quinta-feira, 27 de março de 2008

É Primavera?



Depois de um inverno seco e sem neve, o calendário diz que "é primavera"! Mas será? Olho pela janela e vejo a cidade branquinha de neve. Olho a televisão e vejo as estradas bloqueadas devido às borrascas. Será que é mesmo primavera?



Primavera aqui é sinônimo de caminhada na floresta, vendo os bichinhos correndo e brincando saudando os belos dias que chegam...mas no momento na floresta só tem o silêncio e a lama no chão! Cadê a primavera?




A vegetação também desabrocha e os crocus (florzinhas à direita) invadem a paisagem anunciando que a estação das flores chegou. Mas estes dias os que se atreveram a despontar foram cobertos pela neve ...Cadê a primavera?




No lugar dos crocus só se pode ver os "perce-neiges" (fura-neve). Cadê a primavera?



É a época que vemos nas feiras, nas praças e nas ruas, os vendedores de "jonquilles", estas florzinhas do campo amarelas (à direita)...mas cadê eles? Não tem "jonquilles" em lugar nenhum! Cadê a primavera?



Com o fim do inverno as "mimosas" se abrem e perfumam o ar...por enquanto ainda não pudemos "por o nariz lá fora" para sentir o odor, pois está fazendo muito frio. Cadê a primavera?




E a estação onde as tulipas aparecem, lindas, de todas as cores. Ainda não vi nenhuma, será que este ano não as veremos? Cadê a primavera?



Na primavera os passarinhos cantam e nos acordam de manhãzinha com seus gorjeios...mas no momento eles estão bem escondidos, certamente encolhidos em seus ninhos protegendo seus filhotinhos do frio. Cadê a primavera?


E como diz a música do Bambi "o sol brilhará o tempo todo"! Mas ele está bem pálido, escondido atrás das nuvens espessas sniff, sniff. Cadê a primavera?






Desculpem se este post está meio azedo, mas eu quero os passarinhos cantando e o sol brilhando e as flores desabrochando...quem acabou com a primavera?

Update (29/03/2008)

A Leonor nos presenteou com este jóia nos comentários :

Primavera

..."A primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba seu nome, nem acredite no calendário, nem possua jardim para recebê-la. A inclinação do sol vai marcando outras sombras; e os habitantes da mata, essas criaturas naturais que ainda circulam pelo ar e pelo chão, começam a preparar sua vida para a primavera que chega.

Finos clarins que não ouvimos devem soar por dentro da terra, nesse mundo confidencial das raízes, — e arautos sutis acordarão as cores e os perfumes e a alegria de nascer, no espírito das flores.

Há bosques de rododendros que eram verdes e já estão todos cor-de-rosa, como os palácios de Jeipur. Vozes novas de passarinhos começam a ensaiar as árias tradicionais de sua nação. Pequenas borboletas brancas e amarelas apressam-se pelos ares, — e certamente conversam: mas tão baixinho que não se entende.

Oh! Primaveras distantes, depois do branco e deserto inverno, quando as amendoeiras inauguram suas flores, alegremente, e todos os olhos procuram pelo céu o primeiro raio de sol.

Esta é uma primavera diferente, com as matas intactas, as árvores cobertas de folhas, — e só os poetas, entre os humanos, sabem que uma Deusa chega, coroada de flores, com vestidos bordados de flores, com os braços carregados de flores, e vem dançar neste mundo cálido, de incessante luz.

Mas é certo que a primavera chega. É certo que a vida não se esquece, e a terra maternalmente se enfeita para as festas da sua perpetuação.Algum dia, talvez, nada mais vai ser assim.

Algum dia, talvez, os homens terão a primavera que desejarem, no momento que quiserem, independentes deste ritmo, desta ordem, deste movimento do céu. E os pássaros serão outros, com outros cantos e outros hábitos, — e os ouvidos que por acaso os ouvirem não terão nada mais com tudo aquilo que, outrora se entendeu e amou.

Enquanto há primavera, esta primavera natural, prestemos atenção ao sussurro dos passarinhos novos, que dão beijinhos para o ar azul. Escutemos estas vozes que andam nas árvores, caminhemos por estas estradas que ainda conservam seus sentimentos antigos: lentamente estão sendo tecidos os manacás roxos e brancos; e a eufórbia se vai tornando pulquérrima, em cada coroa vermelha que desdobra. Os casulos brancos das gardênias ainda estão sendo enrolados em redor do perfume. E flores agrestes acordam com suas roupas de chita multicor.

Tudo isto para brilhar um instante, apenas, para ser lançado ao vento, — por fidelidade à obscura semente, ao que vem, na rotação da eternidade. Saudemos a primavera, dona da vida — e efêmera.

Cecília Meireles - Obra em Prosa - Volume 1", Editora Nova Fronteira -Rio de Janeiro, 1998, pág. 366."...

