terça-feira, 20 de maio de 2008

Cannes 2008



Update 25/05/2008

Palmarès do Festival de Cannes 2008 :

Palma de ouro : Entre as paredes, de Laurent Cantet.

Grande prêmio : Matteo Garrone, por Gomorra.

Prêmio especial : Catherine Deneuve (atriz francesa) Clint Eastwood (ator - realizador americano), pelo conjunto de suas carreiras.

Prêmio de direção : Os Três Macacos, de Nuri Bilge Ceylan

Prêmio do juri : Il Divo, de Paolo Sorrentino.

Prêmio do roteiro : O Silêncio de Lorna, dos irmãos Dardenne.

Prêmio de interpretação féminina : Sandra Corveloni (atriz brasileira), por seu papel em Linha de Passe.

Prêmio de interpretação masculina : Benicio Del Toro (ator americano), pelo seu papel de Ernesto Guevara em Che.

Câmera de ouro : Hunger, de Steve McQueen.

O grande evento daqui no momento é o Festival de Cannes, que festejou seu 60° aniversário no ano passado. Como todos os anos, os olhares do público, da mídia e da crítica estão voltados para a "Croisette", onde todos querem ver e serem vistos, afinal Brigitte Bardot, por exemplo, despontou para o mundo devido a este festival. Entre as estrelas presentes estão Clint Westwood, Angelina Jolie, Cate Blanchett, Harrison Ford, Penelope Cruz, Scarlett Jannson, Natalie Portman, Catherine Deneuve, Steven Spielberg, George Lucas..

Mas apesar da "glamourização" do festival, com a mítica subida da escada e do desfile sobre o tapete vermelho, se trata mesmo é de um festival de cinema. E neste ano há 22 filmes concorrendo (lista completa aqui), sendo que ele foi aberto com um filme brasileiro chamado "Blindness". O júri que terá a difícil tarefa de escolher os melhores é presidido por Sean Penn e conta entre outros com Natalie Portman (Leon, Star Wars), Alfonso Cuaron (realizador de Harry Potter e o prisioneiro de Azkaban) e Sergio Castellito (Le Grand Bleu).

Photobucket

Mas participar e/ou vencer o festival de Cannes é uma garantia de sucesso para um filme? Nem sempre. Vejamos alguns casos. Sem dúvida, o maior sucesso de bilheteria entre os que receberam a "Palma de Ouro" foi o filme "Apocalipse Now" de Francis Ford Coppola, uma violenta crítica à guerra do Vietnam. Também nesta linha de crítica às guerras, MASH também foi bem recebido pelo público. Um outro grande sucesso foi "Um Homem, uma Mulher" com Anouk Aimée e Jean-Louis Trintignant, afinal quem não se lembra da famosa trilha sonora "chabadabada"? Ou a "Lição de Piano". No entanto, alguns fracassos retumbantes de bilheteria aconteceram entre os vencedores, como nos casos de Underground (1995), "A Eternidade e um Dia" e "O Homem de Ferro"(1981).

Photobucket

Os escândalos de Cannes também são célebres. "La Dolce Vita" de Federico Fellini foi execrado pela Igreja Católica e vaiado pelo público em Cannes, no entanto a cena na qual Anita Ekberg se banha nua na "Fontana de Trevi" se tornou uma das cenas míticas do cinema. Um outro aconteceu em pleno maio de 1968 quando François Truffaut e Jean-Luc Godard se manifestam contra o poder vigente e o festival acabou por ser anulado. E o caso de Isabelle Adjani, que foi boicotada pelos jornalistas devido a seus ares de estrela (1983)? Quando ela pisou no tapete vermelho eles simplesmente pousaram suas câmeras no chão e viraram as costas. E a passagem de Madonna, vestida com um modelo "leve" de Jean-Paul Gaultier que causou o maior auê em 1991? Merece também ser citado o caso do polêmico "Farenheit 9/11" em 2004, que criticava a política de George Bush em relação à guerra do Iraque.

