segunda-feira, 24 de março de 2008

Os Símbolos da Fertilidade


Espero que vocês tenham passado uma Boa Páscoa. Aqui na França ela é comemorada hoje, na segunda-feira. Não sei ao certo porquê, acredito que seja porque a Ressurreição de Cristo se deu três dias depois de sua morte. Com o movimento que houve aqui no Jardin devido ao aniversário e à blogagem coletiva do "Dia Mundial da Água", a Páscoa ia passando "batida". Logo, como aqui ela ainda não acabou, vou falar um pouco dos costumes ligados a esta data.

Ontem li no Pensieri e Parole a história da origem dos ovos de Páscoa, achei interessante e fui pesquisar. Certas fontes dizem que os persas já ofereciam ovos há 5000 anos, depois os gauleses e os romanos também adotavam esta tradição. Para todas estas culturas pagãs, o ovo parece ter sido o símbolo da fecundidade e da renascença. Esta tradição foi adotada pela cristandade e o ovo se tornou o símbolo da ressurreição, assim como do fim das privações da quaresma.

Os primeiros ovos pintados apareceram no século XIII na Europa. Eles eram geralmente vermelhos, lembrando o sangue de Cristo e decorados com desenhos e divisas. Na Renascença, nas cortes reais, os ovos de galinha foram substituídos por ovos de ouro. Decorados de metais preciosos, de pedrarias e de pinturas de artistas célebres, eles atingiram seu apogeu na corte da Rússia, com, principalmente, os ovos do joalheiro Peter Carl Fabergé (1846-1920). O ovo de chocolate é mais recente, apareceu no final do século XIX, graças aos progressos na afinagem da massa de cacau aquecida a 50 °C e à elaboração das primeiras formas de prata, cobre ou ferro estanhado.

No século VII, a Igreja proibiu os sinos de tocar entre a quinta-feira santa e o domingo de Páscoa, em sinal de luto, para respeitar o tempo entre a morte de Cristo e sua ressurreição. Assim nasceu a lenda de que os sinos iam a Roma pelos ares para voltar somente no dia da Páscoa, carregados de ovos que iam distribuindo pelo caminho. Nos paises germânicos e anglo-saxões são os coelhinhos que trazem os ovos, logo, esta é a origem da tradição que adotamos no Brasil.

Comemoro a Páscoa à moda brasileira, no domingo, logo já ganhei e já comecei a comer meu belo ovo de chocolate. Mas os ovos que estão ilustrando este post são os famosos ovos Fabergé, que são verdadeiras preciosidades, tão bonitos que não resisti à tentação de mostrá-los aqui.







Curiosidades :

Os valiosos ovos Fabergé já foram objeto de filmes como "007 contra Octopussy" e "12 Homens e Outro Segredo", este último com George Clooney e Brad Pitt, entre outros.

O ovo Rothschild Fabergé foi vendido em um leilão em Londres em novembro último por 9 milhões de libras esterlinas...e levado de volta para a Rússia.

Update (25/03/2008):

Complementos trazidos pelo comentário da , a quem agradecemos :

"... das mais lindas e significativas é justamente a da foto acima dos slides,em esmalte rosa e decorado de Muguets foi oferecido pelo Czar Alexandre a Czarina por ocasião do nascimento de um de seus filhos...Fascinante também é a ligação da história destes ovos com o trágico destino da família Romannoff..."

Veja mais sobre a história dos ovos Fabergé aqui.

Update (26/03/2008)

Sobre a Páscoa, a Luma disse, nos comentários :

..."A Páscoa não foi celebrada ou mencionada na Bíblia, porém ela é celebrada sem interrupções desde a época do Novo Testamento. As datas de todas as festividades móveis da igreja são calculadas em torno da data de Páscoa. Antigamente a data da páscoa era confusa. os cristãos ocidentais celebravam a Páscoa depois da lua cheia do equinócio de inverno, em 21 de março, ou no domingo seguinte, que era calculada por um sistema de números áureos e epactas a não coincidir com a lua cheia e poderia cair entre 22 março e 25 de abril.

Durante os tempos do Novo Testamento, a igreja cristã celebrou a Páscoa ao mesmo tempo que os judeus celebravam o Pessach.

Na metade do segundo século, a Páscoa foi celebrada no domingo depois da Páscoa dos judeus." ...




21 comentários:

Eduardo P.L. disse...

