sexta-feira, 20 de junho de 2008

A Poesia de Vidro

Photobucket

Entre as formas de expressão artística, entre as que mais aprecio estão algumas que tem o vidro ou o cristal como suporte. Acho maravilhoso como os artistas jogam com as formas, a luz e as cores para fazer vibrar a transparência. Porisso vou falar deste artista, cujas obras conheci há muitos anos e que me marcaram pois ele alia a esta beleza do vidro temas como o espaço e os mistérios do céu estrelado, criando verdadeiros poemas em vidro.

Photobucket


E eu acreditei ver a fada com o chapéu de luz que outrora nos meus sonhos de criança mimada passava, deixando sempre de suas mãos entreabertas nevar brancos buquês de estrelas perfumadas.



Stéphane Malarmé - Aparição


Trata-se de Yan Zoritchak, radicado na França, mas que veio da Tchecoslováquia, um país que tem uma grande tradição na arte do vidro e do cristal. Seu mestre na "Escola de Praga" foi Stanislav Libensky, um grande nome neste domínio. Como outras influências ele teve o escultor Brancusi, que ele considera seu "pai espiritual" e também o criador da escola Bauhaus, Walter Gropius, que o inspirou na adoção de formas geométricas abstratas.

Photobucket

As estrelas eu disse um dia : "Vocês não parecem felizes ; suas luzes tem ternuras dolorosas no infinito escuro ...
Elas me disseram : "Nós somos sós. Cada uma de nós é muito distante das irmãs das quais nos acreditam vizinha...
E eu lhes disse : "Eu as comprendo ! Pois vocês são como as almas. Como vocês, cada uma brilha, longe de suas irmãs que parecem próximas dela. E a solidão imortal queima em silêncio na noite.


Sully Prudhome - As Solidões


Em suas obras, ele busca sempre formas perfeitas obedecendo às relações de harmonia da geometria e da matemática mostrando uma busca mística da beleza existente nelas. Um outro grande tema de seu trabalho foi o espaço cósmico, procurando estabelecer sempre esta ligação entre o céu e a terra, por meio de seus asteróides, lagos espaciais, flores celestes.

Photobucket


Se alguém ama uma flor que existe em um único exemplar entre os milhões e milhões de estrelas, isto é suficiente que seja feliz ao olhá-la.


Antoine de Saint-Exupéry - O Pequeno Príncipe

E tentando fazer este elo entre o céu e a terra, representada pelos seus blocos de vidro, ele criou peças maravilhosas...mas como as imagens falam mais do que as palavras, vejam o diaporama abaixo e me digam se não tenho razão...






Alto da Página



20 comentários:

Flavia Sereia disse...

Nossa que peças lindas. Eu acho lindo peças de vidro, cristal, qualquer coisa que seja transparente. Só não tenho nada disso em casa, pq eu acabo quebrando tudo rs
As poesias tb são lindas.
bjs

Aninha Pontes disse...

São lindas mesmo.
As peças em vidro tem um quê de fascínio.
Talvez pela transformação tão bonita de se ver.
Beijos menina

Adelino disse...

Maria Augusta, mais um show de post.
Grande abraço

disse...

Oiii !!
J� estou com saudades ...que bom poder te encontrar aqui...
Que artista maravilhoso,n�o conhecia...suas pe�as s�o verdadeiras j�ias et�reas, quase parecem colhidas no espa�o fragmentos de meteoritos....e a m�sica?
Te superas, hem? Pequena, grande mulher...
Beijos

Poesia! disse...

bom dia!
gosto muito do sua pagina!
sou adm. do blog “o fogo anda comigo”(thefirewalkswithme.blogspot.com).
o blog tem como ideal um SARAU AMPLIFICADO onde TODOS divulgam suas ideias e, o principal, poemas.
gostaria de ser um parceiro seu!
OBRIGADO!
ofogoandacomigo@yahoo.com.br

Maria Augusta disse...

Flavia, é um dos meus pontos fracos, esta fascinação por tudo que é transparente. Tenho uma coleção de miniaturas de vidros de perfume, que adoro (estão bem protegidos, também tenho medo de quebrar).
Beijos.

Aninha, este artista tem coisas muito bonitas, eu ia sempre visitar uma galeria aqui em Nancy que vendia suas obras para vê-las.
Grande beijo.

Adelino, muito obrigada pela visita e pelo comentario.
Um abraço.

Vi, também estou com saudades, já fui lá no Ví olhar de novo nosso passeio em Strasbourg. Este artista tem uma fascinação pelo espaço, e como juntou isto e a transparência, sou uma grande fã dele.
Beijos.

Poesia, fui ver teu "sarau", é muito interessante. Não escrevo poesias, mas aprecio muito e vou voltar lá para lê-las.
Um abraço.

Eduardo P.L. disse...

Maria Augusta,

o som esta combinando extraordináriamente com sua postagem sobre essas obras de artes de vidro e cristal. Materiais pouco trabalhados no Brasil, e que dependem de tradição, como disse! Grande artista e que teve a felicidade de seu olhar apurado.

Bom fim de semana!

PS- Obrigado pela chamada do TERTÚLIAS VIRTUAIS. Você sempre participativa e amiga!

disse...

Querida vim te dar um beijo de bom fim de semana...Que bom que gostou das fotos,também fiquei surpresa de ver como do pequeno telefone sairam coisas com tanta definição...fantástica esta nossa tecnologia, não é?
Um abraço no Michel..e beijos.

Maria Augusta disse...

Eduardo, achei que o som dos sinos combinavam com o som quando tocamos os cristais. Este artista fez uma grande exposição no Museu de Belas Artes de Nancy anos atrás, não a vi pois estava no Brasil, mas conheci seus trabalhos numa galeria de arte daqui e adorei. Quanto às "Tertúlias" não precisa agradecer, elas merecem a divulgação.
Abraços.