Photobucket

E o Brasil em Cannes? Não podemos deixar de citar o grande clássico "Orfeu Negro", obra-prima de Marcel Camus que venceu em 1959, baseado na peça "Orfeu da Conceição" de Vinicius de Morais, tendo como trilha sonora a inesquecível "Manhã de Carnaval", interpretada por Agostinho dos Santos. Apesar da música e do elenco brasileiros, o prêmio foi para a França, pois o realizador era francês. O único filme brasileiro a ter recebido a "Palma de Ouro" foi "O Pagador de Promessas" de Anselmo Duarte em 1962. Depois disto, Glauber Rocha foi premiado como melhor diretor em 1969 por "O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro”, assim como Fernanda Torres, melhor atriz em 1986 por “Eu Sei que Vou Te Amar”, de Arnaldo Jabor.

Photobucket

Este ano além de "Blindness" de Fernando Meirelles, baseado no livro de José Saramago "Ensaio sobre a Cegueira", que abriu o festival temos também Walter Salles, que concorre com “Linha de Passe”, dirigido por Daniela Thomas. Vamos torcer, não é mesmo?




Update (20/05/2008)

A Sonia, a quem agradecemos, citou nos comentários uma outra participação brasileira : "vi ontem no programa Manhattan Connection (GNT) que o brasileiro radicado em Nova York, Antônio Campos, que é filho do jornalista brasileiro Lucas Mendes, está concorrendo com o filme Afterschool, exibido neste domingo na mostra Un Certain Regard. O filme descreve o universo inquietante de uma escola preparatória americana. Maiores informações, Aqui".

Vejam outros filmes brasileiros que serão apresentados nas várias mostras paralelas ao concurso principal de Cannes (fonte aqui):

"A torcida pelo Brasil neste ano continua na mostra paralela “Um Certo Olhar” (“A Certain Regard”), dedicada a filmes de diretores estreantes. É o caso de "A Festa da Menina Morta", estréia na direção do ator Matheus Nachtergaele, e "Afterschool", primeiro longa do brasileiro-americano Antonio Campos. O documentário “O Mistério do Samba”, por sua vez, que conta com a participação de Marisa Monte para narrar o cotidiano da Velha Guarda da Portela, encerrará a mostra “Cinéma de la Plage”.

Com presença cativa em Cannes, os curtas-metragens brasileiros terão quatro representantes nesta edição. "Areia", de Caetano Gotardo, e "A espera", de Fernanda Teixeira, estão na lista de filmes da 47ª Semana Internacional da Crítica, que será realizada entre 15 e 23 de maio, e que premiou no ano passado “Um Ramo”, dos paulistas Juliana Rojas e Marco Dutra. Já o curta "Muro", do pernambucano Tião, foi selecionado para a mostra Quinzena dos Realizadores. O quarto e último curta brasileiro é "O som e o resto", de André Lavaquial e Rodrigo Rueda Terrazas, que estará na mostra Cinéfondation."



Alto da Página


21 comentários:

Meire disse...

Maria Augusta, que post delicioso, me fez recordar de tantos filmes, sem deixar de falar da musica, sem duvida um dos filems mais lindos q assisti foi "La vita è bella"!

Bjs

Aninha Pontes disse...

E quanto luxo junto, heim?
Acho que deve ser uma festa linda, apesar de alguns dissabores para alguns, o que é normal em se tratando de competição.
Vamos sim, torcer por nossos filmes brasileiros.
Beijo querida.

disse...

Maria Augusta...cinematografia é uma arte que me fascina há tantos anos.. para mim das mais completas...somos ratos de cinema nosso programa favorito pelo menos duas vezes por semana.Que maravilha de post , muitas das informações que vc nos dá eu não sabia ou só por alto,e as fotos estão lindas.Sempre quis estarlá em Cannes por esta ocasião, o burburío e o charme devem ser únicos e o lugar então nem se fale.Adorei o formato do post e seu slide show .Parabéns, um mergulho neste mundo de fantasia.
Beijos

Georgia disse...

Oi Maria Augusta, esse é um assunto que me fascina. Meu padrinho de batismo foi o Oswaldo Massaini, o produtor do Pagador de Promessas. Aliás meu irmao cacula se chama Massaini em homenagem a ele. Meu pai gerenciava a Cinedistre no Rio de Janeiro na rua do México. Cresci cheirando os filmes e vendo os cortes deles. Agosto do ano passado escrevi sobre isso "Segredos da Vida.

