quarta-feira, 21 de março de 2007

É Primavera!



São as águas de março fechando o verão”...se Tom Jobim estivesse no hemisfério norte a canção diria “fechando o inverno”... e este ano não foram as águas, mas a neve. Pois é, a neve, que se fez de rogada durante todo o inverno, resolveu chegar junto com a primavera.

A primavera aqui é um acontecimento, um verdadeiro renascimento, as pessoas suspiram de alívio e dizem : "Enfim, rumo aos dias bonitos". E existe realmente, uma grande diferença, em relação aos dias tristes, curtos e cinzentos dos invernos normais. Para começar, na primavera os dias são mais longos. No mês de junho, por exemplo, dez e meia "da noite" ainda é dia aqui na latitude de Nancy. A paisagem também muda radicalmente, a natureza acorda e a vida desabrocha de todos os lados. As árvores, nuas e secas no inverno, se cobrem de folhas e as flores aparecem. Primeiro os crocus, os narcisos e as tulipas, depois os muguets (espécie de campânula), em seguida os cravos, rosas, margaridas, numa explosão de cores e de perfumes. Todo mundo corre para cuidar do jardim ou do terraço, enfeitar suas janelas com os gerânios. Na rua, as janelas se abrem, os sorrisos também. O povo, sisudo e resmungão no inverno, parece mais descontraído. E "sai da toca"...os restaurantes e cafés colocam mesinhas na calçada, todos preferem fazer as refeições ao ar livre (isto também é diferente, pois aí quando o tempo esquenta entramos para nos proteger do calor, procurando uma sombra ou um ar condicionado, e aqui eles saem, querem é aproveitar, pois os dias ensolarados são raros).

Para mim, a primavera marca o começo da época das grandes caminhadas. Como sou uma citadina convicta, gosto mesmo é de andar no asfalto, nada de terra e lama nos sapatos. Aqui nas redondezas temos muitos bairros pitorescos, e como Nancy geograficamente é como uma bacia, isto é, uma cidade plana cercada de morros, temos ladeiras de todos os lados. Adoro subi-las até os mirantes e observar a cidade lá de cima...e com a vantagem de perder uns quilinhos na “escalada”, pois a vontade de manter a linha é uma preocupação universal (sem exageros, bien sûr).



 

Um comentário:

Teresa disse...

Ai, eu tb estou em clima de primavera, principalmente no coração, eheheheheheheheheh!!!!!!