quinta-feira, 5 de junho de 2008

Bleu, blanc, rouge...et vert?

Photobucket


Há alguns meses falei sobre o Grenelle do Meio Ambiente aqui neste blog. Trata-se um conjunto de resoluções que foram resultado de uma "mesa redonda" entre a população, os políticos, os sindicatos, as empresas e as associações de ecologistas. Nele, todos as áreas da atividade humana foram estudadas e propostas foram apresentadas para diminuir o impacto das ações em cada uma delas sobre o meio ambiente. Na ocasião, fiz esta animação baixo para ilustrar as principais conclusões e as medidas propostas, que podem ser vistas aqui.


E após vários meses, onde estamos? Será que o pacote de medidas já foi aprovado pela Assembléia e pelo Senado e já entrou em vigor? A França estará pronta para mostrar ao mundo o caminho da salvação do nosso planeta? Hum, por enquanto não é bem assim...Em primeiro lugar foram votadas as diretrizes referentes aos transgênicos. A conclusão do Grenelle propunha a suspensão de toda plantação contendo transgênicos até que as pesquisas em curso fornecessem um laudo definitivo sobre sua periculosidade para o ser humano. Depois de muitas idas e vindas, finalmente a lei adotada permite "plantações com e sem transgênicos". Este resultado foi considerado uma derrota para os ecologistas e um duro golpe dado ao Grenelle do Meio Ambiente.

E o resto das medidas acima? Bom, elas forma organizadas em 47 artigos pelo Ministro do Meio Ambiente dia 30 de abril último, para ser enviada para votação à Assembléia e ao Senado. Trata-se do pacote Grenelle I, que estabelece as condições da realização das propostas do Grenelle. Os meios para o financiamento do pacote fariam parte de dois outros pacotes, o Grenelle II e III, que devem ser votados ates do final do ano. O que aconteceu? A adoção do Grenelle I foi adiada para o outono, pois o calendário parlamentar está muito carregado durante estes meses, pelo menos esta é a desculpa oficial. Oficiosamente acredita-se que o governo ainda está procurando meios para financiar as propostas do Grenelle, antes de permitir a votação. Por enquanto, resta a expectativa...



E independentemente do Grenelle, o que tem sido feito por aqui em busca de um comportamento mais respeituoso em relação ao meio ambiente? Deve-se dizer que não sei se é devido à evolução da mentalidade ou por efeito de moda, mas em todos os domínios temos visto iniciativas neste sentido :

Photobucket

Desenvolvimento de "bairros ecológicos", nos quais a concepção inclui :

- um baixo consumo de energia, sendo que esta viria principalmente de fontes renováveis
- a recuperação das águas da chuva, a permeabilização do solo e o tratamento das águas usadas
- a mobilidade sustentável, com transportes em comum, incentivo à carona, ciclovias
- a vegetalização dos espaço público (com plantas nos tetos, nas fachadas) e a introdução de parcelas de vegetação selvagem
- a mistura das funções, atividade econômica e residências, visando reduzir a necessidade de transporte
- a mistura de gerações e de classes sociais
- a discussão e participação dos habitantes nestes projetos.

Cerca de 20 bairros deste tipo estão previstos para breve na França. Você pode estar pensando "não moro na França, logo isto não me diz respeito". Mas não é bem assim, estamos todos no mesmo barco chamado Terra, e algumas destas medidas você pode sugerir aos vereadores aí na tua cidade, não?


Photobucket

Meios de Transporte "Insólitos", respondendo à necessidade de diminuir a circulação de automóveis nas cidades.

O primeiro é o cyclobulle (ciclobolha), um triciclo elétrico que funciona como táxi transportando o motorista e mais dois passageiros, e que foi lançado em Paris. O serviço é alugado para corridas tanto turísticas quanto para fazer compras ou outros deslocamentos corriqueiros.

Devido ao seu tamanho, ele pode alcançar lugares que os veículos tradicionais não alcançam. Os "taxis" triciclos motorizados também podem ser vistos em outras cidades, como Strasbourg, onde se chamam Eco'pouss.

Um outro meio de transporte é o "segway" (foto da direita) que também é elétrico e gasta ~1 kW/40 Km, que se apresenta sob várias formas e tem a vantagem de ser silencioso. A cidade de Lille, por exemplo, oferece um serviço de aluguel destes veículos para permitir aos turistas de visitar a cidade.


Photobucket


Trata-se de um novo modo de plantar e de consumir legumes, verduras e frutas bio : um grupo de agricultores que tem o compromisso de produzir legumes, verduras e frutas utilizando meios naturais e sem agrotóxicos coloca à disposição de grupos de consumidores seus produtos por meio de "assinaturas". Isto é, o consumidor se compromete a pagar um "carnê" mensalmente e recebe regularmente em casa uma cesta com os produtos do momento diretamente do produtor. Por exemplo, cada membro de um grupo de 60 a 70 famílias recebe uma vez por semana de 5 a 7 quilos de produtos frescos variados, custando de 12 a 20 euros.

