terça-feira, 8 de julho de 2008

Declinações




Muitos milênios depois que a princesa deixou cair o casulo na sua xícara, puxou o fio delicado e descobriu a seda, ela ainda continua a ser um material apreciado no mundo inteiro por sua suavidade, textura e transparência. Pura ou combinada com outros materiais, bordada ou pintada, ela sempre estimulou a criatividade. Vejam o que os artistas da alta costura fizeram utilizando a seda nestes desfiles das coleções outono-inverno 2008-2009 em Paris. Pelo prazer dos olhos...


E a delicadeza da seda não inspirou somente os artistas da alta costura, mas também os artistas das palavras, como neste poema de João Cabral de Melo Neto. Pelo prazer da alma...



A PALAVRA SEDA


A atmosfera que te envolve
atinge tais atmosferas
que transforma muitas coisas que te concernem, ou cercam.

E como as coisas,
palavras impossíveis de poema:
exemplo, a palavra ouro,
e até este poema, seda.

É certo que tua pessoa
não faz dormir, mas desperta;
nem é sedante, palavra
derivada da de seda.

E é certo que a superfície
de tua pessoa externa,
de tua pele e de tudo
isso que em ti se tateia,

nada tem da superfície
luxuosa, falsa, acadêmica,
de uma superfície quando
se diz que ela é “como seda”.

Mas em ti, em algum ponto,
talvez fora de ti mesma,
talvez mesmo no ambiente
que retesas quando chegas,

há algo de muscular,
de animal, carnal, pantera,
de felino, da substância
felina, ou sua maneira,

de animal, de animalmente,
de cru, de cruel, de crueza, que sob a palavra gasta
persiste na coisa seda.

João Cabral de Melo Neto
Quaderna, 1956-1959

E pelo prazer da companhia, espero vocês para a continuação de nossa aventura pela Rota da Seda. Até breve...

Veja mais :

Todos os desfiles de alta costura outono-inverno 2008-2009 em Paris

A imagem das barras laterais veio daqui.


Alto da Página



11 comentários:

Lunna Montez'zinny disse...

Olá caríssima, mais uma vez ficou deliciosa essa viagem. Adorei o poema de João Cabral de Melo Neto (não conhecia).
Uma das coisas que eu gosto e confesso ter vários, de todas as cores que eu já consegui encontrar, são os lenços de seda. Sou apaixonada por eles e sempre levo um comigo na bolsa, no pescoço, como parte integrante da roupa (rs).
Beijos e tenha um lindo dia...

Ps. Será que chove hoje?

Só- Poesias e outros itens disse...

Maria Augusta,
pelo prazer de ver e....ouvir.
Jarre é extraordinário na composição.

bjs.

JU Gioli

João Videira Santos disse...

Paris? Sempre! Que cidade...Tive o prazer de conviver com o mundo da moda e com alguns stars du cinéma! Paris? Sempre!

Flavia Sereia disse...

Antigamente era a seda, hoje em dia o material tá mudando por causa da visão ecologista.

Sobre o que vc os comentarios no blog, só dá para vc colocar os dois ( haloscan e blogger) se vc mudar o o layout do seu blog para o modo padrão, ai seu template fica no estilo html e assim tem como por os dois, só que assim, quando vc for precisar por qualquer coisa, um link de amigo, um script, vai ser tudo no html, não vai ser do jeito que é hoje, onde vc vai seleciona uma opção e faz tudo automatico, vai ter que ser na unha mesmo rs
Se te interessar me avisa que se for preciso eu te ajudo.

bjs

Maria Augusta disse...

Lunna, fico contente com tua companhia nesta viagem virtual e obrigada pelo link. A suavidade ao toque da seda é realmente muito agradavél, né?
Um beijão.

Ju, Jean-Michel Jarre é um dos grandes compositores atuais. Interessante como ele não envelhece fisicamente, ele tem a mesma aprência há anos...
Grande beijo.

João, "Paris toujours Paris", é verdade. Obrigada pela visita e volte sempre.
Um abraço.

Flavia, ainda não havia ouvido falar de restrições ecológicas em relação à seda, vou investigar. E obrigada também por ter verificado a instalação do haloscan para mim, se for preciso voltar ao HTML agora que estou me acostumando com o XML, vou deixar assim mesmo.
Um grande beijo.

Aninha Pontes disse...

Maria Augusta, masi um belo post.
Menian que cois alinda esses slides.
São peças lindíssimas, como tem que ser, partindo da seda.
Dá para sentir o conforto e a beleza de perto.
Belíssimo.
Um beijo

disse...

Êta, hem, minha querida amiga ...cada vez melhor....que sofisticação...vc disse tudo um prazer para os olhos e ouvidos.
Deslumbre total este vestidos que parecem nuvens...
Lindo lindo..Obrigada e mil beijos

Eduardo P.L. disse...

Maria Augusta,

linda postagem. linda música!Lindas ilustrações! Um show!

Maria Augusta disse...

Aninha, imagino que para você que lida com moda é legal ver o que esta sendo criado ou (ou recriado). Acho que a alta costura é uma arte, gosto de ver a criatividade que se renova a cada ano. Um beijo.

Vi, também gostei destes vestidos "vaporosos", parecem nuvens mesmo.
Beijo.

Eduardo, obrigada, esta postagem ficou meio "feminina", ainda bem que gostou.
Abraço.

expressodalinha disse...

TERTÚLIA VIRTUAL DIA 15, 3ª FEIRA. TEMA: O MELHOR LUGAR DO MUNDO.

Diz disse...

Maria Augusta, primeiro obrigada pelos comentários lá. Tb acho que alguns 'bandidos' ainda têm uma brecha p se tocar sensilvemente, infelizmente numa situação de stress fica difícil.

Menina, que delícia os desfiles. Adoro alta costura, fico babando pela beleza e ousadia. Eu acho que seria boa nisto, gosto- mas nunca investi, não dá pra fazer tudo que se quer na vida. Eu tenoum lado esteta mto forte, bom olhar.
Ficou dez seu post, aliás...
tu tens caprichado mto, bom isto.
:)
Bjs Laura