sexta-feira, 4 de abril de 2008

Bon Appétit na Lorena

Photobucket

Praça Stanislas de chocolate (realizada por Musquar)


Quando fiz o post sobre a gastronomia francesa prometi voltar a falar dela, mas desta vez para cada região. Então vou começar esta série pela região onde moro, a Lorena. Ela fica situada no leste da França, faz fronteira com a Bélgica, o Luxemburgo e a Alemanha. Nancy e Metz disputam o titulo de "Capital da Lorena". Sua cozinha não se encontra entre as mais reputadas da França, no entanto alguns de seus pratos familiares e de seus doces são famosos, e diga-se de passagem muito gostosos.


Entre os pratos com carne, temos o paté lorrain (à direita), que é feito com carne de porco que foi mergulhada em uma marinada contendo vinho e temperos, envolvida por massa folhada e levada ao forno. Pode ser servido como uma entrada ou pode ser encontrado também no comércio, em formato pequeno, para uma refeição rápida.


A quiche lorraine, (à esquerda), é também um tipo de torta, mas com pedacinhos de bacon, ovos, creme de leite e que pode ser comida tanto em entrada como em substituição a uma pizza, por exemplo, neste caso acompanhada por uma salada. Este prato, eu faço sempre, minha receita está aqui.

Já a potée lorraine é um prato familiar (à direita) que mistura vários tipos de carne de porco defumadas e legumes, como o repolho, salsão, cenouras, nabos, alho porró, cebolas, batatas, etc.

Entre os doces podemos destacar os "macarons de Nancy", "as bergamotes de Nancy", as "madeleines" de Commercy, e a "babá ao rum".

Os macarons (à esquerda) tem este nome porque as freiras que o introduziram na região se chamavam as irmãs Macarons, não quer dizer que tem algo a ver com o macarrão que conhecemos. É um biscoito que tem como base amêndoas em pó e açúcar com baunilha. É vendido em saquinhos em todos as lojas que vendem produtos típicos da região.

As bergamotes (à direita) são balas douradas, quadradas e transparentes, feitas com a essência de bergamota (fruta cítrica da família da laranja). São vendidas acondicionadas em uma lata retangular, com estampas de Nancy.

Quanto às madeleines (à esquerda) são como umas pequenas broas, muito macias e ótimas para acompanhar um café ou um chá.

O babá ao rum (à direita) foi inventado pelo rei Stanislas em pessoa, que adicionou vinho de Málaga a um bolo alsaciano por achá-lo muito seco. Gostou tanto, que a receita foi adotada e se espalhou pela França e pelo mundo, é aquele mesmo que é conhecido aí no Brasil.

Outra coisa que temos excelentes aqui na regiao são os chocolateiros. Os mais famosos são Lalonde e Musquar, os chocolates deles são delicados, finos, uma verdadeira delícia. Musquar realiza também esculturas de chocolate maravilhosas, como esta réplica da Praça Stanislas que eles fizeram para a comemoração dos 250 anos de sua inauguração (foto acima que ilustra o post).



Se falamos de comida, logicamente temos que falar de vinhos e dos álcoois também. Não é uma grande região vinícola, mas um vinho muito gostoso que temos aqui é o "gris" de Toul, um vinho cor de salmão cobreado com preço razoável. Quanto aos digestivos, temos o álcool de mirabelles (um tipo de ameixa típica desta região da França, foto abaixo).



Os produtos frescos compramos principalmente no Mercado Central de Nancy, onde a "Maison Marchand" vende aves e queijos, em um ambiente super simpático (foto abaixo). A carne também, preferimos não comprar no supermercado, temos um açougueiro português (é bom porque posso explicar os cortes que quero, apesar de que em Portugal ele disse que estes também são diferentes). No verão preferimos ir às feiras livres, que são cheias de cores, odores e sabores...

Photobucket

Deu água na boca, gostaram deste passeio pelas cozinhas da Lorraine? Em breve vamos continuar nosso passeio gastronômico, mas passando em outra região francesa. Aguardem!


Update (04/04/2008)


Como bem lembrou a Laura, nos comentários, a "madeleine de Commercy" foi citada por Proust no seu livro "Em busca do tempo perdido", no qual ele se recorda dos chás de sua infância na casa de sua tia Léonie. A "madeleine de Proust" tornou-se então uma metáfora para descrever a sensação de "reviver" um momento de sua infância.


