segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Os Guerreiros da Eternidade

Photobucket

Depois desta longa viagem, nossa caravana chega enfim a seu destino, a cidade chinesa de Xi'an, de 7 milhões de habitantes e bastante dinâmica, onde foi construído o primeiro satélite espacial chinês assim como seu foguete de lançamento. Foi a capital da China na época da dinastia Qin, que deu o nome ao país e também da dinastia Han, época na qual partiu o general Zhang Qian, que "abriu" a Rota da Seda no século II aC.
Photobucket

Nela viveu Shihuang, o primeiro imperador, aquele que unificou a China com mão de ferro (ou de bronze, que era o material usado para fazer as armas na época...), que construíu a Grande Muralha (unindo as muralhas já existentes que protegiam o país dos nômades do post anterior) e também aquele que queimou todos os livros religiosos e filosóficos... e que, apesar de buscar desesperadamente a imortalidade, criou a oitava maravilha do mundo, "Os Guerreiros da Eternidade".
Photobucket
"No começo de seu reino, Shihuang mandou cavar e preparar a montanha Li. Depois, quando ele teve em suas mãos todo um império, os trabalhadores que para ela foram enviados foram em número de mais de 700000 ; cavou-se o solo até encontrar água ; nela se fez escorrer o bronze e se preparou um sarcófago : palácios, todas as administrações, utensílios maravilhosos, jóias e objetos raros foram para lá transportados e empilhados e preencheram a jazigo. Os artesões receberam a ordem de fabricar arbaletes e flechas automáticas; se alguém quisesse nela entrar seria imediatamente alvejado. Com mercúrio se fez os cem cursos d'água, le Liang, le He, e a vastidão do mar ; máquinas os fizeram escoar e se transmitirem uns aos outros. No alto estavam todos os sinais do céu ; embaixo toda a disposição geográfica...Plantaram-se arbustos e plantas para que o túmulo tenha o aspecto de uma montanha."
Photobucket

O texto acima é um escrito antigo que se referia ao primeiro imperador da China, no entanto nenhuma evidência existia para comprovar sua veracidade...até 1974, quando um fazendeiro da cidade de Xi'an, cavando um poço encontrou cabeças e corpos em tamanho natural de soldados em terracota. A continuação das escavações trouxe à luz a maior descoberta arqueológica do século XX, a reprodução de um exército inteiro armado e em posição de combate, espalhadas em 3 fossos contendo 7000 soldados, cavalos que puxavam carroças de combate, cavaleiros e estátuas de terracota.

Photobucket

Segundo os historiadores a finalidade deste exército seria a de proteger o imperador do lado de lá, pois segundo as crenças da época existiam 2 almas, uma celeste e uma terrestre, e esta precisava de tudo que a pessoa possuía na Terra para poder continuar após a morte. Estes guerreiros teriam sido montados um a um a partir de módulos que eram combinados de modo a formar soldados, oficiais, generais, todos com os apetrechos dos verdadeiros soldados. E apesar de terem sido constituídos a partir de módulos padronizados todos tem um rosto diferente (eu vi alguns na exposição da Pinacoteca de Paris e realmente eles são muito expressivos, parece que estão vivos).

Photobucket

A continuação das escavações se aproximando do túmulo do imperador revelou a presença de outros fossos, no primeiro foram encontrados pedaços de armaduras de pedra (numerados, o que permitiu sua reconstituição), na seguinte 11 estátuas de acrobatas mostrando que o soberano levava também os espetáculos que apreciava, um outro fosso com funcionários que foram identificados graças às suas ferramentas de trabalho como escribas e cocheiros. E a descoberta mais espetacular foi um fosso contendo pássaros de bronze - cisnes, gansos, pousados sobre o que seria um curso d'água fictício e também 15 estátuas representanto músicos tocando seus instrumentos.


Photobucket

Atualmente as escavações avançam com muito cuidado, pois as peças que foram desenterradas reagiram com o ar e começaram a rachar. O sarcófago do imperador também não foi aberto, pois as autoridades acreditam que ainda não existe uma tecnologia disponível para fazê-lo com segurança.

