sexta-feira, 14 de setembro de 2007

No Castelo do Rei Stanislas


Pintura mostrando o castelo de Lunéville na época do rei Stanislas
Stanislas é o personagem mais importante da história de Nancy, a praça principal da cidade tem seu nome, a rede de ônibus chama-se "rede Stan" e por aí vai. Mas antes de chegar aqui, ele foi rei da Polônia, país onde nasceu. Isto se passou no início do século XVIII e devido ao jogo do poder das potências da época como a Rússia, a Suécia, a Alemanha, ele foi destituído depois de somente 5 anos de reinado e vagou pela Europa procurando aliados na esperança de recuperar sua coroa. Até que um dia, tirou a sorte grande : sua filha Maria, então com 22 anos foi pedida em casamento para o rei Luís XV que tinha então 15 anos. A razão do pedido é que a corte francesa precisava encontrar uma princesa católica e em idade de procriar para assegurar a descendência real (que "romantismo", né?), e a filha de Stanislas era a única disponível nas paragens

E Stanislas, sogro do rei da França, teve que renunciar ao trono da Polônia, mas recebeu o título de Duque da Lorena e do Bar e o direito de reinar sobre este ducado até sua morte, depois da qual este seria anexado definitivamente à França. Quando este reinado começou ele tinha mais de 60 anos, as más línguas dizem que a coroa francesa esperava que ele morresse logo...mas ele viveu até 87 anos e isto foi uma sorte para Nancy e sua região, pois as obras que ele executou o transformaram no "Benfeitor da Lorena". Apaixonado pela arquitetura, ele construíu a magnífica Praça Stanislas em Nancy, que até hoje é uma das praças mais bonitas da Europa, e no seu castelo de Lunéville, que é uma réplica em tamanho menor do castelo de Versalhes, instalou uma das cortes mais ilustres e intelectualizadas da época. Quando ele morreu, Luís XV abandonou completamente a Lorena, e uma boa parte das realizações de Stanislas como o jardim de Lunéville, foi saqueada e desapareceu.


Estou contando tudo isto porque visitei na semana passada o castelo de Lunéville, onde ele viveu. Este, que abrigava um museu, a capela real e os apartamentos de Stanislas, sofreu um incêndio em 2003 que destruíu quase tudo. Atualmente está em reconstrução e a ala que teve menos estragos abriga exposições e peças de teatro, e foi justamente a exposição "Milune Miville"que fui visitar.


Como este ano o vidro e o cristal estão em destaque aqui na região, os novos artesãos-artistas da turma diplomada este ano no CERFAV (centro de estudos do vidro) estavam apresentando seus trabalhos nas salas e no jardim do castelo. Não tinha o esplendor do "Jardin de Cristal", mas não faltava originalidade e criatividade, como a "Mesa das Maravilhas" (à direita), onde o reflexo dos desenhos da "toalha de mesa" sobre um copo que se deslocava criava imagens diferentes e surpreendentes...Ou as cabeças de Stanislas em vidro, espalhadas sobre o asfalto na entrada do pátio do castelo (acima, à esquerda).


Aproveitamos também para passear no jardim , que tem ainda algumas estátuas antigas e é amplo e agradável sob o sol quase outonal.

PASSEIO PELO CASTELO DO REI STANISLAS


22 comentários:

Meire disse...

Guta, sao fragmentos da historia que a gente nao aprende na escola, e sim com nossos amigos da blogosfera. Por isso q amo esta vida de blogueira.
Me deu vontade de conhecer Nancy,
bjs

Eduardo P.L. disse...

Que história intrigante, e que passeio delicioso. Parabéns Maria Augusta pelo rico post.

Contra-pontos disse...

Maria Augusa.

Adorei as imagens e a história.
Que beleza viajar não é mesmo!!!!!
obrigado pelos comentários no meu blog. Andei com problemas de conexão nas montanhas da Umbria, Itália, mas aos poucos vou retomando o ritmo.

bjs,

Jugioli

Flavia Sereia disse...

Nossa, morar na França é mesmo viver na arte. Quanta coisa bonita ai para se ver.
Otimo finde

bjs

Maria Augusta disse...

Meire, também descubro muito coisa com os blogs. Realmente, Nancy e a região leste da França merecem ser visitadas. Um beijo.

Eduardo, a historia deste rei foi muito movimentada, para ele a vida (de realizações) começou aos 60...
Um abração.

Jugioli, então pensei certo, você continua teu périplo pelo Velho Continente. Obrigada pela visita e um beijo.

Flavia, tem muita coisa bonita porque eles cultivam muito a cultura. Um beijo para você.

meire disse...

Bom dia querida!

marilia disse...

Amiga, adoro aprender mais sobre a França, e vc faz com que a gente fique cada dia mais entusiasmada!
vou voltar aqui mais tarde para ver o clipe!
estou super bem hoje, e já de volta a rotina...
obrigada pelo carinho e um grande beijo!

Mário disse...

Maria Augusta, que notícias excelentes, adorei conhecer esses fatos. Muito Obrigado.

Pepe Luigi disse...

Um passeio muito atraente historiado num conto enigmático.
Francamente gostei!

Osc@r Luiz disse...