Eu adoro cinema, arte, todas essas coisas me fascinam.

Ótimo post.

Boa semana

Lunna Montez'zinny disse...

Bom dia Maria Augusta, sinceramente o cinema brasileiro anda me surpreendendo e acho isso excelente porque até pouco tempo eu não me atrevia a assistir filmes produzidos por aqui.
Esse ano já assisti dois filmes brasileiros e pretendo assistir Bodas de Papel que estréia essa semana.
Não sou ligada em questões de festival ou prêmios porque nem sempre levam em consideração o que realmente importa, é muito marketing.
Investimento mesmo existe por parte da mídia que quer mostrar que lá estava e com que roupa estava.
Boa semana para sua alma. Beijos

Luma disse...

Antes que eu me esqueço, porque ando pra lá de esquecida :( sabe o endereço que deixou do docs? não abre, dá como inexistente!

Lendo o comentário da Lunna sobre os filmes brasileiros; será lançado um filme em que a personagem principal é uma blogueira. Aguarde!!

Cannes é o principal festival da Europa, com tanta força que nem mesmo a junção de Godard, Truffaut e Claude Berri que vociferavam pela sua suspensão em 68 e apelavam por um novo cinema e um novo festival, lhe fez destruir, apenas fortalecer.

Precisamos elevar a imaginação ao poder, já que não podemos mudar a realidade. Beijus

Sonia A. Mascaro disse...

Ótimo este post, Maria Augusta! Você me fez lembrar de muitos filmes que gosto muito e também fiquei sabendo de detalhes que desconhecia. A música que você escolheu para ilustrar este tema é também muito bonita!

Só para aumentar a lista de brasileiros que estão concorrendo em Cannes, vi ontem no programa Manhattan Connection (GNT) que o brasileiro radicado em Nova York, Antônio Campos, que é filho do jornalista brasileiro Lucas Mendes, está concorrendo com o filme Afterschool, exibido neste domingo na mostra Un Certain Regard. O filme descreve o universo inquietante de uma escola preparatória americana. Maiores informações, Aqui.

Beijos!

Boêmios Malditos disse...

Oi Guti. Quanto tempo hein!
Seu blog está interessantíssimo e com um visual muito bacana.
Parece que "Blindness" foi recebido com bastante frieza em Cannes, pelo menos foi o que a mídia veiculou aqui no Brasil. Já "Linha de Passe" recebeu ótimas críticas e bons minutos de aplausos.
Estou muito curioso para assistir o filme do Meireles, pois acho o livro uma obra-prima da literatura. Mas parece que ele foi terminado meio que 'às pressas' para o Festival. Bom, é esperar pra ver.
Ah, e não sou tão ufanista com o cinema brasileiro, mas existem boas produções nos últimos anos. Bons filmes que não precisamos nos proteger do sangue que voa pra fora da tela.

Beijão!

Fê.
(escrevendo com o perfil do meu blog)

Dora disse...

Maria Augusta. Já me atualizei aqui com o Festival de Cannes. Nem preciso buscar outras publicações...Você vê como blog é cultura e informação? rs
Sei que o Brasil já ganhou alguns "leões" de ouro, bronze, etc...e torço por Fernando Meirelles e Walter Salles. Penso que o filme baseado em Saramago, "Blindness", se for tão bem feito e interessante quanto o original,(refiro-me ao livro...) poderá levar prêmio.
Beijos para você!
Dora

Maria Augusta disse...

Meire, o Filme "A Vida é Bela" é mesmo uma obra prima, uma lição de como se pode ser criar um mundo de poesia mesmo no meio do inferno.
Beijos e bons preparativos para a viagem.

Aninha, é um luxo mesmo, uma grande vitrine, onde todos querem ver e ser vistos. Tomara que os filmes brasileiros façam bonito, né? Beijos.

Ví, na época do Festival de Cannes é uma festa na França inteira, mesmo os programas de televisão passam a ser feitos de lá, o charme e o glamour são indiscutíveis. E é principalmente a arte cinematográfica que é o alvo dos refletores.
Grande beijo.