E é aqui em Xi'an, diante da oitava maravilha do mundo, que encerramos esta série "Rota da Seda" e nossa caravana se desfaz. Claro que o assunto não está esgotado, muito pelo contrário, de vez em quando voltarei a ele. Muito obrigada a todos que nos acompanharam nesta aventura virtual por épocas, paisagens e culturas tão diferentes...e bom retorno !



Update 05/08/2008

O nosso amigo Ruben do blog "O Sítio do Ruvasa", visitou em Xi'an o lugar onde os "Guerreiros da Eternidade" estão enterrados e os descreve em seu post "O Arqueiro do Imperador Qin".

Veja um vídeo sobre o assunto aqui.

Update 08/08/2008

Veja aqui um diaporama em tamanho grande com as fotos de Xi'an tiradas pelo Ruben do blog "O Sítio do Ruvasa", que ele teve a gentileza de nos enviar.




Alto da Página

26 comentários:

Só- Poesias e outros itens disse...

Maria Augusta,
tanta beleza e sensibilidade neste posts de hoje e sempre, neste tema maravilhoso da rota da seda.
Parabéns!!!!
A escolha do som está divina.

bjs.

JU Gioli

gilrang disse...

maria,

nós é que agradecemos...

Luma disse...

Taí uma coisa que gostaria de ver antes de morrer. Sentir de perto o esforço de escravos e o de Shihuang para se tornar presente após a morte. Lembra os faraós, não? Boa semana!! Beijus

Lunna Montez'zinny disse...

Olá Maria Augusta, boa tarde - cá estou eu a ler sobre a China em seu blog. O assunto da semana. Claro que aqui os sentidos são outros e a viagem nos deixa com água na boca. Mas confesso que estou tentando não me deixar levar pela decepção com relação a esse país que só pensa em ser um gigante. Diminuíram a pobreza sim, mas o povo parece só pensar no dinheiro e não em si mesmo. Eu sei, não conhecem outra expressão, afinal, se fizermos um retrospecto, vamos descobrir que sempre foi assim. A China dos dominados e dos que mandam.
Há uma riqueza de filosofias, pensamentos, histórias, mas também há tanto sangue sobre tudo isso.
Bem, vou fazer silencio agora.
Abraços meus

LUIZ SANTILLI JR. disse...

Olá

Surpreendente postagem, além de belíssima!
Os chineses são tão diferentes dos demais humanos, em seus hábitos, tradições e conceitos e até em suas crenças, que às vezes me pergunto:
Não seriam eles verdadeiros Extra Terrestres?

Abraço

Luiz

Maria Augusta disse...

Ju, obrigada, esta música é tocada com os instrumentos tradicionais deles, também gostei.
Beijos.

Gilrang, fico contente por você ter seguido a caravana até seu destino.
Um abraço.

Luma, realmente a história diz que este mausoléu foi construído por escravos. A escravatura foi uma praga na Antigüidade até mesmo nossa história recente, né? Mas acho que depois de mais de 2 milênios, apreciar a delicadeza e a perfeição deste trabalho não deixa de ser uma homenagem a estes que o realizaram com suas mãos.
Sobre a comparação com os faraós, é verdade que o túmulo onde está o imperador é uma pirâmide invertida. Beijus.

Maria Augusta disse...

Lunna, já pratiquei o Tai Chi, tenho queridas amigas chinesas, acho este país ao mesmo tempo fascinante e assustador. Queria esclarecer que este post não tem conotação política, não quer dizer que o apóio em relação aos tibetanos nem que ignoro seus problemas de direitos humanos, é simplesmente um relato sobre esta fantástica descoberta arqueológica que aliás está viajando pela Europa toda com grande sucesso de público. Mas respeito tua opinião e o Jardin estará sempre aberto para que você possa exprimi-la, também porque seguiu conosco cada passo desta "Rota da Seda". Um grande beijo.

Luiz, são valores e tradições realmente muito diferentes dos nossos, se bem que parece que a mundialização está entrando em cheio neste país. Um abraço.

Ruvasa disse...

Viva, Maria Augusta!

Excelente post este.

Estive em Xi'an em Novembro de 2006. As estátuas são, na verdade, assombrosas e mais assombroso é o conjunto.

Escrevi alguns textos acerca do assunto para um outro destino, mas acabei por perder-lhes o rasto, num volteio da vida.

Já agora, deixo aqui o link para o que publiquei aqui.

http://ruvasa2a.blogspot.com/2007/08/1213-arqueiro-do-imperador-qin.html

O tema musical é uma magífica ambiência para o post.

