terça-feira, 15 de abril de 2008

A Citadela

Photobucket

Era uma vez um grande castelo situado em uma fortaleza cheia de torres em um país próspero e ensolarado. A língua que falavam era o oc, em contraste com o norte frio e mais atrasado, que falava o oil. Nele, religiões diferentes conviviam em harmonia, as mulheres eram respeitadas e aceitas pela sociedade como iguais aos homens, e os poetas e trovadores faziam poemas e canções para suas amadas louvando o "amor cortês".

Mas eles eram heréticos, pois apesar de serem cristãos, não seguiam os preceitos da Igreja Católica. Porisso, o papa que desejava eliminar o avanço desta religião e impor a hegemonia do catolicismo, aliado a um rei, que cobiçava as riquezas daquele país resolveram organizar uma cruzada para vencer este povo.

E eles conseguiram, depois de 70 anos de lutas e massacres, os castelos fortificados foram caindo até que o país d'oc foi anexado ao país d'oil...e eles fazem parte da França atual. Isto realmente aconteceu e os hereges são os cátaros, que viviam no sul da França, nas proximidades de Toulouse.

Os testemunhos deste passado que culminou nos século XIII com a "Cruzada dos Albigeois" da qual falei, são os castelos, sendo que o mais célebre é a citadela de Carcassonne, que visitei há alguns anos, e é o segundo destino turístico da França (fora de Paris) em número de visitantes.

Suas primeiras paredes datam da época dos Império Romano, e depois de ter sido uma fortaleza para os cátaros, ele passou a ser propriedade dos reis da França, que construíram uma segunda linha de fortificações. Hoje ela é um conjunto impressionante, com suas duas linhas de muralhas com 26 torres cada uma, sobre uma elevação da qual ela domina "a cidade baixa", também construída pelos reis da França. No seu interior, os monumentos mais importantes são o Castelo Contal, que é protegido por um fosso, a Basílica de São Nazário e São Celso, e os museus.

Hoje em dia passear dentro desta citadela é uma delícia, com suas ruas estreitas ladeadas de lojinhas que lembram os cavaleiros medievais, seus restaurantes ao ar livre e a magnífica paisagem que se descortina lá de cima. E nos faz meditar sobre o que é a história, sobre o que é e o que poderia ter sido...






Curiosidade

Regras do "amor cavalheiresco" na Idade Média :

  • O casamento não deve impedir o amor.
  • Quem não é ciumento não pode amar.
  • Não se pode oferecer seu coração a duas mulheres ao mesmo tempo.
  • O amor aumenta ou diminui, ele se renova sem cessar.
  • O apaixonado não pode obter nada sem que seja com o acordo de sua amada.
  • O homem só pode amar depois da puberdade.
  • Depois da morte de seu(sua) amado(a) deve-se esperar dois anos antes de se procurar um novo amor.
  • Ninguém deve ser privado de amor a menos que haja uma ótima razão.
  • Não se pode amar se a motivação não for o próprio amor.
  • O apaixonado não é avarento.
  • O apaixonado deve amar uma mulher de condição superior à sua.
  • O apaixonado perfeito só deseja os abraços de sua própria amada.
  • O amor deve permanecer secreto se ele quiser durar.
  • A conquista amorosa deve ser difícil: é isto que da seu preço ao amor.
  • O amante perfeito empalidece na presença de sua amada.
  • Quando um amante percebe o objeto de seu amor, seu coração vibra.
  • Um novo amor toma o lugar do velho.
  • Só a virtude torna digno de ser amado.
  • Quando o amor diminui, depois desaparece, raramente ele renasce.
  • O enamorado vive no receio.
  • O ciúme faz crescer o amor.
  • Quando um amante suspeita de sua amada, o ciúme e a paixão aumentam.
  • Atormentado pelo amor, o apaixonado dorme pouco e come menos.
  • O apaixonado deve agir sempre pensando na sua amada.
  • O perfeito apaixonado só deve gostar daquilo que ele acha que vai agradar à sua amada.
  • O apaixonado nada deve recusar àquela que seu coração elegeu.
  • O apaixonado nunca considera que são suficientes os prazeres que ele proporciona à sua amada.
  • A menor suspeita leva o apaixonado a esperar o pior da amada.
  • O amor não rima com a luxúria.
  • O verdadeiro apaixonada é obsecado o tempo todo pela figura de sua amada.
  • Nada impede um homem de ser amado por duas mulheres ou uma mulher de ser amada por dois homens.

O que acham, será que progredimos?

27 comentários:

disse...

Maria Augusta,
acho que não há nada que eu goste mais do que viajar de carro pela França.Fizemos há 4 anos a Provence o Luberon e grande parte desta França medieval que me fascina.Carcassone foi uma torrente de emoções e sensações...Avignon e Sarlat outra...Que maravilha de tema ..um passeio de prazer vir aqui...e os ditos ...de ontem e de sempre...a música nos faz viajar no tempo...Vou voltar para rever mais ..beijos

Georgia disse...