Update (06/04/2008)

Se as madeleines inspiraram Proust, este post inspirou nossa talentosa poetisa e amiga blogueira Lunna a escrever um conto :

"Caríssima, perdi meus sentidos agora envoltos em sensações diversas - imaginei uma mesa ao ar livre, um chá e muitos petiscos. Uma taça do melhor vinho, eu prefiro um bordô enquanto diálogos se perdem de todas nós...
Cada qual com suas histórias, muitos motivos para rir ou chorar, para festejar ou lamentar.As palavras ficam mais densas após cada gole e há quem se apresse em observar o jovem garçon a partir de sua solidão. O que não se faz para não estar sozinha por alguns momentos.
A felicidade de uma gera inveja momentânea na outra que deseja a vida daquela que narra suas vitórias. Ela ofusca seu fracasso a cada mordida em seu Macarons. As vezes o prazer de se degustar inibe pensamentos inadequados...
E seguem as narrativas. O cansaço fica distante, assim como o mundo, que vez ou outra é espiado lentamente por uma delas.São quatro, se conheceram em diferentes épocas, cada qual com uma singularidade diferente. Cada qual vivia o seu momento e quase não tinham tempo para encontrar-se umas com as outras.Naquela tarde, contudo, veio um convite para um passeio - e tudo começou com um simples post narrando uma deliciosa aventura culinária..."

Não é incrível a interatividade e a criatividade na blogosfera?



Alto da Página


28 comentários:

disse...

Bom ..o que dizer de tal maravilha gastronomica....seguinte, já imprimi,( com receita e tudo)e assim farei com todas as outras regiões...Nunca pensei que fosse aprender tanto em tão pouco tempo de "blogueira"...é como,vc me disse que variedade qualidade e riqueza de informações nesta blogosfera ..a começar por aqui ..Obrigada Maria Augusta por tudo o que encontramos aqui...sempre uma surpresa deliciosa ...hoje literalmente..
Beijuuus

gilrang disse...

maria,

AAAAAAAaaiiiiiiii, meus treze quilos!...

Diz disse...

Menina, vous êtes très chic!!!
Vou a França este ano, Paris, Dijon, talvez, ainda não sei-meu sonho é Paris e campos de lavanda na Provence, mas meu amigo francês disse que em setembro- qdo pretendo ir, estarão cortados :(
Nancy fica onde? preciso ver no mapa. Bjocas, laura
Madeleines? aquelas do Proust?

Maria Augusta disse...

Vi, gastronomia é sempre interessante, né? Principalmente aqui na França, é sagrada. Quando fizer as outras regiões também vou aprender muita coisa, pois é um assunto vastíssimo. Beijos.

Gilrang, então você ganhou 13 kg quando morou por aqui. Não posso dizer nada, pois depois que cheguei aqui engordei, e dizia que era devido "à mudança de ares"(rs)...Abraço.

Laura, Nancy fica no meio daquela região amarela ali no mapinha da França que coloquei. Quanto aos campos de lavanda, sei que em agosto eles ainda estão de pé, acredito que em setembro também. As "madeleines", muito bem lembrado, são as madeleines de Proust sim, nas quais o escritor pensava recordando os chás de sua infância na casa de sua tia. Beijos.

Georgia disse...

Má, isso nao se faz, tô de dieta, tenho um casamento pra ir mês que vem e quero entrar no vestido, rs.

Quer dizer que nem moramos tao longe assim uma da outra. Vi no map24, que moramos a uma distância de 4:15hs, legal nao? Qualquer dia apareco para um café, hahahahahah!

Eu adoro Quiche, mas no momento nao posso, nao devo, quero, mas melhor que nao.

Mas um dia vou fazer a sua receita.

Bom fim de semana e nao coma muito, viu, rs.

Betho Sides disse...

Ah Guta, vc quase me mata com esse post! Que maravilha! Minha glicemia foi a 500...Um grande final de semana. abç

Luma disse...