A vantagem para o consumidor é que tudo é feito com transparência, ele pode ir visitar a plantação (em geral são próximas das cidades) e mesmo participar dela se desejar. E para o produtor a vantagem é poder prever suas vendas e ter assim tranquilidade para poder investir na qualidade dos produtos.

A fórmula está fazendo sucesso...e não é difícil de colocar em prática, né?

Fonte : L'Est Républicain (version Femina) 01/06/2008
Associação : Amap

Este post faz parte da blogagem coletiva em homenagem ao "Dia do Meio Ambiente", organizada pelo "Faça a Sua Parte".








Alto da Página

21 comentários:

Georgia disse...

Bom dia Maria Augusta!

Esse é um assunto que me fascina e me deixa preocupada ao mesmo tempo.

Tenho acompanhado cada notícia sobre o assunto e resolvi que este ano vou me informar como fazer um pomar de legumes em nosso jardim. Acho que essa seria uma boa medida em tempos difíceis.

A lista de solucoes sao imensas, como deu para ver naquele seu post onde você fala sobre Grenelle. Mesmo que depois eles a tenham peneirado, mesmo assim creio que muita coisa boa nao entrou na lista.

Certamente que as novas arquiteturas assim como os novos aparelhos já estao sendo vistos e fabricados com menor poder de consumo de energia.
A cada ano há coisas novas no mercado. E por aqui muitos dos alemaes estao trocando seus antigos aparelhos mesmo que em uso só para economizarem energia. Gosto da atitude dos alemaes. Eles nao sao muito de falar, eles agem.

Adorei a idéia do Transporte Insólitos e o Segway. Sao ótimas solucoes para o engarrafamento na cidade e diminuindo a poluicao.

Cada pais com seu método e escolhas. Mas vejo que estamos todos juntos preocupados nessa conscientizacao.

Acabei de postar. Tinha muita dor de cabeca desde ontem.

Te desejo um ótimo dia.

Grande beijo

Denise disse...

Olá Maria Augusta
Grande investida, os bairros ecológicos em projeto é uma solução extraordinária, mas infelizmente abrange um contingente muito pequeno de moradores como é o caso das ecovilas que temos por aqui.Serve mais de exemplo de como levar uma vida saudável e corretamente sustentável para o planeta, acho válido qualquer projeto ou solução que tem por objetivo a preservação do meio ambiente, pois os atos isolados, na minha opinião, acabarão fazendo diferença futuramente.
Tenha um ótimo dia.
Denise BC

RAMOSFOREST.ENVIRONMENT disse...

Essas comunidades conscientes ecológicamente estão inspiradas nas resoluções da ECO Rio 92 , a chamada Agenda 21, de caráter nacional, regional e local.
Boa iniciativa.

Luma disse...

Maria Augusta, político não bate nem ponto e acham que aquecimento global é proporcional a esquentar cadeiras. Sabe-se lá quando esse pacote de medidas entrará em vigor, quem sabe se houver outro puxão de orelhas da comunidade mundial?
Sobre os transgênicos, temos a soja, principal produto. Pois é! Questões ambientais não combinam com questões economicas. E ainda temos um presidente que declara que as questões ambientais atravacam o congresso.
Gostei do segway e de receber a feira por assinatura, economizamos também a ida ao mercado! (rs*)
Beijus

Silvia disse...

Maria Augusta, adorei o post! Aliás, os teus posts são sempre ricos em informações e fontes de pesquisa, uma delícia!

Fiquei animada com todas as sugestões, pois a implantação não é difícil, basta um tiquinho de vontade (nem precisa de muita vontade).

Quero um triciclo daqueles. ;-) Já reduzi um tiquinho o uso do carro (estou dividindo as idas e vindas da escola com meus vizinhos, cuja filha estuda na mesma escola das minhas - aí vou à academia a pé, pra deixar o carro na garagem), mas ainda falta muito. Queria ter um triciclo ou riquixá, assim dava para levar as crianças para a natação, por exemplo, sem carro!

Eduardo P.L. disse...

Maria Augusta,

essa postagem me passou...
Mas nem precisava fazer...a sua esta ótima! Assino em baixo.

Abçs

Adelino disse...

Maria Augusta, li com interesse os seus posts e ´também todos os comentários. Fiquei feliz ao ver a ECO-92 citada em um deles,
Grande abraço. Ótimo fim de semana.

Diz disse...

Vc faz posts ótimos. Caprichados.
Não me liguei ainda nesta onda do Faça a sua parte.
Queria saber mais quem faz parte. Engraçado isto do virtual, os grupos se fazem, alguns se fecham em guetos. Não me refiro a este.
Minha cabeça não deu pra pensar em nada estes dias, mas vou melhorar em breve, sou forte.
Bjs laura

sonia a.m. disse...

Quantas informações e exemplos importantes aqui neste seu post, Maria Augusta! Parabéns! Com tanta informação que temos hoje, só não participa e faz sua parte quem não se interessa pela vida.
Beijos!

Eduardo P.L. disse...

Maria Augusta,

esse encontro com a Vi, renderá um POST?

Abçs e curiosidade de ve-as ( em FOTO) juntas....

Betho Sides disse...