Maria Augusta, eu quase nao conheco a Franca, somente na divisa com o sul da Alemanha onde vivem os meus sogros.

O nosso filho Daniel tem um jogo maravilhoso que se chama Carcassone e eu uma vez de curiosa que sou, fui pesquisar o nome e entao fique conhecendo a história. Você conhece o jogo? É um jogo de estratégias e ele me ganha sempre,rs.

Beijao e boa semana

Meire disse...

Guta eu imagino que deve ser lindo... a foto parece ter saido de um livro de contos de fadas..
bjs

Sonia A. Mascaro disse...

Linda postagem Maria Augusta! Realmente deve ser uma maravilha passear por esta citadela medieval!

Penso que muitas das regras do "amor cavalheiresco" da Idade Média ainda "vivem" nos dias de hoje...

Excelente a música!

Beijos!

Eduardo P.L. disse...

Maria Augusta,

uma viagem...sua postagem! Parabéns!
Linda a França,

PS- Chegou a telinha? O Correio esta em greve no Brasil quando postei, daí a pergunta!

Abçs

Eduardo P.L. disse...

Maria Augusta,

obrigado pelo link do QUEM CONTA UM CONTO...que até alguns membros do blog não o fizeram...rsrsrs!

Aninha Pontes disse...

Maria Augusta, que bela história vc nos conta, muita cultura.
Quanto aos itens relatados, acho que em alguns evoluimos, e em outros voltamos muitos anos.
O ser humano é mesmo complicado.
Um beijo querida.

Fernando Zanforlin disse...

Maria Augusta, bela viagem me proporcionou, assim conhecerei a França melhor, sempre num novo click.
Sobre o amor, nunca consegui pensa-lo de outra maneira, sempre com muito carinho, e sempre sob a razão.

bjs.

Que bom refletir sobre ele ouvindo essa música, aqui no meu castelo.

Maria Augusta disse...

Vi, realmente viajar pela França de carro, passando nos vilarejos e conhecendo cantos cheios de história é uma delícia.
Um beijo.

Georgia, já ouvi falar neste jogo, mas não o conheço. Se ele te ganha sempre, não deve ser fácil (rs).
Beijo.

Meire, todas aquelas torres dão uma impressão de castelo de contos de fadas, é verdade, apesar de que eram fortificações.
Beijo.

Maria Augusta disse...

Sonia, fiquei espantada ao encontrar estas regras de amor cavalheiresco datando da Idade Média. Mas parece que a mulher era tratada com consideração naquela época e depois isto regrediu...até o século XX (rs).
Beijo.

Eduardo, obrigada. A telinha ainda não chegou, mas não se preocupe demora mesmo, até quando não tem greve do Correio. Quanto ao link, é muito natural, não precisa agradecer.
Abraço.

Aninha, verdade que evoluímos em alguns e regredimos em outros. Mas alguns subsistem pois alguns valores são eternos, né?
Beijo.

Fernando, que bom que o post te fez viajar ao som da música. Quanto ao "amor cavalheiresco", ele é sempre válido, né?
Um abraço.

Georgia disse...

Que nada, menino já tem uma estratégia alema, kakakakak.

Lá na Meire, observe que as cartas nao sao as mesmas. É esse o truque. Vc nao sabia?


Beijao

Celia disse...

Que coisa mais linda. Adorei as fotos. Bj

Andréa Motta disse...

Belíssimo post sobre a França. Aproveito para convidá-la a participar da blogagem coletiva COISAS DO BRASIL, em 16 de maio. A idéia é cada um escrever, em seu blog, sobre aquilo que represente a cidade brasileira onde mora ou nasceu, a fim de que, juntos, mostremos a riqueza cultural do nosso país. Estou convidando a todos, até mesmo os brasileiros que residem no exterior; o importante é mostrarmos que o Brasil é um misto de culturas e saberes. Conto com a sua adesão!

Luma disse...

Gostei das regras. Acho que regredimos! (rs*)
Uma das fotos me lembrou Un dimanche après-midi à l'Ile de la Grande Jatte, George Seurat. Que lugar lindo! parece sair de um conto de fadas! Boa semana! Beijus

Só- Poesias e outros itens disse...

Maria Augusta:
estou maravilhada com tanta coisa linda. Como é bom vir aqui e aprender tantas coisas.
História, geografias...
Que lugar!!!!
e essa música!!!!

bjs

JU Gioli

Só- Poesias e outros itens disse...

Ah! lembrei de outra coisa. Foi neste lugar em Carcassomme, que Hildegard de Bingen, a mulher que revolucionou a Idade Média, como musicista, profeta e artista que possuía o dom da cura. Ela compôs uma música denominada : Música Escarlate, considerada uma das mais profundas e verdadeiras para a alma.
O nome da localidade, talvez em francês seja outro, e não tenho certeza da sua grafia correta.

Bjs.

JU Gioli

Lino disse...

