terça-feira, 24 de junho de 2008

Bon Appétit no Sudoeste

Photobucket

Castelo de Roque les Peagers no Périgord

Continuando o passeio gastronômico pelas regiões francesas, depois da Lorena e da Alsácia, que constituem o nordeste da França, vou atravessá-la em diagonal e passar àquela que é sem dúvida o próprio sinônimo dos produtos de qualidade: o sudoeste. Nela se encontram cidades como Toulouse, Bordeaux e Lourdes, e ela segue o litoral atlântico assim como a fronteira com a Espanha, incluindo o país basco e o famoso Périgord. Só para ter uma idéia, se dissermos foie gras, cassoulet, trufas, os vinhos Bordeaux, estaremos falando desta região. É nela, que o "French paradox" mais se aplica, quer dizer, esta capacidade que possuem os franceses de comer fartamente coisas pesadas, tomarem vinho tinto e não engordarem, aliás é uma das regiões onde as pessoas vivem mais tempo na França.


Photobucket

O cassoulet, os confits e o foie gras

Eles consomem principalmente carne de pato ou de ganso, dos quais aproveitam tudo : o foie gras, o peito para fazer o magret (peito), a banha para cozinhar e as coxas e as asas para fazer os famosos confits. Estes consistem em pedaço de carne que são imersos na banha de ganso ou de pato e nela curtidos, tornando-se macios e com um gostinho especial. É muito bom, um confit com uma batatinha, é realmente uma delícia.

Os confits (à direita) são também usados para preparar o prato mais conhecido da região, o cassoulet (à esquerda). Ele não tem uma receita única, cada cidade tem o seu jeito de prepará-lo e jura que é o melhor. Mas em todos a base são os feijões brancos, que é cozido com pedaços de porco e carneiro, lingüiças, tomates, e depois levado ao forno com os confits em um recipiente de terra, a cassoule. Diz a tradição que à medida que uma casquinha vai se formando na superfície deve-se quebrá-la e o cassoulet estará pronto depois de sete cascas.


Photobucket

Vitrine de produtos típicos de Toulouse


Entre os outros pratos característicos do sudoeste estão o poulet
basquais
(frango basco), que é um frango com pimentões, bem apimentado e cozido no vinho, e a piperade (foto à direita). Esta última é como um omelete com presunto (opcional), tomates, cebolas e muiiiita pimenta, inclusive a terrível pimenta de Espolette, ardida que dá até para chorar.

Nas regiões litorâneas consome-se bastante os frutos do mar como os mariscos e as ostras, sendo que as da Bacia de Arcachon são reconhecidamente excelentes. Entre os frios, o presunto de Bayonne é um dos produtos marcantes da região.

No quesito "champignons", com certeza a rainha é a truffe (à esquerda). Trata-se de um champignon caríssimo, conhecido como o diamante negro, que perfuma e dá um gosto especial aos pratos. Ele é colhido com a ajuda de cachorros ou porcos usados para farejá-lo. Outro champignon, não tão caro, mas também muito bom é o cêpe, muito utilizado nesta região e popular na França inteira.

Em relação aos doces, uma especialidade interessante (em Toulouse) são aqueles preparados com violetas. Isto mesmo, é a flor que é a base de balas, bombons, licores e tortas, onde são introduzidos a essência de violeta ou mesmo as pétalas.


Photobucket

O Castelo de Monbazillac no meio de suas vinhas no Périgord


No quesito "queijos", os mais famosos desta região são o Roquefort e o Rocamadour, assim como os queijos dos Pireneus, e se falarmos de vinhos é aí que é se encontram os famosos Bordeaux : Graves, Médoc, Saint-Emilion, Pauillac, produzidos nas vinhas dos quase 3000 castelos, entre eles os célebres Margaux, Saint-Estèphe, Lafite. Mas para falar deles um post somente não bastaria...pois além dos Bordeaux, podemos falar do Cahors, Madiran , Monbazillac, a lista é interminável.