Tudo o que fizermos para mudar o comportamento das pessoas e governos, será pouco para salvar-mos nosso querido(como vc disse), barco chamado planeta. Bonita postagem Guta e um excelente final de semana!

Aninha Pontes disse...

O mundo precisa acordar para o resultado de tantos anos de descaso com a natureza. Passou da hora do mundo se juntar neste intuito, salvar a natureza.
Vamos fazendo cada um a sua parte, e vamos falando e ensinando nossos pequenos a terem respeito para com a terra, e tudo que ela nos dá.
Acredito num futuro melhor para nossos netos.
Beijos menina.

Flavia Sereia disse...

Hã tanta coisa que pode ser feita, basta ter vontade politica né mesmo?
Há muitas alternativas que poderiamos usar para melhorar a vida e o meio ambiente, mas sem incentivo politico as vezes fica impossivel.
O nosso lixo organico, pode muito bem ser usado como abudo, mas quem faz isso? quase ninguém. Uma lastima. Eu aqui planto até ervas em latinhas.
Sinto muita pena das novas gerações, eles não vão ter as coisas com tanta facilidade que nós tivemos. Umas lástima.

bjs

Maria Augusta disse...

Georgia, realmente no Grenelle algumas coisas ficaram de fora, mas uma parte importante que achei é a que diz que "cada ação do governo deve levar em conta o impacto ambiental". Se conseguirem manter isto, já é um grande passo à frente. Sei que aí na Alemanha a mentalidade ecológica está bem estabelecida, que bom.
Beijos.

Denise, verdade que estes bairros ecológicos ainda são exceção, acho que a parte mais complicada será adaptar as residências já existentes às novas normas ambientais. O Grenelle prevê uma ajuda financeira aos proprietários para fazê-lo.
Abraços.

Ramosforest, é sinal que a Eco Rio 92 conseguiu deixar suas marcas, apesar de tudo.
Abraços.

Maria Augusta disse...

Luma, tem sido realmente uma guerra passar as propostas do Grenelle para aprovação no Senado e na Assembléia, a parte dos transgênicos foi modificada sob a pressão dos lobbies. O resto (se passar) deve entrar em vigor antes do fim do ano, vamos ver...
Beijos.

Silvia, realmente certos gestos só precisam de um pouco de boa vontade. Agora, para me deslocar em uma cidade onde haja os triciclos, vou privilegiá-los em relação aos taxis, e também prefiro deixar o carro em casa e andar a pé o máximo possível. Mas ainda é pouco, sei que preciso fazer mais...
Beijos.

Eduardo, é normal, você está de férias e fora do país. Boa continuação de viagem e um abraço.

Maria Augusta disse...

Adelino, a Eco-92 foi muito importante, embora suas resoluções não tenham sido seguidas tanto quanto deveriam, ela marcou as mentes, felizmente.
Um abraço.

Laura, o Faça a Sua Parte é um grupo (do qual faço parte) que tem preocupações ambientais e as expressa no blog. Não é fechado não, esta causa precisa do apoio de todos, quanto mais gente divulgá-la melhor.
Beijos.

Sonia, sempre tem um jeito para adotar um novo comportamento mais respeitoso em relação ao meio ambiente, né? E aos poucos mudamos de hábitos e de mentalidade.
Beijos.

Maria Augusta disse...

Eduardo, o encontro com a Ví vai dar um post sim. Hum, quanto à foto, acho que ela vai direto para a Vítima da Quinta (rs)...
Abraços.

Betho, pois é, vamos tentar impedir nosso barco de afundar, né?
Abraços.

Aninha, o que fizermos hoje pelo planeta, nossos filhos e netos agradecerão, com certeza. Precisamos deixar alguma coisa para eles...
Beijos.

Flavia, acho que a nossa geração foi a última que pôde se dar ao luxo de desperdiçar tanta coisa...e as próximas pagarão pelos nossos erros, com certeza. Porisso precisamos corrigir o que for possível.
Beijos.

Cadinho RoCo disse...

A idéia dos bairros ecológicos é sensacional e universal sim. Ela oferece soluções acessíveis e muito interessantes.
Cadinho RoCo

Fernando Zanforlin disse...

Um bom passeio cultural: Grand Palais - Monumenta 2008, Richard Serra, Promenade , com outras cores.
ab.

Larissa Hardt disse...

Oi, Maria Augusta! Voltei!!
Adorei este projeto de bairros ecológicos. Embora ainda não estejam totalmente de acordo com os conceitos que vc apresentou, conheço alguns projetos similares em Minas, em uma regiào onde a preservaçào ambiental é a regra número 1. Muito bom mesmo!!

Maria Augusta disse...

Cadinho, no futuro todos os bairros deverão ser ecológicos. Aqui na França está previsto que em 2020 todas as casas serão a energia positiva, quer dizer vão produzir mais energia que gastam. Para isto, as já existentes vão ter que ser reformadas.
Abraços.

Fernando, obrigada pela dica, estou com vontade de ir a Paris para ver esta exposição e também a da Maria Antonieta.
Abração.

Larissa, que bom saber que em Minas também essa idéia já está sendo empregada.
Beijão.