Update (31/03/2008)

Festa Primaveril das Jonquilles na França (vídeo em francês com belas imagens)

Em Saint-Etienne-de-Montluc, A festa das "jonquilles" é uma tradição. Para a ocasião, os habitantes fazem carros alegóricos completamente cobertos de "jonquilles" selvagens. Passeio pelas ruas da cidade.



22 comentários:

Isabel-F. disse...

Olá Maria Augusta,

pois por aqui também é Primavera ... e sente-se nos cheiros ... nas cores e nos passarinhos ...

o pior é o frio ... que pura e simplesmente não passou ... as temperaturas matêm-se de inverno (que eu odeio)

beijinhos

Aninha Pontes disse...

Maria Augusta querida, bom dia!
Aqui entramos no outono, mas o que sentimos é muito calor, do verão atrasado.
Está tudo virado às avessas.
Mas ela virá. Mesmo com a interferência humana, a natureza sempre sobreviverá.
Ela vai se impor.
Um beijo, nada gelado prá vc.

Lunna Montez'zinny disse...

Bom dia Maria Augusta...
Bem, acho que a Primavera está na lembranças das pétalas se abrindo em flor e na perfeição da confecção da paisagem quando o verde ser renova. Tarde, mas chega aos poucos. De mansinho e quando se abre os olhos numa manhã mais fresca - lá está e o seu passeio será garantido.
A natureza tem lá as suas razões, não é? Abraços meus a vc...

disse...

ui,ui...minha querida...acho que este talvez seja o maior problema de vc não estar aqui..pertinho de nós...longo frio...mas pode ter certeza já já..vai ser tudo como hoje aqui...lindo cheio de sol e flores todas....pois ainda não acabaram com a Primavera....

lindo bambi... linda escolha..é mesmo para espantar o frrrrio...

Sonia disse...

Muito poético esse post, com o texto terminando com o refrão "Cadê a primavera?" Lindas as fotos, o painel de flores e a música!
Beijos!

Só- Poesias e outros itens disse...

Maria Augusta,
linda estação e estou louca para viajar: vou para a Itália, daqui uns dias e depois para Portugal, e nunca estive nessa época do ano na Europa, sempre no final do verão. E, fiquei com água na bôca...

Lindo post!!!

bjs.

Só- Poesias e outros itens disse...

Esqueci de dizer:
a primavera está naquilo que sentimos de sempre e sempre de bom para com os outros e com a natureza.

bjs.

JU Gioli

disse...

maria Augusta... a Carla do Palavras em Desalinho me passou um desafio de perguntas...tive de repassar..minha querida espero tudo bem ...veja no Ví.
Beijos e obrigada

Maria Augusta disse...

Isabel, que bom que pelos menos ai ja tem os passarinhos...Um beijo.

Aninha, vocês tem o verão no outono, eu o inverno na primavera, o tempo esta maluco mesmo, né? Beijo.

Lunna, tomara que ela chegue de mansinho, mas chegue...porque no ano passado "não tivemos verão", só frio e chuva. Um beijo.

Maria Augusta disse...

Vi, verdade que aí no Brasil não tem este problema, o tempo é bonito durante o ano todo. Aqui o contraste é grande entre o inverno e a primavera, porisso ela é esperada ansiosamente.
Quanto ao même, estou indo lá ver.
Um beijo.

Sonia, obrigada, as flores sempre são benvindas, né?
Um beijo.

Ju, você tem razão, a primavera é um renascimento e devemos tê-lo dentro de nós...mas que a luz do sol ajuda, também é verdade.
Que bom que você vai fazer esta viagem, a grande vantagem da primavera além de ver a paisagem desabrochando, é que os dias são longos, e pode-se aproveitar mais os passeios. Um beijo.

Georgia disse...

Maria Augusta é primavera sim!!! Aleluia!!!

A terra diz que sim embora o tempo que vivemos faz a neve cair. Mas por onde olho está tudo florido. A terra está gritando que é primavera sim!!!

Bom fim de semana querida

Meire disse...

Guta, as mimosas sao as flores simbolo do dia das mulheres na Italia, e este ano aconteceu que em fevereiro fez dias quentes, as mimosas floresceram, depois esfriou derrepente e as arvores de amarelinhas ficaram marrons e com isso la se foram as mimomas..
O duro é q de uma hora para outra o tmepo vai mudar esquentar e....Adeus primavera...entraremos direto no verao.
Um beijo

Meire

Maria Augusta disse...

Georgia, aqui a neve queimou as flores que saiam...mas hoje sabado esta um dia bonito, até que enfim. Beijos e um bom fim de semana para você também.

Meire, não sabia que a mimosa era o simbolo da mulher na Italia, que bacana!
Beijos e bom fim de semana.

disse...

minha querida ..para te agadecer o carinho dos comentários nos dois novos...
Obrigada e grande beijo....

Leonor Cordeiro disse...