Nesta série gastronômica sempre trago uma receita da região. Não será uma receita de cassoulet porque nunca o fiz em casa, e gosto de apresentar aqui receitas testadas. Então vou colocar uma de "magret de canard au miel" (peito de pato com mel), que é rápida, fácil e deliciosa mesmo para um jantarzinho mais formal. E bom apetite!



Alto da Página




19 comentários:

gilrang disse...

maria,

pofffff!.... (sou eu caindo, de olhos satelizados por tanta coisa boa!!!)...

Dora disse...

Maria Augusta. As iguarias, com os textos explicativos, ficam mais interessantes aos nossos olhos...e ainda vc acrescenta as fotos! Já experimentei alguns desses sabores, sobretudo os queijos e vinhos, e mesmo pratos de carne...Mas, eu acho uma gostosura vê-los aqui, em uma delicada exposição, em meio aos locais de origem e com sua descrição. A receita, é claro, vou copiar.
Já andei fazendo arte aqui, com a última que copiei...rs
Delícia de post. A gente o degusta com os olhos...
Beijo meu.
Dora

Eduardo P.L. disse...

Que delícias. E comer TUDO ISSO e não ganhar peso, ao contrário, viver mais...

Como é bom morar na França!!!!

Parabéns pela delicada, correta, e competente postagem.

Georgia disse...

Maria Augusta, isso nao se faz!

Colocar um post desse quando eu estou fazendo uma dieta das Arábias, hahahhahahahaha!!!

Mas eu amo os queijos franceses e os vinhos. Espero também viver longo comendo essas delícias,rs.

Amei a técnica das fotos. Está muito show.

Os campos franceses sao lindos e esse castelo rodeado de videiras deixa o lugar especial.

Nao sabia essa dos champinons, muito interessante: serem colhidos com a ajuda dos cachorros e porcos.

Me faz um post sobre sabonetes franceses se você achar alguma coisa. Uma vez vi na TV aqui que eles fizeram coisas lindas, cheirosas com tantas especiarias diferentes.

Grande beijo e boa terca-feira totalmente ensolarada!!!)

disse...

Ai, ai, ai, AIAI!
Mas o que que estou fazendo aqui?Deveria ter continuado viagem ....meu Deus que maravilhas de comidas....tudo o que eu gosto...e os lugares então ....ainda bem que já tive uma prova de tudo isto...mas sempre é pouco....Que competência em descrever estas maravilhas...Quem sabe o nosso próximo encontro não possa ser por por lá...
Mil beijos, saudades!

Lunna Montez'zinny disse...

Hoje eu vou ter que reclamar, meus olhos praticamente lamberam a tela. Mas tudo bem, está fazendo um enorme calor por aqui e a Angela está preparando uma delicosa cassata siciliana.
Menina, que horror, assim que cheguei por aqui estava frio. Até tomei um daqueles caldos deliciosos. Agora, mais de quarenta graus de um dia para o outro. Haja saúde.
Beijos e não se preocupe com a reclamação, ela é sadia, adoro seus posts, me motivam a novas viagens.

Luma disse...

Que delícia de post!! Eu adoro Cassoulet e faço um a minha moda, tão a minha moda que nem crosta tem! :=))) E a Anny do Blog Inha vai me passar um antídoto para a minha alergia com pimentas. Ninguém mais me segura! Nada substitue o prazer de comer e eu ainda quero descobrir porque os franceses nao engordam. Já copiei a receita do pato. Beijus,

Kovacs disse...

Nossa, realmente uma delícia de texto, feito com muito carinho, cuidado e atenção. Parabéns, sempre bom passar por aqui.

Maria Augusta disse...

Gilrang, vejo que você aparece quando tem coisas gostosas (rs).
Um abraço.

Dora, é meio difícil explicar por escrito o sabor e o aroma dos pratos, porisso coloco as imagens. Esta receita é muito fácil e gostosa, pode fazer que dá certinho.
Beijos.