Mais um exemplo de como a religião age em relação a quem se lhe opõe. Quando às regras, acho que muitas delas ainda estão atuais.

Leonor Cordeiro disse...

Querida Maria Augusta,
Não tenho visitado o seu blog pois minha menina está doente desde quinta-feira passada. Estive várias vezes em hospitais e para minha tristeza acabei percebendo um erro absurdo da enfermeira quando manipulava o cateter para o acesso vascular periférico para infusão intravenosa.
Infelizmente o paciente além de passar pela enfermidade tem que correr riscos desnecessários por causa de profissionais que nem fazem a assepsia necessária para a segurança do doente.
Depois que esses problemas passarem vou ler com tranquilidade todas as postagens. Tenho certeza que essa leitura será um verdadeiro refrigério para minh' alma.
Estou passando também para dizer que o meu bloguinho O MUNDO ENCANTADO DE CECÍLIA MEIRELES ofereceu um selinho para você e o seu lindo jardim .
Passe pelo CECÍLIA e clique no link do blog A FESTA DAS LETRAS, é um blog complemento , lá você irá encontrar o selinho.
Graannde abraço !
Com carinho,
Leonor Cordeiro

Maria Augusta disse...

Georgia, então existe um estratagema alemão para dominar "Carcassonne"? Os franceses que se cuidem (rs). Percebi o truque do joguinho lá na Meire, só não disse para não tirar o suspense...
Beijos.

Célia, que bom que gostou. Também adorei tua receita lá no "Conversas". Beijo.

Andréia, apreciei a idéia da tua coletiva, te confirmarei em breve se vou participar ou não, a idéia de escrever sobre o meu vilarejo chamado São Paulo é tentadora. Um beijo.

FRANCINE ESQUEDA disse...

MUITÍSSIMO OBRIGADA A Todos...
Maria Augusta, não conhecia seu blog! Parabéns pelo visual, criatividade e talentos... Estou bastante contente pelo comentário sobre minha tela!!!!
Continue prestigiando a criatividade do nosso amigo Eduardo, que é realmente surpreendente!
E me visite quando quiser!
Tenha um bom Dia!
Francine Esqueda.

Maria Augusta disse...

Luma, o amor deveria ser sempre "cavalheiresco", né? Este quadro de Seurat que você citou é muito bonito mesmo, com a cena à beira da agua. Um beijo.

Ju, realmente Hildegard de Bingen foi uma religiosa visionária que deixou uma vasta obra, grande nome da Idade Média, acho que ela viveu na Alemanha. Obrigada pelo complemento e um beijo.

Lino, a religião participou ao jogo do poder sempre, principalmente na Idade Média. Realmente algumas das regras são eternas.
Um abraço.

Maria Augusta disse...

Leonor, muito obrigada por vir aqui no Jardin, mesmo com este problema da tua menina. É verdade que ver a negligência de alguns profissionais, principalmente na área da saude, é muito triste. Te agradeço muito pelo selinho. Um beijo.


Francine, realmente a tela em homenagem ao "Dia Mundial do Desenho" que você fez e que o Eduardo apresentou la no Varal de Idéias é muito bonita, parabéns! obrigada pela visita e vou sim conhecer teu blog.
Um abraço.

Lunna Montez'zinny disse...

O que eu sempre questiono comigo mesma é porque as pessoas precisam dominar uma as outras. Os papas sempre oprimiram culturas e crenças para que a que deles prevalecessem e hoje é contrário a atitude da China (eu não sou a favor) mas a igreja não tem moral para questionar tal atitude, uma vez que fazem o mesmo desde o principio.
Mas seu post me fez viajar pelo tempo, imaginar os portões de outras civilizações, seus hábitos e suas crenças - quando não se precisava pensar em produtos bio-degradáveis porque a natureza era uma espécie de mãe e merecia o respeito de todos.
Eu realmente acho que vivo em epoca errada (rs).
Abraços meus.

Ps. Música deliciosa essa que acompanhou-me durante a leitura.

Isabel-F. disse...

que coisa mais bela ...


um verdadeiro conto de fadas ...

adorei.

bjs

Diz disse...

Ai a França... hj tive a segunda aula de francês, desta vez eu vou :)
que lindo lugar. o post está excelente.
bjs Laura
ah! qto a amor... mta coisa não mudou nem mudará jamais, acredito, será?

Maria Augusta disse...

Lunna, realmente a Igreja Católica tem um passado bastante pesado principalmente devido à Inquisição.
Que bom que este post te fez viajar.
Beijos.

Isabel, a citadela com suas torres parece mesmo saída de um conto de fadas...
Beijos.

Laura, que bom que você vem mesmo, que tal colocar Carcassonne no teu roteiro? Vale a pena!
Grande beijo.

LUIZ SANTILLI JR. disse...

Essa postagem é um pedaço importante da história!

Muito interessante, cultural e conceituamente!

Reforçou minha aversão à religiosidade,além de minha convicção do mal que representa à humanidade!

Abraço