terça-feira, 5 de junho de 2007

Casa de Palha : de Palhoça a "Palácio"

As fotos abaixo são do site "La Maison en Paille"
A casa de palha sempre simbolizou precariedade...como na história dos 3 Porquinhos onde o Lobo Mau “soprou, soprou e a derrubou”. Mas nos tempos atuais de preocupação com o meio ambiente, ela se tornou uma alternativa e está ganhando sua nobreza.


A construção de casas utilizando a palha, sob a forma de fardos, começou a ser empregada no estado de Nebraska, nos Estados Unidos, no fim do século XIX, com a mecanização da colheita de cereais, e foi abandonada em torno de 1940. Um artigo intitulado "A ressurreição", que apareceu em 1973 permitiu aos americanos de redescobrir este tipo de habitação. Testes foram realizados em laboratórios, estágios organizados, livros foram escritos divulgando esta técnica nos EUA e em outros países do mundo. Na França, a casa mais antiga construída com fardos de palha data de 1921 (foto acima) e está em perfeito estado até hoje. Somente no ano de 2005 uma centena de novas casas deste material foram construídas e atualmente os artesãos que dominam esta técnica possuem encomendas para anos inteiros de trabalho.

A vantagem para o meio ambiente é evidente. Renovável e biodegradável, a palha estoca o CO2. Além disto ela provem da reciclagem do rejeito da agricultura de grãos de cereais, como o milho, o trigo, o arroz, a aveia. Nesta, a palha que deveria ser queimada é compactada sob a forma de fardos, que servem na construção das casas, não necessitando assim grandes transformações. Além disto, a palha apresenta excelentes qualidades isolantes tanto acústica quanto térmica, o que acarreta uma economia de energia e um conforto, principalmente nas regiões muito frias ou muito quentes.

A técnica mais comum consiste na construção de uma estrutura de madeira, que é preenchida pelos fardos de palha. Outros a utilizam diretamente como muro de arrimo, que suporta o peso do teto. Em seguida as paredes são revestidas com um reboco à base de cal. No entanto, cuidados especiais devem ser tomados pois como a palha é um material orgânico, ele pode sofrer reações químicas, sendo que os riscos principais são o apodrecimento e os incêndios. Para evitar o apodrecimento, deve-se proteger os alicerces em relação à umidade e garantir um bom escoamento da água da chuva. Para prevenir os incêndios, recomenda-se misturar o reboco a um material natural resistente ao fogo, como a terra ou a areia, por exemplo. Este tipo de construção é realizada geralmente em “mutirão”, grupos de amigos e vizinhos que se reúnem sob a orientação de um artesão qualificado. Quanto ao teto, ele pode ser de telhas, ardósia, zinco e até sapé (VÍDEO).

Sabemos que teremos de reconsiderar nossos critérios de conforto para alcançar o desenvolvimento sustentável. Uma casa de palha, pelo menos em zona rural, não seria uma solução que permitiria manter o conforto respeitando o meio ambiente?


Para saber mais :




23 comentários:

Lino disse...

Não conhecia esta iniciativa, que é muito boa e poderia ser adotada no Brasil para, por exemplo, a palha da cana de açúcar. Material natural, biodegradável, cujo uso só ajuda o ambiente.

Meire disse...

Tb nao conhecia, achei interessante.
Tb estou na coletiva.
Meire

Sergio disse...

olá, Maria Augusta!

Obrigado pela visita, prazer em te receber e conhecer.

Aqui no nordeste do Brasil há 30, 40 anos atrás se encontrava muito casas parecidas, feitas de palhas de coqueiro e ,adeira e barro...algumas mais elaboradas que outras.
Ações simples podem ser avisadas....dizer so que a terra vai acabar, que vamos ficar sem agua, acho que assusta mais do que informa e ensina. Deveria ser mais divulgado como ações simples podem e devem ser feitas...mais propaganda.

Um beijo e bom dia

denise disse...

Maria Augusta, realmente é uma faca de dois gumes o problema das sacolas plásticas. O ideal seria realmente que se substituíssem os sacos atuais pelos biodegradáveis.
Usei a dica que nos mandou sobre as casas de palha, lá no Faça a sua parte(facaasuaparteblogspot.com). Obrigada!
beijo, menina

Luci Lacey disse...

Maria Augusta

Estou na blogagem coletiva do Lino.

Muito bom seu post, iniciativa que poderia ser usada tambem no Brasil.

Obrigada pela visita

luma disse...

Uma idéia original! Não sabia e achei interessante. Mas em casos de ventanias, fufãos ou chuvas pesadas. Ela aguenta?
Boa blogagem! Beijus

grace disse...

OLá Maria Augusta..eu nao tinha nem idéia do que vc escreveu no post.Fiquei encantada e feliz em saber que há tantas alternativas....Ah...se o homem depsertasse......Dias felizes

Lunna disse...

Espero que a humanidade acorde a tempo de se salvar. Porque fala-se em salvar o planeta, mas eles esquecem que são parte do planeta.
Então, não é o salvar o planeta, é salvar a si mesmo.
Adorei o post, acho que é hora de se pensar em coisas alternativas, ao invez de apenas usufruir do que esta aí.
Beijos

Mário disse...

Oi maria Augusta, vim te agradecer a visita e ver o teu post da coletiva. Excelente! Eu não conhecia nada disso e aprendi mais um pouco... já fiquei mais otimista em relação à preservação do meio ambiente. É de iniciativas assim que precisamos destaque. Muito bom mesmo. Parabéns. Vou voltar mais vezes por aqui. Abraços, Mário.

Sam disse...