Que bom que a PÁSCOA continua aqui no Jardim Françês!
Gostei de saber mais um pouco sobre a história dos ovos e etc...
Essas jóias de ovos são maravilhosas, mesmo!Mas ainda prefiro os de chocolate que se come!!!

Abçs e BOA PÁSCOA, HOJE e aí!

Aninha Pontes disse...

Ui, que ovos lindos e caros.
Mas são informações legais prá gente saber.
Nunca fui muito de ligar para chocolate, sempre dei um jeitinho de comprar pelo menos um para os três meninos. Mas agora com o Érickinho, vem ovo de chocolate de todos os lados.
Vamos passar bem um mês comendo chocolate com moderação por aqui.
Beijos meu bem.

Meire disse...

Guta, é tao bom fazermos estas pesquisas, q gente descobre coisas que nem imaginavamos.
Boa Pascoa francesa para voce.
Bjs

disse...

Maria Augusta ,
Que linda escolha para ilustrar a tua Páscoa....
Sempre fui apaixonada pela história de Peter Carl Fabergé e seu legado...Quando comecei a desenhar jóias,muitas foram as inspirações tiradas desta peças magníficas e únicas... das mais lindas e significativas é justamente a da foto acima dos slides,em esmalte rosa e decorado de Muguets foi oferecido pelo Czar Alexandre a Czarina por ocasião do nascimento de um de seus filhos...Fascinante também é a ligação da história destes ovos com o trágico destino da família Romannoff...
Não sabia a origem da Páscoa como vc conta aqui...Quantas coisas não estamos aprendendo com estas trocas maravilhosas...obrigada mais uma vez ...beijos e boa semana....

Só- Poesias e outros itens disse...

Maria Augusta

Sempre nos trazendo o prazer de ler.

Parabéns.

Bjs.

JU Gioli

Sonia H. disse...

Olá, Maria Augusta,
Adorei conhecer o teu blog, especialmente este post sobre os ovos e a Páscoa.
Aprendi muito aqui.
Parabéns!

Fernando Zanforlin disse...

Olá, Maria Augusta, LINDOS os ovos Fabergé, mas os que eu gosto mesmo são os de chocolate, avec beaucoup boisson de chocolat dans l'intérieur.
ab.

LUIZ SANTILLI JR. disse...

Linda postagem!

Então ainda dá para desejar uma Feliz Páscoa!
Ou pelo menos, um finzinho...

Abraço do Luiz

Maria Augusta disse...

Eduardo, os ovos de chocolate são para o prazer de nosso paladar, os Fabergé para o prazer de nossos olhos. Um abraço.

Aninha, é isso aí, precisamos comer chocolate com moderação, você tem razão, mas para mim nem sempre é fácil...Beijos.

Meire, pesquisar é como uma bola de neve, descobrimos uma coisa e ela nos leva a outra e assim vai. A blogosfera é otima para isto, dá-se uma idéia como você fez e ela vai se expandindo. Beijos.

Maria Augusta disse...

Vi, a historia deste artista e de seus ovos e sua ligação com a familia imperial russa também daria um belo post, pois é fascinante. Talvez o faça um dia, aqui so coloquei o link para a historia dos ovos, mas a tentação era grande de escrever mais sobre o assunto. Beijos.

Ju, muito obrigada, e você é sempre tão amiga e tão gentil.
Beijos.

Sonia H. obrigada pela visita e por suas palavras, volte sempre. Abraços.

Maria Augusta disse...

Fernando, o ideal é comer os ovos de chocolate olhando as fotos dos ovos Fabergé, assim é um duplo prazer, né?
Abraços.

Luiz, muito obrigada, e uma boa semana para você. Abraços.

Meire disse...

Guta, estopu chegando para te convidar para a blogagem coletiva, mas vc se adiantou, ja leu e ja aderiu...valeu!
Um beijo

Meire

Georgia disse...

Guta, obrigada pela adesao.

Nem deu tempo...vc já aparecer lá na minha Saia, rs.

A internet tem isso de bom: Nos informa sobre tudo.
A hist. dos ovos eu já a conhecia. Mas que ovinhos caros esses, nao?

Boa semana

Grande abraco Georgia

Lunna Montez'zinny disse...

