você vive no "melhor lugar do mundo". Um grande abraço.

Ery, obrigada pela visita, concordo com você esta oportunidade de conhecermos novos amigos na blogosfera graças a esta tertulia foi realmente um grande mérito dela, e tornou a blogosfera um dos melhores lugares do mundo. Obrigada pela visita e volte sempre.
Um abraço.

Francine, também gostei do teu melhor lugar no mundo. Obrigada pelas tuas palavras, e pode vir passear aqui no Jardin quando quiser, sera sempre benvinda. Um beijo.

Peri, descobrir nosso Shangri-la pessoal pode levar uma vida, talvez porque nem sempre encontramos o caminho certo para atingi-lo...Um abraço.

Sotaquemix, esta procura da perfeição inatingivel faz parte da natureza humana, cada cultura o procura de um modo diferente.
Obrigada pela visita e um abraço.

Aninha Pontes disse...

Maria Augusta querida, confesso que vim até aqui ver seu post, mas esperando algo assim com essa grandeza.
Pela sua sensibilidade e pureza.
É isso, simples assim.
Encontrei meu Shangri-lá, "aqui". Onde estou, feliz, resolvendo os problemas que aparecem, porque eles existem, e não podemos fechar os olhos à eles.
Este é o melhor do mundo, e por aqui quero ficar.
Um beijo

valter ferraz disse...

Maria Augusta, agradeço a visita ao Perplexo.
Neste mundo da blogosfera podemos encontrar nosso "paraíso perdido", ao menos parte dele. A outra parte com certeza, encontraremos dentro de nós mesmos.
Beijo, menina

Dora disse...

Minha querida! Estou em falta com você. Depois da FLIP, em Paraty, tive inúmeros problemas(assim que botei os pés em casa...). Até chorei, lendo seu post, porque eu estava desejando meu "Shangri-lá", com enorme força, nesses dias...
Assisti ao filme, "Horizonte perdido", faz tempo. Na época, lembro-me que fiquei a imaginar um "paraíso semelhante" que se estendesse a toda a humanidade.
Adorei seu post! E continuo a buscar meu "Shangri-lá"...mais do que nunca!
Beijo de carinho e saudade.
Dora

Maria Augusta disse...

Aninha, acho que você é uma pessoa feliz, pois colocou teu Shangri-lá em um lugar sobre o qual você tem a possibilidade de agir e resolver os eventuais problemas que surjam. Parabéns e um beijão.

Valter, legal que você reativou o Perplexo para esta tertúlia. Talvez você tenha razão e uma parte do Shangri-lá esteja na blogosfera, pois nela podemos idealizar o nosso universo se quisermos. Um abraço.

Dora, espero que teus problemas se resolvam e que você encontre em breve teu Shangri-lá. Obrigada pela visita e um grande beijo.

Francisco Castelo Branco disse...

Muito bem!
Excelente texto a fazer relembrar Shangri-la

Esse lugar mitico, ou o Butão

Fernanda R. Lima disse...

Oi Maria Augusta! Primeiramente, obrigada pelo comentário no meu blog... ainda sou uma inciante nesse mundo! E parabéns por esse post tão interessante. Não sabia dessas histórias a respeito de Shangri-lá... e concordo com vc.. o Shangri-lá está tão perto das pessoas... na verdade dentro da gente.. é só abrir o coração... um beijo!

Maria Augusta disse...

Francisco, obrigada pela visita e pelo gentil comentário, volte sempre. Um abraço.

Fernanda, verdade que precisamos abrir o coração e a mente para atingir nosso Shangri-lá, o que às vezes não é fácil. Obrigada pela visita.
Um beijo.