Vi, fiquei apaixonada por seu "telefone", que fotos de boa qualidade ele faz.
Um grande beijo.

Só- Poesias e outros itens disse...

Voltei para ler e ouvir mais um pouco.
Tinha certeza de ter deixado um comentário anterior, coisas de computadores desconhecidos aqui deste lado, sonegando interações.

bjs.

JU Gioli

Georgia disse...

Maria Augusta, sabe que o carteiro passou por aqui ontem e nos deixou um cartao lindo de Nancy?
Ficamos já impressionados com a beleza do envelope. Ele por si só já era um cartao postal. O Daniel disse que vai guardar os dois, rs. Muito lindo! Muito obrigada.

Eu gosto muito de vidro também. Minha mae tinha na mesinha da sala uma colecao de bichinhos de vidro coloridos. Eu ficava fascinada, mas nao podia tocá-los. Imagina a tortura?

Em Feldberg na Floresta Negra tem uma fábrica de vidro, nao sei se você conhece a regiao e lá eles fazem coisas lindas e nós temos algumas decoracoes em vidro de lá. Uma amiga minha francesa que vive aqui nos presenteou um pássaro em vidro feito numa fábrica na Franca. A qualidade totalmente diferente da do alemao. Linda demais que eu a guardo com carinho.

Muito obrigada mais uma vez pelo cartao e te desejo uma ótima semana.

Beijao

Lunna Montez'zinny disse...

Olá Caríssima, começou há pouco uma chuva calma e gostosa por aqui. Desculpe-me pela demora, mas estive com acesso restrito a internet. Tive problemas com meu computador e não pude levá-lo comigo na breve viagem que fiz até Paris. Eu adoraria ter combinado de conhecê-la, mas foi algo de última hora. Não tive tempo para muita coisa. Foi um encontro com poetas e eu aproveitei para passear um pouco pela belíssima Paris. Eu adoro os finais de tarde e o começo de noite naquela cidade. As luzes me causam surpresas várias.
Quando li seu post anterior (no dia em que não consegui postar) fiquei imaginando como deve ter sido agradável sua ponte entre essas duas diferentes formas de realidade. Fiquei feliz em perceber que houve muitos motivos para sorrir. Como ficarei por aqui até setembro, quem sabe não nos permitimos uma ponte também.
Nem preciso dizer que adorei seu post, não é? As ilustrações ao lado das frases me permitiu uma doce forma de viagem.
Bacio en tuo cuore.

Georgia disse...

Maria Augusta, já postei seu cartao lá na Saia. Passe por lá.

Li logo ai acima do lado esquerdo da tela a convocacao para a blogagem coletiva do Faca a sua Parte e também para a Tertúlia. Dessa vez nao vou participar de nenhuma das duas, pois estaremos em férias e nao vai dar mesmo. Férias sao férias e eu nao vou levar o PC e nem deixar que o marido o leve também, entende? Senao nao serao férias e vamos acabar trabalhando, rs.

Boa noite!

sonia a.m. disse...

Vidro e cristais sempre me fascinam! Um lindo post repleto de lindas imagens e boas informações... como sempre um prazer visitar o seu espaço. A música combinou muito bem com as imagens.
Beijos!

Maria Augusta disse...

Ju, também tenho este problema de comentários que desaparecem, deve ser um problema do Blogger. Obrigada pela visita em plenas férias.
Beijos e boa continuação da viagem.

Georgia, foi um grande prazer escolher e enviar este cartão para o Daniel. Obrigada por tê-lo postado no Saia Justa.
Conheço um pouco a Floresta Negra, porém confesso que não conheço os vidros que são feitos lá e no entanto é tão pertinho.
Quanto às coletivas, não se preocupe, passe tuas férias tranqüila.
Beijos e uma boa semana para você também.

Lunna, certamente teremos oportunidade de nos conhecermos aqui na Europa ou mesmo no Brasil, pois pretendo ir à Paulicéia antes do final deste ano.
Beijos e uma boa semana para você.

Sônia, obrigada pela visita, que bom que você gostou.
Um grande beijo e uma linda semana.

Isabel-F. disse...

Não conhecia ... e adorei ...

sem dúvida que são verdadeiros poemas em vidro.


beijinhos

Dora disse...

Maria Augusta. Você sempre me surpreende com novidades impressionantemente lindas! Sua sensibilidade me faz um bem danado!
Sua alma de artista nos oferece suas descobertas e eu fico aqui, entre deslumbrada com a beleza artística e sua delicadeza de alma.
É um encantamento as peças que mostrou! Já as olhei e re-olhei...
E já me emocionei.
Obrigada, sempre.
Um abraço apertado!
Dora

Allan Robert P. J. disse...

Belas peças.
Quando estivemos em Murano (na província de Venezia) acabamos passando o dia inteiro observando os "vetrai" e seus trabalhos. Só os preços não colaboram.

Celia disse...

M Augusta que pecas mais lindas vc nos mostrou. Adorei ve-las. Um beijo

Maria Augusta disse...

Isabel, que bom que existem poetas em vários domínios, mesmo no grafismo, não é mesmo?
Beijos.

Dora, obrigada por suas palavras, não sou artista, mas uma grande admiradora das coisas bonitas criadas por eles. Que bom que a beleza destas peças te emocionou.
Um beijo.

Allan, em Murano é muito legal ver os vidreiros criando aquelas peças tão lindas...mas caras, como você disse. Obrigada pela visita.
Abraços.

Célia, que bom que você gostou.
Beijos.