Querida Maria Augusta,
Hoje você está ceciliana na escolha do tema e nas indagações.
Por isso com o meu abraço envio Cecília para você :


Primavera

A primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba seu nome, nem acredite no calendário, nem possua jardim para recebê-la. A inclinação do sol vai marcando outras sombras; e os habitantes da mata, essas criaturas naturais que ainda circulam pelo ar e pelo chão, começam a preparar sua vida para a primavera que chega.

Finos clarins que não ouvimos devem soar por dentro da terra, nesse mundo confidencial das raízes, — e arautos sutis acordarão as cores e os perfumes e a alegria de nascer, no espírito das flores.

Há bosques de rododendros que eram verdes e já estão todos cor-de-rosa, como os palácios de Jeipur. Vozes novas de passarinhos começam a ensaiar as árias tradicionais de sua nação. Pequenas borboletas brancas e amarelas apressam-se pelos ares, — e certamente conversam: mas tão baixinho que não se entende.

Oh! Primaveras distantes, depois do branco e deserto inverno, quando as amendoeiras inauguram suas flores, alegremente, e todos os olhos procuram pelo céu o primeiro raio de sol.

Esta é uma primavera diferente, com as matas intactas, as árvores cobertas de folhas, — e só os poetas, entre os humanos, sabem que uma Deusa chega, coroada de flores, com vestidos bordados de flores, com os braços carregados de flores, e vem dançar neste mundo cálido, de incessante luz.

Mas é certo que a primavera chega. É certo que a vida não se esquece, e a terra maternalmente se enfeita para as festas da sua perpetuação.

Algum dia, talvez, nada mais vai ser assim. Algum dia, talvez, os homens terão a primavera que desejarem, no momento que quiserem, independentes deste ritmo, desta ordem, deste movimento do céu. E os pássaros serão outros, com outros cantos e outros hábitos, — e os ouvidos que por acaso os ouvirem não terão nada mais com tudo aquilo que, outrora se entendeu e amou.

Enquanto há primavera, esta primavera natural, prestemos atenção ao sussurro dos passarinhos novos, que dão beijinhos para o ar azul. Escutemos estas vozes que andam nas árvores, caminhemos por estas estradas que ainda conservam seus sentimentos antigos: lentamente estão sendo tecidos os manacás roxos e brancos; e a eufórbia se vai tornando pulquérrima, em cada coroa vermelha que desdobra. Os casulos brancos das gardênias ainda estão sendo enrolados em redor do perfume. E flores agrestes acordam com suas roupas de chita multicor.

Tudo isto para brilhar um instante, apenas, para ser lançado ao vento, — por fidelidade à obscura semente, ao que vem, na rotação da eternidade. Saudemos a primavera, dona da vida — e efêmera.

Cecília Meireles - Obra em Prosa - Volume 1", Editora Nova Fronteira -Rio de Janeiro, 1998, pág. 366.

Luma disse...

Não tem nada de meio azedo! Uma postagem cheia de cores e poesia. A primavera está aqui!! Bom fim de semana! Beijus

Maria Augusta disse...

Vi, tua criatividade não tem limites, você pode levar em frente vários blogs sem problemas. Desejo muito sucesso a todos.
Beijos.

Leonor, mas que texto maravilhoso este da Cecília Meirelles que você deixou aqui de presente para nós, muito obrigada. Já está integrado ao post! Beijos.

Luma, aí no Brasil vocês tem a sorte de ter o sol da primavera o ano todo, é verdade.
Beijos.

Mário disse...

Maria Augusta, deve ser uma alegria encontrar a primavera depois de um inverno desses daí. Por isso que prefiro ficar aqui mesmo neste confuso Brasil, mas possuidor de clima mais ameno. Bom domingo.

Adelino disse...

Augusta, lindíssimo post, como sempre.
O Mário disse bem, como deve ser bom sair do inverno, que também não deixa de ter seu encanto, para uma primavera tão bonita, tão alegre. E o fundo musical dos slides muito suave traz-nos uma certa paz, ainda que um tanto nostálgica.
Um ótimo domingo para você e familiares.

Só- Poesias e outros itens disse...

Maria Augusta,
adorei saber que voce ganhou um prêmio do Varal, lindo...
Muito merecido.

Bjs.

JU Gioli

Allan Robert P. J. disse...

Ué...?!
Pensei que a primavera tinha passado por aí antes de chegar aqui...

Maria Augusta disse...

Mário, o contraste é realmente enorme, porisso a esperamos tão ansiosamente. Um abraço.

Adelino, este clip do Bambi saudando a primavera achei muito bonito, pois é na floresta que ela se manifesta em toda sua amplitude, com o renascimento das árvores e das flores. Um abraço.

Jugioli, obrigada por me avisar, é um presente realmente maravilhoso.
Um beijo.

Allan, não passou não, mas espero que não tarde a chegar...Abraço.