Eduardo, é realmente espantoso como com esta dieta "engordurada" eles não engordam. Mas parece que o paradoxo é válido só para os franceses mesmo, ganhei muitos quilos depois que cheguei aqui (rs).
Abraços.

Maria Augusta disse...

Georgia, esta região é uma beleza, além da comida deliciosa tem paisagens maravilhosas, e mil castelos...Quanto aos sabonetes vou fazer uma pesquisa, pois eu uso sabonetes brasileiros (encomendo os da Natura, que tem um loja em Paris), pode?
Grande beijo.

Ví, quem já conhece a região quer mais, né? Quem sabe poderemos fazer uma "ponte mágica" lá no Périgord, como fizemos na Alsácia? Seria muito bom...
Um beijão.

Lunna, aí na Itália está um calorão? Por aqui o verão ainda está tímido, prometeram 25 graus para esta tarde vamos ver. E você está passando do caldo quente ao sorvete de um dia para outro?
Que loucura, né?
Grande beijo.

Maria Augusta disse...

Luma, o cassoulet tem variações para cada cidade, se você tem a tua própria receita é muito natural. Então a Anny tem receitas contra as alergias? É bom saber...Se você descobrir porque os franceses não engordam me conte, pois como a mesma coisa e os quilinhos não perdoam (rs).
Um beijão.

Kovacs, obrigada pela visita, volte sempre.
Abraços.

Só- Poesias e outros itens disse...

Maria Augusta, anotei a receita do magret de canard au miel,
sofisticada e fácil de fazer.

bjs.

JU Gioli

Celia disse...

M.Augusta, vc faz a gente ficar com agua na boca com tanta comida gostosa. Estou adorando ler sobre o assunto. Bj

Isabel-F. disse...

que post mais apetitoso ...


parabéns por ele...

sou fã da gastronomia francesa ...


bjs

gilrang disse...

maria,

eu SEMPRE apareço... vir aqui é um bálsamo. mas, voce sabe, a vida leva a gente para uns lados que a gente não imaginava antes de lá chegar. ando muito, muuuuuiiito ocupado (eu lhe conto oportunamente) e nem sempre tenho a chance de comentar. aliás, eu faria uma correção à sua observação:

"...você só se manifesta quando tem coisas gostosas (rs)..."

agora, sim, eu concordaria... mas, o que posso fazer? voce provoca os meus instintos (rsrsrsrs)...

ps: em verdade, eu tenho tentado me manifestar mais vezes, mas parece que o blogger se recusa a aceitar meus comentários e eu perco tudo quando eu os envio. ao teclar "publicar comentário", tudo se apaga (como acaba de acontecer - só que, prevenido, eu havia copiado o comentário)...

Maria Augusta disse...

Ju, esta receita é bem mais simples que o cassoulet, e é muito boa também. Beijos.

Célia, que bom que está gostando, vou continuar nos próximos meses falando da gastronomia das outras regiões.
Beijos.

Isabel, em termos de gastronomia a França é realmente muito especial. Beijos.

Gilrang, era só uma brincadeira, se manifeste quando puder, é sempre um prazer.
Um abraço.

gilrang disse...

maria,

não se preocupe; eu entendi a sua brincadeira... só estou tentando levá-la mais adiante... repito, seu jardim é como um bálsamo (sem brincadeiras, desta vez).

Adelino disse...

Maria Augusta, sou fascinado por castelos. Parece que os personagens que ali viveram ainda lá se encontram. Já por vinhos, nem tanto, embora admire quem entenda (os enólogos, não é?) e goste, claro.
Feliz final de semana.
Um abraço

Saia Curta disse...

Olá Maria Augusta, adorei sua postagem ,deu para conhecer um pouco da França .Esses castelos são divinos,esses pratos são maravilhosos,estou até com água na boca....
valeu
beijão...
n@n@