Maria Augusta
Adorei esta explicação sobre como construir uma casa de palha e a analogia aos três porquinhos. Sempre gostei de ler revistas de arquitetura em francês, pois aprecio muito a forma como se mantém alguns valores "mais antigos" e que realmente não são descartáveis. Esta forma de construir é um deles.
Como você comentou no meu blog, países antigos e que passaram períodos difíceis como Japão e França acabam tendo coisas em comum e se habituando a conviver melhor com os bens duráveis.
Gostei do blog e pretendo visitar mais vezes.

Em tempo: gostei do selo do Aide et Action, sou madrinha de uma criança aqui no Brasil num projeto semelhante.

Fernanda disse...

Olá Maria Augusta,
vim agradecer e retribuir a visita!
Muito interessante a casa de palha; desconhecia tal coisa, fiquei fascinada! E também deve ser muito mais económica.
Gostei do seu blog,voltarei mais vezes.
Bjo.

Osc@r Luiz disse...

Gente do céu!
Onde estou?
Que lugar maravilhoso é esse?
Por que só hoje me disseram que esse blog existia!
Nossa!
Estou maravilhado!
È uma pena que eu esteja no meu horário de almoço e precise voltar.
Mas certamente eu volto aqui. Muitas e muitas vezes!
Além do que, suas palavras no meu blog soam como um bálsamo que incentiva continuarmos tentando incessantemente mudar o mundo!
E vamos mudar.
Mas antes disso, deixa eu ficar mais um pouquinho aqui, conhecendo essas pirâmides e borboletas e crônicas e castelos e...
Muito obrigado mesmo por ter me visitado.
Se não se importar, vou linkar esse lugar encantado aos meus blogs.
Na verdade, você esteve no meu "By Osc@r Luiz" que é uma versão mais despojada e com mais humor do que conteúdo do meus blogs. Quando e se tiver tempo, conheça o meu "Flainando na Web", que é a versão ao contrário do outro. Talvez goste mais de lá, se me permite uma modesta sugestão!
Um grande beijo, e muito obrigado pelo carinho!
Se porventura a idéia de estar linkada nos meus blogs não agradar, me avise que eu tomo as providências.
Mais uma vez, obrigado, Maria Augusta!

Laura disse...

Menina, esta eu desconhecia. Valeu!
bjs e merci pela visita :)
bjs laura

Fábio Max Marschner Mayer disse...

Essa casa me lembra um filma recente com a Camerón Dias e a Kate Winslet...

É uma casa ecológica, tem muita relação com a blogagem de hoje!

Flavia Sereia disse...

Muito interessante, acho que por aqui só tem casas assim em algumas aldeias indígenas.
Aliás, a aldeia dos índios que tem aqui, são feita de pau a pique, armação de madeira com um tipo de barro amarelo entre eles, formando o "cimento", o teto é de folhas de coqueiros ou a tal piaçava. E não e´que fica bonitinho? rs
Muito instrutivo o seu post.
bjs

Dona Minhoca disse...

É uma idéia simples e genial. Só resta agora ver se as pessoas terão a mente aberta a essa proposta - porque espírito de porco e gente besta é o que não falta nesse mundo. Infelizmente.

Poliane disse...

Sou arquiteta... então já imaginou o meu fascínio quando li seu post!!

Eu desconhecia essa técnica! Fiz questão de assistir o vídeo! Será que no Brasil funcionaria?? Pois chovesse muito e pelo que eu entendi precisa de uma boa "impermeabilização", né?? Fiquei curiosa para saber das cifras!!

Eu falo sobre a inclusão do humano na ecologia!!

Mércia disse...

Para mim é uma grande novidade. Sabe, aprendi muito com essa blogagem coletiva.
O seu post está muito bom. Parabéns!
Bjos...muitas alegrias.

Eduardo P.L. disse...

Duas coisa: uma, e primeira, foi uma pena eu não saber dessa iniciativa do Lino. Perdi. Teria aderido.
Segunda coisa, sua postagem esta ótima. Muito bem concatenada! Assunto para outras postagens! Parabéns!

Anônimo disse...

Olá Maria Augusta,

Primeiramente quero agradecer sua visita! Espero recebe-la mais vezes por lá!

Muito interessante essa coisa de casa ecologica, principalmente nos dias de hoje.
Outro dia vi no National Geografic a construção de casas com argila, com palha e outros materiais naturais.

Gostei muito do seu espaço, e quero voltar e ler tudo com calma.

Beijos, querida.

Lina Yamada

Maria Augusta disse...

Obrigada a todos que visitaram e comentaram este post. Como o assunto é surpreendente, muitas questões tanto técnicas quanto "psicológicas" em relação a esta alternativa para habitação foram levantadas, todas construtivas. Voltarei ao assunto brevemente para tentar responder dentro de minhas possibilidades. Adorei participar desta blogagem coletiva, parabéns ao Lino e aos outros participantes. Aprendi muito escrevendo este e visitando os blogs dos outros participantes.
Agora não vamos deixar a peteca cair, a luta continua. Um grande abraço a todos.

Ronald disse...

Não vou dizer nada, ficarei com as palavras dos amigos que aqui comentaram. Voltarei sempre, tenha certeza...

Anônimo disse...

olá, estou construindo uma casa sustentavel em Florianópolis. tentando fazer o sonho realidade e deixar um belo aprendizado fixado na memória da minha filinha.
mas não tem sido facil, agora estou tentando achar fardos de palha, será que alguém sabe onde posso compra-los? qualquer informação seria de grande ajuda.
obrigada!!
laurapaso9@hotmail.com