quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

A Cidade Rebelde

Photobucket

Que belo jardim e que praias magníficas, né? Sabia que era um porto importante, mas, para mim, a cidade de Santos era apenas isto "a praia mais próxima de casa"(quando eu morava em São Paulo) ou então "a cidade do Santos FC", meu time de futebol preferido quando eu ligava para futebol. Mas mudei de idéia quando resolvi me aventurar além da orla marítima e conhecer seu centro e sua história.

Chegando lá, descobrimos um bondinho antigo que leva os turistas para uma volta pelo Centro Histórico, que é um charme...aliás a série da Globo "Um Só Coração" foi filmada em suas ruas, que tem edifícios e monumentos que são testemunhos das várias etapas da História do Brasil. Clique no diaporama abaixo e nos siga no nosso passeio.


Uma boa parte de nossa história esta sintetizada logo no saguão do atual Museu do Café, um prédio em estilo eclético que foi restaurado recentemente, tendo sendo inaugurado em 1922 para sediar a Bolsa Oficial do Café. No seu belo saguão onde funcionava antes a sala dos pregões, em mármore de Carrara e lustres da Boêmia, levantando os olhos vemos uma bela clarabóia com um magnífico vitral de Benedito Calixto. Nele a história vai desfilando sob nossos olhos : "O Sonho de Anhangüera", Braz Cubas (que fundou a cidade em 1545), Fernão Dias e Raposo Tavares, que de lá partiram para desbravar o interior do Brasil, a riqueza do Brasil Colônia, Império e República. Também neste belo saguão 3 painéis gigantescos, todos de Benedito Calixto, mostram diferentes momentos da história de Santos : Fundação da Vila em 1545, O Porto de Santos em 1822 (na época do independência do Brasil e de uma dos seus filhos mais ilustres, José Bonifácio de Andrada e Silva) e O Porto de Santos em 1922 (por ele era escoada nesta época 95% da exportação brasileira de café).

No mezzanino do museu o café e a imigração, que passaram pela "porta" de Santos são destacados. A produção e a comercialização do café são mostradas por meio de instrumentos, painéis, grãos e representações dos trabalhadores que o produziam e transportavam.


Na parte dedicada à imigração estava em destaque a história da imigração japonesa. Um grande painel mostrava uma foto da chegada do Kasato Maru com seus 781 imigrantes, e vários elementos da cultura japonesa são mostrados por meio de fotos e reproduções. Fiquei emocionada diante de todos aqueles elementos desses dois componentes maiores da riqueza brasileira, de um lado a material, representada pelo café, do outro da riqueza humana, que são os imigrantes.



E em tudo isto e muito mais Santos desempenhou um papel central : como também na construção da primeira Casa de Misericórdia do país, como destino de ferrovias importantes como a Santos-Jundiaí e a Sorocabana. Uma outra característica sua é de ter sido sempre uma cidade "avant garde" : foi uma das primeiras a lutar pela libertação dos escravos, pela independência do Brasil (José Bonifácio era santista), foi atuante também para a proclamação da República.

Teria ainda muito a dizer sobre a importância desta cidade e seu porto na história e na atualidade brasileiras...mas paro por aqui, com a certeza de que nunca mais vou reduzir a importância de Santos às suas praias e à sua orla marítima.



Veja também :

18 comentários:

Só- Poesias e outros itens disse...

Maria Augusta:
fiquei encantada com o seu post, que bela pesquisa e cuidado com o tema.
A recuperação de uma história, que distraídamente esquecemos.
Obrigado.
Adorei passear pelas informações. E, muito surpresa por saber que você viveu em Santos.

bjs.

Ju gioli

luma disse...

A Lei Aurea só foi assinada por pressão dos cafeicultores que iniciaram o movimento sete anos antes. A princesa bastou assinar. Sei que se interessa por História, veja -
http://www.guaxupeonline.com.br/historia.htm - no ano de 1881.

Santos está linda! Estudei lá, sabia? Na época escutava umas lendas de que os prédios se inclinavam mais do que Pisa. Não sei se lembra, alguns prédios da orla apresentam um desaprumo visível.
Eu não fiz esse passeio turístico, acho que não tinha. Quando voltar, vou fazer! Beijus

Maria Augusta disse...

Jugioli, eu nunca vivi em Santos. No Brasil, sempre morei em São Paulo, e Santos era a praia mais proxima. Este post surgiu porque visitei seu Centro Historico no ano passado quando estive no Brasil e gostei muito. Um beijo.

Luma, obrigada pela dica, vou ver sim. Não sabia que você havia estudado la. O bondinho turistico do Centro começou em 2002, é recente pelo que soube. Beijo.

Meire disse...

Guta,

O Brasil tem tanta historia, tanta beleza, enfim tanta coisa boa pra ser msotrada e contada.
E tudo isso esta' do nosso lado, basta para isso colocar um lhar mais atento.
Mas infelizmente, o corre corre, a falata de interesse pelo que é nosso, e a valorizaçao do que é de fora, faz com que estas maravilhas fiquem ali, esquecidas, para poucos como voce ver, detalahr, aprofundar e enfim mostrar para o mundo.
Garanto que tem muito santista que nunca visitou o museu, nunca olhou o centro historico com olhos "apreciar", enfim...
Adorei teu post.
Beijos

Eduardo P.L. disse...