Que história incrível e que passeio maravilhoso, Maria Augusta.
"a corte francesa precisava encontrar uma princesa católica e em idade de procriar para assegurar a descendência real"
Que coisa isso, né?
As pessoas ficavam sujeitas ao bel prazer de outras...
Um beijo e um bom domingo pra você!

Maria Augusta disse...

Meire, bom dia e bom domingo. Um beijo.

Marília, que bom que vôcê já está em forma de novo. Um beijo grande e bon dimanche.

Mário, que bom que você gostou. Nos passeios daqui sempre se une a parte lúdica à história, ela está em toda parte e eu vou contando aqui, para gravar o que vi e para contar aos amigos que me dão o prazer de vir me visitar. Um abração e bom domingo.

Maria Augusta disse...

Pepe, seja benvindo. Verdade que às vezes a história ultrapassa a ficção, e a saga deste rei é um exemplo. Um abraço e bom domingo.

Oscar, quando vemos estas "obrigações" dos poderosos, achamos bem melhor sermos cidadões normais e livres para governar nossas vidas, né?
Um beijo e bom domingo.

O Meu Jeito de Ser disse...

Quanta história que nos passa no desconhecimento.
Como disse a Meirinha, aqui é local de aprendizado, e acho que hoje com a maturidade que temos aproveitamos muito mais.
Deus, as fotos do jardim e do palácio são lindas.
E creio que poder ver essas peças em vidro de pertinho, deve ser fascinante.
Um bom domingo prá você.
Um beijo

Moacy Cirne disse...

Uma bela postagem. Um belíssimo castelo. Beijos.

Lino disse...

Sou fascinado pela história e, quando viajo, sempre procuro visitar os locais históricos, saber a história. Acho que é uma das boas coisas de se conhecer novos lugares.

Maria Augusta disse...

Aninha, obrigada pela visita e pelas gentis palavras. Verdade que com o passar do tempo aprendemos a apreciar as coisas com mais profundidade. Um beijo e uma boa semana.

Moacy, obrigada. Era um belo castelo, espero que a recontrução depois do incêndio nos traga de volta toda sua beleza. Um abraço e uma boa semana.

Lino, a história sempre adiciona uma dimensão a mais aos lugares que visitamos. Um abraço e uma boa semana.

Meire disse...

Bom dia querida e boa semana!
Meire

Karina disse...

Lindas fotos, jardim apaixonante. Concordo com vc, a história dá uma dimensão à mais aos locais visitados, como se pudéssemos transpor o espaço físico e conhecer as paixões, as dores e as conquistas dos que ali viveram.
Bjos

Barão Van Blogh disse...

"...Um pássaro de fuligem do pincel cai
De asas abertas inesperado livre vai..."

Desejos de uma boa semana .

marilia disse...

maria, aqui pelos lados tupiniquins, estamos levando a vida... de bala perdida a sequestro relampago, a gente se acostumou com tudo...inverdade? não...maior infelicidade1
mmas tem uma coisa que ninguem acostuma: ver seu time perder em clássico no domingo!! rsss
como já dizia o poeta, somos, sim, o pais do futebol... segunda feira, não tem noticia que ganhe da pagina de esportes...
bjos minha querida, e boa semana...

Meire disse...

Bom dia querida!

gilrang disse...

maria augusta,

voce esqueceu de dizer que stanislas morreu das queimaduras provocadas pelo incêndio da sua camisola de dormir.

mas, supresa, mesmo, voce terá em toul. as fortificações da cidade ainda estão lá. as ruas estreitas escondem algumas maravilhas. uma igreja antiquissima e o museu de toul. não deixe de visitá-lo. vá com tempo, pois voce ficará por lá durante algumas horas. um grande e longo muro branco com uma pequena porta e uma plaqueta em cima, na qual se lê "musée". ao entrar, não esqueça de assinar o livro de visitas. diga que é brasileira. eles vão adorar a sua nacionalidade exótica. paguei perto de 15F (em torno de 3 euros), mas as crianças entraram de graça (aliás, en france eles têm essa mania bizarra de não cobrar entradas de estudantes).

prepare-se! a princípio, eu pensei que eram reproduções aquelas bugigangas, aqueles ossos de tigres de dente de sabre, os pelos de mamutes, as jóias de antes, bem antes dos gauleses chegarem por lá. porém, comecei a prestar atenção e vi que havia sempre um mapa ao lado de cada peça. e, olhando pela janela, descobri o sítio arqueológico onde quase tudo aquilo foi achado. bem ali, debaixo do meu nariz.

toul, ou tulum, foi uma cidade dos romanos e onde eles construíram um hospital para atender os feridos das batalhas com os gauleses de vercingetorix. o museu É o hospital! uma construção do ano II A.C.. as peças vão contando a história de frança até perto da II Guerra Mundial. voce ficará surpresa de encontrar umas peças da sua querida pátria amada, salve, salve! preste muita atenção na época do fim do nosso império e início da nossa república.

não deixe de apreciar o mosaico do piso de pastilhas que os romanos deixaram. se puder, tire muitas fotos! foi uma pena que só ficamos lá duas horas...

voce já foi a strassbourg? argentoratum para os romanos. não perca também!

outro lugar interessante é donremi, onde nasceu jeanne d´arc. mas disso podemos falar uma outra hora...