Maria Augusta disse...

Georgia, nossa, afilhada do Massaini, o produtor da única "Palma de Ouro" que o Brasil ganhou em Cannes. Legal saber que você cresceu neste ambiente de cinema, deve ser fascinante.
Grande beijo.

Lunna, estou meio desatualizada em relação ao cinema brasileiro, mas já vi filmes muito bons produzidos nele quando morava aí. Você tem razão quando diz que existe muito marketing e "peoplelização" em relação a estes festivais, mas Cannes já mostrou que também se posiciona sobre questões importantes, como em 2004 quando deu a "Palma de Ouro" a um filme criticando a guerra do Iraque.
Beijos.

Luma, gostei da frase "precisamos levar a imaginação ao poder", já que não podemos mudar a realidade".
Li (acho que foi no blog da Lunna)sobre este filme cuja heroína é uma blogueira, os blogs estão começando a interessar os outros veículos de expressão. COloquei de novo o link para a receita da Flamenkuche num comentário no Luz, e também no post "Bon Appétit na Alsácia". Beijos.

Flavia Sereia disse...

O Brasil com certeza um dia chega lá.

bjs

Cadinho RoCo disse...

Muito bom chegar a publicações como esta que informa e passeia pela história de evento tão importante quanto o Festval de Cannes.
Cadinho RoCo

Anny disse...

Oi Maria Augusta:
Seu post está maravilhoso. Com esta música então, muito bom. Adoro cinema e os filmes brasileiros ficam cada vez melhores, né?

Kovacs disse...

Cheguei por aqui através do blog da JU. Achei muito bem escrita a postagem sobre Cannes. Quanto a "Blindness" é grande a expectativa de ver premiada esta adaptação de Saramago pelo brasileiro Fernando Meirelles.

Diz disse...

uauuuuuuuuuuuu
arrasou
vou voltar e ler com calma uma hora.
dei uma geral e adoreiiiiiiii
bjs querida.
Vc faz tudo aqui? ou tem ajudantes?
Laura

Maria Augusta disse...

Sonia, muito obrigada pelas suas informações, elas me permitiram de completar o post com os outros participantes brasileiros nas várias mostras do festival. Eu também gosto muito desta música do "A Vida é Bela".
Beijão.

Fê, meu sobrinho querido, que surpresa boa encontrá-lo aqui na blogosfera, principalmente porque é tão difícil te ver quando vou a São Paulo (rs). Quanto aos filmes brasileiros, soube que "Blindness" teve uma acolhida meio glacial, mas não sabia que "Linha de Passe" foi aplaudido, que bom!
Olha, vou linkar teu blog, já fui vê-lo e gostei muito.
Beijos.

Dora, blog é informação mesmo, também fico sabendo de muita coisa passeando por eles. Não li este livro do Saramago, mas ele é um escritor fabuloso, espero que o filme esteja à altura.
Um grande beijo.

Maria Augusta disse...

Flavia, se já chegou uma vez, pode chegar de novo, o que não falta é criatividade aos brasileiros.
Beijão.

Cadinho, obrigada pela visita, fico contente que você tenha gostado, volte sempre.
Um abraço.

Anny, infelizmente estou meio desatualizada em relação ao cinema brasileiro, mas pelos comentários parece que realmente ele está cada vez melhor, que bom, né?
Grande beijo.

Maria Augusta disse...

Kovacs, também adoro ir ao blog da Ju. Parece que o Blindness foi acolhido com uma certa reserva pelo público do festival, mas vamos torcer, não é mesmo?
Abraços e obrigada pela visita.

Laura, sei que você é cinéfila, fico contente em saber que gostou. Hélas, não tenho ajudantes, o que sai de bom e de ruim aqui é tudo minha culpa mesmo (rs).
Beijos.

Ciça Donner disse...

Que delicia menina... nossa e ao embalo dessa musica entao, quase me senti lá

Sonia A. Mascaro disse...

Maria Augusta, fico contente por poder colaborar com suas informações. Obrigada também pelo link ao Leaves of Grass.
Beijos.