Maria Augusta,

é verdade Santos é MUITO mais importante que suas praias!

Ótimo post!

Abçs

Vi Leardi disse...

Maria Augusta...Santos foi sempre uma passagem para mim...pois nos levava à balsa que atravessava para Guarujá...ficávamos horas parados na frente do Clube Jangadeiro,na fila andando de carro em carro para ver e falar com os amigos ,que eram tantos....
Parece incrível mas nunca "passeamos " por Santos.
O que me lembro bem, era de meu avô, Cafeicultor,falando da importância de Santos no auge da época cafeeira de São paulo.
Parabéns uma maravilha poder conhecer um pouco mais desta história e imagens...que linda arquitetura...sem dúvida uma cidade "avant Garde".
Um grande beijo e Obrigada ...aqui sempre aprendo ...gostosamente...
{:}}

Sonia disse...

Gostei muito deste post, Maria Augusta! Um belo resgate da história de Santos, com ótimos slides shows. Deve ter dado mesmo trabalho fazer um post com tanta pesquisa!

Sou paulistana, mas quando era criança ia muito passar férias em Santos, na verdade em São Vicente, e nos hospedávamos em pensão, que nessa época eram casas confortáveis, agradáveis e familiares. Depois, meus pais compraram um sítio em Itu e paramos de ir passar férias em Santos.

O nome do pintor Benedito Calixto sempre foi muito familiar para mim, não por ele ter sido um grande artista, mas porque meus avós moravam em Pinheiros, na Rua Cardeal Arcoverde, pertinho da Praça Benedito Calixto. Só grandinha é que vim a saber quem era a personagem que dava nome à Praça.

Maria Augusta, seu post foi uma viagem no tempo que me avivou doces lembranças! Obrigada! Beijos!

Lino disse...

Estive em Santos, mas faz muito tempo. No segundo semestre do ano passado, em um encontro de jornalismo, vi o filme do trenzinho na cidade. Achei muito interessante.

Maria Augusta disse...

Meire, você tem razão, na correria do dia-a-dia deixamos de prestar atenção às belas coisas em torno de nós...estou redescobrindo o Brasil agora que vou lá como turista. Um beijo.

Eduardo, Santos foi classificada como a terceira cidade do Brasil em qualidade de vida. Mas também só descobri isto fazendo a pesquisa para este post. Um abraço.

Vi, para muitas pessoas Santos é (ou foi) so uma passagem para o Guarujá. Aliás, foi voltando de la para São Paulo que decidi fazer um desvio para conhecer o centro histórico de Santos. Um beijo.

Maria Augusta disse...

Sonia, morei em Pinheiros na Cristiano Viana, pertinho da Praça Benedito Calixto, mas nunca soube quem era ele. Descobri há pouco tempo que foi um artista que pintou muita coisa sobre a história de São Paulo. Que bom que o post te relembrou as férias de tua infância. Um beijo.

Lino, o trenzinho dá um charme todo especial ao centro, é um passeio curto, mas gostoso. Um abraço.

Meire disse...

Bom dia flor do dia!

Vi Leardi disse...

Maria Augusta hoje é o dia de "Sky Watch Friday" como vc deve saber uma brincadeira que a Sonia e a Dot amiga dela americana, nos propôe...vale a pena ver aimagem da Jugioli ..a mais linda do dia ...beijos

teresa disse...

minha querida historiadora, com que passagem mais linda de Santos você nos presenteia hoje!

Adelino disse...

Maria Augusta, a primeira vez que fui a Santos foi em 1950, criançola ainda. Santos era sinônimo de porto e praia.
Para o final da década, passava minhas férias lá. Frequentava o Cine Iporanga, Caiçara, Independência. Bons tempos. Hoje está uma maravilha de cidade.
Grande abraço

Sonia disse...

Maria Augusta, tomo a liberdade de passar para você o link de um blog português onde fiz uma colaboração com um artigo a respeito das "Imagens da Terceira-Idade nos Meios de Comunicação de Massa". Tendo tempo, dê uma passada lá. O link é este: O Silêncio Culpado.
Abraços!

Anny disse...

Maria Augusta, seu blog é um show. Muito bom. Não conheço Santos e fiquei com muita vontade de conhecer.
Muito bom seu post. Adorei.

Maria Augusta disse...

Meire, bom dia e bom fim de semana. Um beijo.

Ví, realmente lindo o por de sol da Jugioli. O seu céu e o da Sônia também estão geniais. Beijos.

Teresa, a paixão pela história dos franceses me contaminou (rs). Beijo.

Maria Augusta disse...

Adelino, para mim também Santos era sinônimo de praia. É uma cidade magnífica sob todos os aspectos. Um abraço.

Sonia, li teu artigo, ele é realmente excelente. Um beijo.

Anny, obrigada por tuas palavras. Vá a Santos sim, vale a pena. Beijo.