Pra não dizer que sou totalmente ignorante com relação as especialidades que citou, adoro todas as quiches, a lorraine pela sua cremosidade. E tentei fazer Madeleine e não deu certo.
Depois me responda porque o francês usa tanta manteiga, cremes, queijos e não engorda. Acho até que já lhe fiz essa pergunta.
Deu água na boca sim!! e ainda passei da hora de almoçar!
Bom fim de semana! Beijus

Luma disse...

Voltei!!
Maria Augusta, não acha a nossa Fátima Bernardes parecidíssima com a Jacqueline Kennedy? Não sei se encabulei, mas toda vez que assisto ao JN imagino Jack. Beijus

Fernando Zanforlin disse...

Maria Augusta, vc. não me convenceu em dizer que sou criativo. Depois desse " petit tour " pela Lorena gastronômica, deve reconsiderar que também é muito criativa.
b.

Maria Augusta disse...

Georgia, realmente estamos próximas, precisamos nos aproximar mais (rsî. Que corajosa, está tomando cuidado para não engordar, sempre faço isto no fim do inverno, mas cada ano fica mais dificil...
Bom fim de semana para você também.

Betho, tanta coisa gostosa da água na boca mesmo, né?

Luma, experimente esta receita que dei, é facil e fica uma delícia. Quanto ao porque os franceses comem bem e não engordam, não descobri ainda, deve estar nos genes, porque como a mesma coisa e engordo (rs).
Não me lembro muito bem da Fátima Bernardes, talvez lembre a Jackie, se você que tem uma sensibilidade tão aguçada a vê assim.
Beijos e bom fim de semana.

Fernando, você é modesto, também vou sê-lo (rs). Este post é só um inventário das especialidades da região, criativos são os que criaram estes pratos familiares, com os meios que encontraram nos quintais de suas casas (para os salgados)...e os doces, pensando bem agora que estou escrevendo este comentário, foram criados pelos nobres ou para os nobres.
Nossa, acabamos de descobrir a gastronomia social!
Abraços e bom fim de semana.

Marcos Santos disse...

Maria Augusta

Não sei o que você pretende com um post desses...

Quer nos matar de desejo, mostrando essa quantidade interminável de delícias?

Passei por aqui e acho que vou ficar.

Aninha Pontes disse...

Meu Deus, Maria Augusta, que bela aula gastronômica logo cedo.
Bom, a receita d quiche, já tinha visto lá no conversas, mas agora completei o passeio.
Que coisa fantástica. Gente eu não sei nada de cozinha, isso foi maravilhoso.
Aguardamos o próximo capítulo.
Beijos meu bem. Um lindo final de semana.

Eduardo P.L. disse...

Importantíssima e deliciosa postagem. Vamos acompanhar com o maior interesse essa série!

Parabéns!

Sonia disse...

Uma beleza de tour gastronômico, adorei, Maria Augusta! Fiquei com água na boca de ver tanta coisa gostosa! Me encantei com as balas transparentes, as bergamotes! Visitei todos os links e descobri que você colabora no blog Conversas de Cozinha... eu não sabia... Vi sua foto (muito bonita você) e agora posso visualizá-la quando leio o Le Jardin Éphémère.
Um ótimo final de semana! Beijos!

Sonia disse...

Voltei para dar a você o link do blog de uma amiga, a Cris, (de Campinas) que tem um blog de cozinha, delicioso. Tendo tempo, dê uma olhada em From our home to yours. Neste post atual ela está falando do açúcar. Acho que você vai gostar...
Beijos!

Fernando Zanforlin disse...

Maria Augusta, no próximo jantar de premiação do melhor Varal de 2008 , o Eduardo fará todos as diligências necessárias para o transporte de seu "staff", engredientes, condimentos, vinhos, etc.
Tudo ficará sob seu comando, não se preocupe com nada, passagens, hospedagem, locomoção, para vc. e sua equipe.
Te aguardamos.
bjs.

perola&granito disse...

Bom fim de semana

Lunna Montez'zinny disse...