Está de parabéns, Maria Augusta.

Abraço

Ruben

Aninha Pontes disse...

Volto mais tarde. Me chamam
beijos

Eduardo P.L. disse...

Obrigado por nos GUIAR nesta VISITA fantástica!
Parabéns, pela enésima vez, pela postagem CAMINHOS DA SEDA! Uma postagem que entrará para a HISTÓRIA da blogosfera!

Georgia disse...

Maria Augusta,

adorei viajar com você e todos os seus amigos nesta Rota da Seda.

A música de fundo é linda e me deu até vontade de beber um chá em homenagem a este último post seu.

O post de hoje é de arrepiar, só de imaginar o que os escravos daquela época possam ter vivido para a construcao deste templo.
Sempre quando visito algum castelo, algum monumento sempre penso nas maos que o talharam e de como deve ter sido suas vidas e sua familia.
Assim como me pergunto se esses soldados moldados é somente um trabalho moldado ou se eles foram reais e enterrados vivos como nas histórias que conhecemos de alguns faraós.

A China está cheia de histórias, pois ela é um país tradicionalista, antigo, que tem muitas marcas e é inconfundível a sua beleza, seus ritmos, músicas e instrumentos.

Muito obrigada por nos proporcionar uma viagem maravilhosa dessa.

Grande beijo

Kovacs disse...

Um exército inteiro enterrado para proteger o imperador durante a eternidade, sem dúvida uma das maravilhas do mundo.

A Rota da Seda foi uma série fantástica que bem merecia um prêmio de originalidade e riqueza de informações. Parabéns pelo belo trabalho e continue sempre assim.

Georgia disse...

Concorco com Kovacs.

sonia a.m. disse...

Fantástica viagem que você nos proporciona, Maria Augusta! Parabéns pela série magnífica de postagens!

Quando eu era adolescente, adorava tudo que se relacionava à China... cultura, paisagens, literatura... eu lia os chineses traduzidos em português com o maior prazer e também tinha uma correspondente chinesa de Taiwan. Então um dia resolvi estudar chinês. Me matriculei numa escola de alfabetização para filhos de chineses na Rua Pinheiros (SP) e fiquei quase dois anos estudando. Já escrevia e falava alguma coisa... inclusive como era a única aluna ocidental, fiz um discurso numa festa para o Consul da China em SP. Lembranças que seus post fizeram surgir...
Beijos.

Maria Augusta disse...

Ruben, imagino como deve ser impressionante ver o exército inteiro de perto e "in loco"...vi apenas alguns na exposição de Paris e fiquei boquiaberta.
Obrigada e um abraço.

Aninha, venha quando puder, você é sempre benvinda. Um beijo.

Georgia, você tem razão, deve-se sempre pensar nos que "puseram realmente a mão na massa" para realizar essas grandes obras. Quanto às estátuas elas são em terracota, o exército não foi enterrado vivo (certamente eles precisavam dele para as batalhas...). Obrigada por ter corrido para alcançar a caravana sem perder nenhuma das etapas na volta de suas férias. Um grande beijo.

Maria Augusta disse...

Eduardo, que bom que você seguiu conosco pela Rota da Seda, te agradeço pelo incentivo permanente.
Um abraço.

Kovacs, foi Jacques Chirac que declarou que esta descoberta era "a oitava maravilha do mundo" e o título pegou, verdade que é tão impressionante quanto as pirâmides, a meu ver.
Fico contente por você ter gostado desta série. Um abraço.

Sônia, fico imaginando você fazendo um discurso em chinês para o cônsul da China! Quando eu era adolescente gostava de ler os livros da Pearl S. Buck que falavam deste país. Aliás, mais tarde tive uma grande amiga chinesa que me ensinou a comer com os palitinhos. Obrigada pelo comentário e um beijo.

Adelino disse...

Maria Augusta, formidável.
Adorei. Belíssimo trabalho.
Abraços

Dora disse...