Por mais que eu goste de chocolate, não como ovos de chocolate porque com o ritual de Ostara dedico-me a um momento de renovação e o chocolate não faz parte dos grãos que espalho pelo jardim - assim como os ovos que escondemos para que alguém os encontre. Também dedico-me aos pensamentos e a jejum mais intenso que representa a dedicação a natureza.
A Páscoa para mim não tem significado, acho que nunca teve. Por mais que eu a tenha estudado, é meio sem sentido alguns dizeres e outros muitos escritos. Claro que respeito a crença alheia, mas pouco falo do assunto.
Desejos de boa semana a você...
Beijos

disse...

Maria Augusta...
Não percebi se o teu link já estava aqui da primeira vez...mas que bom que voltei...o pouco que sei foi muitíssimo acrescido...Impressionante mesmo como as histórias de Fabergé e os Romanov se misturam...a complexidade e beleza dos ovos,inspirados nos acontecimentos de então e seu destino, sem dúvida dariam um maravilhoso post ...especialmente com a tua narrativa...Parabéns...beijos

Lino disse...

Pois é, acabei aprendendo a origem dos ovos de páscoa, que não conhecia.
Interessante sua pesquisa, Maria Augusta, mostrando a junção dos ovos com o coelho.

Luma disse...

Maria Augusta, você não tem jeito!! (rs*)

Não preciso dizer que adorei!

Teve um tempo que tentaram expulsar os católicos da França que viviam perseguidos, acusados do atraso no caminhar da humanidade.

A Páscoa não foi celebrada ou mencionada na Bíblia, porém ela é celebrada sem interrupções desde a época do Novo Testamento. As datas de todas as festividades móveis da igreja são calculadas em torno da data de Páscoa. Antigamente a data da páscoa era confusa. os cristãos ocidentais celebravam a Páscoa depois da lua cheia do equinócio de inverno, em 21 de março, ou no domingo seguinte, que era calculada por um sistema de números áureos e epactas a não coincidir com a lua cheia e poderia cair entre 22 março e 25 de abril.

Durante os tempos do Novo Testamento, a igreja cristã celebrou a Páscoa ao mesmo tempo que os judeus celebravam o Pessach.

Na metade do segundo século, a Páscoa foi celebrada no domingo depois da Páscoa dos judeus.

Por fim o Conselho de Nicéia decidiu, que todas as igrejas deveriam celebrar juntas em um domingo.

Por isso também as datas comemorativas na igreja não coincidem com a data que ocorreu o fato. Até porque antigamente o tempo era calculado baseado nas fases da lua.

Imagino que os católicos tradicionais aí da França celebram a páscoa no Domingo.

Beijus,

Maria Augusta disse...

Meire, teu blog é um dos primeiros que visito no dia, pois estamos no mesmo fuso horário (rs), portanto estou por dentro das novidades de lá logo cedo. Beijos.

Georgia, que bela iniciativa, tenho certeza que vai ser um sucesso. Quanto aos ovos Fabergé, os verdadeiros estão em museus e quando aparece algum em um leilão custam fortunas mesmo. Existem edições de cópias, que também são caras pois são jóias. Ainda bem que as fotos são gratuitas, eles são tão lindos, né? Beijos.

Vi, é uma saga impressionante e trágica, a desta família, aliás a história da Rússia sempre me atraiu pelos extremos que ela apresenta. Beijos.

Maria Augusta disse...

Lunna, é isso aí, cada um com suas convicções, todas são válidas desde que sejam sinceras. Não conheço o ritual de Odara, espero que um dia você poste alguma coisa a respeito dele. Um beijo.

Lino, fiquei espantada quando cheguei aqui e soube que não eram os coelhinhos mas os sinos que trazem os ovos! Verdade descobrir de onde vem as tradições que seguimos, né? Um abraço.

Luma, obrigada por todas estas informações sobre a Páscoa, são muito interessantes. Na verdade não descobri porque se comemora a Páscoa aqui na segunda, mas parece que isto acontece em vários países europeus. Um beijo.

Sonia disse...

Maria Augusta, espero que você tenha tido um delicioso domingo de Páscoa! Desculpe-me pelo meu atraso em deixar aqui o meu abraço!

Uma beleza o seu post de Páscoa. Muito interessantes as informações e as ilutrações são belíssimas. Aprendi muito hoje com você e com os comentários complementares!

Beijos!

Maria Augusta disse...

Sonia, que bom que você gostou. Realmente a blogosfera é esta soma de conhecimentos, nos posts e nos comentários, acredito que aprendemos porque tudo é dito de modo informal e interativo.
Beijo.