Caríssima, perdi meus sentidos agora envoltos em sensações diversas - imaginei uma mesa ao ar livre, um chá e muitos petiscos. Uma taça do melhor vinho, eu prefiro um bordô enquanto diálogos se perdem de todas nós... Cada qual com suas histórias, muitos motivos para rir ou chorar, para festejar ou lamentar.
As palavras ficam mais densas após cada gole e há quem se apresse em observar o jovem garçon a partir de sua solidão. O que não se faz para não estar sozinha por alguns momentos.
A felicidade de uma gera inveja momentânea na outra que deseja a vida daquela que narra suas vitórias. Ela ofusca seu fracasso a cada mordida em seu Macarons. As vezes o prazer de se degustar inibe pensamentos inadequados...
E seguem as narrativas. O cansaço fica distante, assim como o mundo, que vez ou outra é espiado lentamente por uma delas.
São quatro, se conheceram em diferentes épocas, cada qual com uma singularidade diferente. Cada qual vivia o seu momento e quase não tinham tempo para encontrar-se umas com as outras.
Naquela tarde, contudo, veio um convite para um passeio - e tudo começou com um simples post narrando uma deliciosa aventura culinária...
Abraços caríssima e grata pelo passeio por Lorraine. Água na boca foi pouco!
Grata pela inspiração. Vou editar o conto e depois envio para ti.
Boa noite para seus olhos e alma

Lunna Montez'zinny disse...

Nossa! Me esqueci de convidá-la para a postagem "Abre Aspas" no dia 28 de abril. Convite feito, espero sua participação, vamos abrir espaço para poesia... No seu caso, mais espaço ainda. Afinal, seus posts sempre são poéticos.
Novos abraços

Maria Augusta disse...

Marcos, obrigada pela visita, pode ficar passeando no Jardin, é um grande prazer para nós tê-lo aqui. Um abraço.

Sonia, este passeio gastronômico é o primeiro de uma série, pelo menos é o que pretendo. Que bom que você gostou, vou visitar o blog da Cris sim, se você gosta deve ser muito bom, conheço teu padrão de qualidade. Um beijo.

Fernando, ulalá, que responsabilidade! Meus dotes culinários não estão à altura de competir com os do Santilli, que preparou o jantar deste ano...e coitado do Eduardo, se encarregar de levar todo meu staff (umas 30 pessoas rs) e todos os ingredientes. É um primeiro de abril atrasado?
Brincadeiras à parte, a entrega do troféu "O Melhor Varal do Ano" é um acontecimento na blogosfera.
Abraços.

Maria Augusta disse...

Perola&Granito, muito obrigada pela visita e um bom fim de semana para você também.
Um abraço.

Lunna, minha cara, que criatividade...e que honra para mim, você criar um conto inspirado neste post.
Vou participar da tua coletiva "Entre Aspas" e divulg^q-la aqui também.
Beijos.

Meire disse...

Guta, vou pegar tua receita de quiche...
Aqui na Italia tambem temos Baba', sera' que sao os mesmos?

Bjs

Celia disse...

Nem me fale da comida francesa...é uma delicia. Tudo que vc colocou pareceu muito apetitosos. Vou provar alguns. Bj

Só- Poesias e outros itens disse...

Maria Augusta
grande privilégio ter uma amiga bloqueira na França, e trazendos essas delícias... dove se manja bene.

bjs.

JU Gioli

Maria Augusta disse...

Meire, pega sim, ela é bem fácil de fazer e fica muito gostosa. Parece que o baba ao rum brasileiro é igual ao daqui, o italiano acredito que seja também.
Beijo.

Célia, ai na Suécia não deve ser difícil de achar os produtos franceses, né? E os pratos familiares são feitos com ingredientes simples, que existem em todos os lugares.
Beijo.

Ju, o legal da blogosfera é que contamos as coisas do nosso cotidiano como se estivéssemos uma ao lado da outra, e no entanto estamos tão longe, né?
Um beijo.

Meire disse...

Bom dia querida!
Hoje fiz um post sobre gastronomia (faculdade) e me recordei deste teu post.
Bjs

LUIZ SANTILLI JR. disse...

Olá Maria Augusta

Excelente matéria sobre coisas saborosas da França!
O que distingue a culinária Francesa das demais, além do sabor é a aparência sempre com um toque artístico, que o chef francês nunca esquece!

Abraço

Santill

Maria Augusta disse...

Meire, teu post foi uma bela dica para os que desejam fazer carreira nesta area tão interessante. Um beijo.

Luiz, é verdade que a apresentação dos pratos é muito caprichada na cozinha francesa, mesmo nos pratos familiares. Um abraço.