Impressionante!E eu que achava que todos os soldados eram iguais! Fiquei boquiaberta com tudo o que as escavações descobriram!!!
(Essa música aqui está me deixando entrar em êxtase...rs Quase me vejo sobre a Grande Muralha!).
Acompanhei a Rota da Seda. Meus olhos se coloriram de tantas maravilhas. E eu aprendi mais sobre essas belezas exóticas que você foi apresentando ao longo do caminho.
Agradecida, Maria Augusta, por tantos momentos inesquecíveis!
Beijos muitos!
Dora

Aninha Pontes disse...

Nossa! Perfeito como já esperávamos que fosse, devido a sua seriedade em nos presentear.
Lindo post. Riquíssimo em cultura, fizemos realmente uma viagem.
A música, como todos já disseram, perfeita.
Parabéns Maria Augusta, foi uma viagem e tanto.
Um beijo

Maria Augusta disse...

Adelino, obrigada, e n�o foi um trabalho, esta s�rie para mim foi um prazer.
Um abra�o.

Dora, � verdade, como existem lugares exoticos no mundo, n� Obrigada pela companhia na caravana e pelas gentis palavras.
Beijos.

Aninha, foi mesmo uma longa viagem virtual, fico pensando como ela seria se fosse real, se faria as mesmas etapas.
Um grande beijo.

disse...

Minha querida..como diz o Eduardo estas tuas postagens sem dúvida atingem um outro patamar nas postagens da blogosfera .De uma precisão e beleza estonteante...Estive em Xiam há 3 anos atrás e acho que como com muitos foi dasc oisas que mais me impressionaram na vida..não só pelo feito em si e pela descoberta ,mas pela incrível perícia e paciência com que foram reconstuidos os fragmentos de muitas das estátuas que estavam literalmente em "cacos".As "carruagens" que parecem pequenas na foto, são de uma beleza estonteante em seu tamanho natural... as fotos do estado em que foram encontradas,nos faz perguntar como é possível a reconstituição.Quem nunca esteve lá pode aqui se deliciar com estas imagens etexto.Maravilha.Guardei todas as postagens ..para a posteridadae...Quem adora é meu sobrinho que vem aqui e fica horas estudando todas...Obrigada por estas belezas.
Mil beijos Vi

Celia disse...

Parabens pelo texto M. Augusta. Muito bom. Voltei das férias e já comecei a visitar as pessoas queridas. Vc tb teve férias agora? Bj

Maria Augusta disse...

Ví, o teu depoimento assim como o do Ruben que viram de perto lá onde foram encontrados dão uma dimensão maior da grandiosidade da descoberta. Em relação à reconstrução, soube que cada pedaço era numerado e com uma identificação da pessoa que o fez, porisso conseguiram montar o quebra-cabeças. Quanto às carruagens, vi uma no exposição de Paris elas são lindas mesmo e em tamanho natural, realmente. Não pude tirar fotos, era proibido, na doc que tive as carruagens parecem pequenas mesmo. Legal que teu sobrinho gosta destes assuntos, quer dizer que a juventude aprecia a história, né? Eu é que te agradeço por ter acompanhado a "viagem" com tanta atenção e carinho, e um grande beijo.

Célia, que bom que você está de volta à blogosfera, depois destas merecidas férias. Estamos com problemas familiares (não são graves) que requerem nossa presença aqui em Nancy, só podemos sair para "escapadas" de algumas horas, mas estamos nos organizando para tentar sair de férias mais tarde.
Um beijão.

João Videira Santos disse...

Estes são outros jardins...Aqui, as palavras não são tão efémeras como o título do blog...Gostei.

Ruvasa disse...

Viva, Maria Augusta!

No meu post sobre o arqueiro do imperador Qin, prometi que lhe enviava fotografias que tomei em Xi'an em Novembro de 2006.

Andei a ver se encontrava o seu email, aqui no blog, mas não encontrei.

Entretanto, a Georgia Saia Justa viu a promessa e acabou por levar ela as fotos que eram, afinal e em primeira mão, para si.

Tive muito prazer em lhas enviar a ela, mas é evidente que as suas - que são as mesmas 8 - não se perderam.

Se as quiser realmente, contacte-me, ok?

ruvasa@netcabo.pt

Será uum prazer oferecer-lhas.

Abraço

Ruben

Maria Augusta disse...

João, obrigada por suas palavras. Um abraço.

Ruben, desculpe, não vi a mensagem sobre as fotos. Já te mandei um e-mail com minhas coordenadas para recebê-las. Muito obrigada.
Um abração.